Balanço Blast: confira as principais notas das nossas análises de setembro de 2022

Dentre nossas principais análises de setembro estão a coleção das Tartarugas Ninja, Return to Monkey Island, Soul Hackers 2 e Lego Brawls.


Aqui, no Balanço Blast, trazemos a você, leitor, uma curadoria com as nossas principais análises do mês que se passou e, de quebra, te convidamos a ler e conhecer mais sobre os games que analisamos, sejam eles grandes AAA que decepcionaram (ou não), jogos independentes de exímia qualidade que poderiam passar batido ou ainda nosso aviso para fugir de alguns títulos de qualidade extremamente questionável — além de compilar uma tabela completa com todas as notas que publicamos ao longo do período. 

Confira também outros destaques de meses anteriores

Teenage Mutant Ninja Turtles: The Cowabunga Collection

Autoria: Carlos França Jr.
Data da Publicação: 1 de setembro
Plataforma: PC, PlayStation 4, PlayStation 5, Switch, Xbox One, Xbox Series 
Plataforma utilizada para análise: PlayStation 4
Nota: 9.0

Prós

  • Boa variedade de títulos para mostrar as diferenças de hardware da época;
  • É possível ajustar defeitos típicos das gerações antigas;
  • Diversos recursos de apoio ao jogador, como save state, rewind, guias de estratégia e vídeo de playthrough;
  • Galeria com acervo de diversas mídias, não se restringindo só aos games;
  • A maioria dos jogos possui co-op local.

Contras

  • A dificuldade acentuada de alguns jogos pode afastar jogadores mais casuais;
  • Apenas quatro jogos possuem multiplayer online.



O cuidado colocado em Teenage Mutant Ninja Turtles: The Cowabunga Collection transforma esta coletânea em uma espécie de exemplo a ser seguido. A Konami acertou em cheio ao deixar esta tarefa nas mãos da Digital Eclipse, que já tem uma longa experiência em reunir clássicos de grandes franquias de maneira competente. O que temos é uma pizza deliciosa com recheio de nostalgia e diversão, temperada com competência e coberta por um grande legado. Confira a análise completa.

Soul Hackers 2

Autoria: Ivanir Ignacchitti
Data da Publicação: 5 de setembro
Plataforma: PC, PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox One, Xbox Series 
Plataforma utilizada para análise: PC
Nota: 9.5

Prós

  • Universo futurista bem desenvolvido com personagens que refletem bem as nuances morais da sua ambientação;
  • O Sabbath é um método interessante de valorizar o conhecimento das fraquezas dos inimigos;
  • O sistema de Demon Recon adiciona elementos curiosos para a exploração das áreas;
  • Quests e diálogos opcionais ajudam a desenvolver mais o contexto de forma significativa;
  • Bons questionamentos sobre tecnologia, humanidade e o que existe para além da força da lei;
  • Trilha sonora que se encaixa bem à noção de futuro da obra;
  • Estilo artístico vibrante com personagens e demônios que saltam aos olhos.

Contras

  • A Soul Matrix tem um design repetitivo e cansativo.


Soul Hackers 2 é uma entrada que consegue mostrar com primazia o potencial que uma série Soul Hackers pode ter dentro do universo de Shin Megami Tensei. É um instigante novo início e um retorno honesto a um mundo clássico que merece ser mais explorado. Confira a análise completa.

LEGO Brawls

Autoria: Carlos França Jr.
Data da Publicação: 16 de setembro
Plataforma: PC, PlayStation 4, PlayStation 5, Switch, Xbox One, Xbox Series 
Plataforma utilizada para análise: PlayStation 4
Nota: 3.0

Prós

  • Múltiplas opções para fazer seu bonequinho do jeito que você quiser (ou quase).

Contras

  • Poucos modos de jogo;
  • Poucos estágios;
  • Baixo fator replay;
  • Poucos temas famosos;
  • A inteligência artificial é risível;
  • Muitos momentos de confusão visual;
  • Qualidade sonora inexistente;
  • Não é possível mudar a cor das peças usadas para customização;
  • Exige um grinding absurdo do jogador, que não compensa.


LEGO Brawls me deixou bem frustrado. Ter uma infinidade criativa tão grande desperdiçada dessa maneira é vexatório. Nem mesmo a quantidade absurda de peças para liberar nos faz querer passar mais de uma horinha jogando. Triste, no mínimo. Confira a análise completa.

