Jogamos

Análise: Hoa (Multi) é uma simples aventura que impressiona sonora e visualmente

A curta experiência é ideal para aqueles momentos em que se deseja jogar algo mais tranquilo.

Jogos de aventura e narrativos curtos estão, cada vez mais, virando tendência, além de serem ótimos para jogadores que apreciam experiências rápidas e mais tranquilas. Nesse aspecto, Hoa é uma ótima opção para esse público, já que traz um bom enredo, desafios fáceis e comandos simples para que qualquer pessoa possa aproveitá-lo, seja para passar tempo ou simplesmente descansar após um longo dia de trabalho ou estudos.

Uma bela jornada ao passado

Em Hoa, jogo de aventura e plataforma, controlamos uma minúscula fada que chega à uma ilha natal navegando em uma folha. Nossa protagonista, aparentemente sem lembranças dos acontecimentos passados, deve explorar o local para entender o que se passou na ilha e o que aconteceu com o resto de seu povo.

Durante a exploração, encontramos grandes criaturas que fizeram parte da história da pequena fada, mas que estão adormecidas. Para acordá-las, é necessário encontrar alguns símbolos espalhados por suas respectivas seções e cada criatura explica uma parte do não tão distante passado da fada e sua relação com a personagem.


O jogo é bastante curto e pode ser facilmente terminado em duas horas. O título é bem linear e apresenta um nível de dificuldade baixíssimo, tanto nos poucos puzzles disponíveis quanto nos elementos de plataforma, ideal para quem busca uma experiência mais tranquila focada em