Return to Monkey Island

Autoria: Gustavo Souza
Data da Publicação: 23 de setembro
Plataforma: PC, Switch
Plataforma utilizada para análise: PC
Nota: 9.5

Prós

  • Os sistemas de dicas é excelente para impedir que os jogadores fiquem presos em certos trechos;
  • A seleção de dificuldade torna o jogo acessível para quem não tem costume com a dinâmica de point-and-click;
  • A localização de textos, piadas, placas e mensagens pelo cenário está excelente;
  • A trilha sonora está impecável;
  • A jogabilidade foi simplificada, tornando-se muito mais intuitiva;
  • Puzzles desafiadores e bem elaborados;
  • Os personagens são muito carismáticos, principalmente pela ótima dublagem;
  • A forma que os desenvolvedores resolveram as questões do passado foi inteligente e engraçada;
  • Os cenários são ricos em detalhes, contendo muitos elementos para interação.

Contras

  • Não é uma boa porta de entrada para jogadores que não conhecem a série;
  • A história poderia ter sido melhor trabalhada em seus últimos capítulos.


Return to Monkey Island é um verdadeiro abraço apertado aos fãs da série. O jogo apresenta mecânicas familiares aos jogos originais com a adição de elementos que deixam a aventura mais intuitiva e dinâmica. Apesar da acessibilidade, dificilmente ele será tão atrativo para quem não conhece os detalhes da história de Monkey Island, sendo um produto destinado principalmente para os fãs mais antigos da série. Todos os elementos do jogo conseguem envolver o jogador na história de maneira brilhante. É uma aventura leve, inocente e engraçada, que transborda carisma em todos os seus aspectos, assim como nos seus primeiros jogos. Confira a análise completa.

Listão de Análises GameBlast — Setembro/2022

Data do
Review
Autor Jogo Nota
01/set Juliana Paiva Zapparoli Gerda: A Flame in Winter 8.5
01/set Carlos França Jr. Teenage Mutant Ninja Turtles: The Cowabunga Collection 9
02/set Carlos França Jr. Chameneon 7.5
02/set Carlos França Jr. The Company Man 7.5
03/set Gohan Dutra Lobotomy Corporation 8
05/set Ivanir Ignacchitti Soul Hackers 2 9.5
06/set Farley Santos Islets 7.5
06/set Alexandre Galvão SD Gundam Battle Alliance 7
07/set Matheus Senna de Oliveira Pac-Man World RePAC 7.5
08/set Carlos França Jr. Melty Blood: Type Lumina 9
08/set Nycolas Medeiros Madden NFL 23 6.5
09/set Farley Santos Tinykin 8
12/set Ivanir Ignacchitti Made in Abyss: Binary Star Falling into Darkness 6
13/set Farley Santos Doko Roko 5
14/set Carlos França Jr. Jojo's Bizarre Adventure: All-Star Battle R 8
15/set Farley Santos Isle of Arrows 7
16/set Carlos França Jr. LEGO Brawls 3
17/set Gohan Dutra Library of Ruina 9
19/set Farley Santos Foretales 8
20/set Ivanir Ignacchitti The Legend of Heroes: Trails from Zero 8.5
21/set Gustavo Souza No Place for Bravery 8.5
21/set Carlos França Jr. Shin chan: Me and the Professor on Summer Vacation 7.5
22/set Alan Murilo Temtem 7.5
22/set Ivanir Ignacchitti Various Daylife 7
23/set Alexandre Galvão Jack Move 8
23/set Gustavo Souza Return to Monkey Island 9.5
24/set Matheus Senna de Oliveira eFootball 2023 6.5
26/set Farley Santos Shovel Knight Dig 8
27/set Carlos França Jr. Chenso Club 8
27/set Carlos França Jr. SpiderHeck 7.5
28/set Farley Santos Moonscars 8
28/set João Pedro Boaventura Voice of Cards: The Beasts of Burden 6
29/set Gustavo Souza The Outbound Ghost 6.5
30/set Farley Santos Dome Keeper 7
Total de Análises 34
Média Geral 7.5
Moda (nota que mais se repete) 8
Nota mais alta 9.5 (Soul Hackers 2)
Nota mais baixa 3.0 (Lego Brawls)
Ressaltamos que as análises e as notas aqui atribuídas variam de acordo como critério e justificativas aplicadas pelos próprios analistas, sendo elas de total responsabilidade de seus autores.

É jornalista formado pelo Mackenzie e pós-graduado em teoria da comunicação (como se isso significasse alguma coisa) pela Cásper Líbero. Tem um blog particular onde escreve um monte de groselha e também é autor de Comunicação Eletrônica, (mais um) livro que aborda história dos games, mas sob a perspectiva da cultura e da comunicação.
Este texto não representa a opinião do GameBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


Disqus
Facebook
Google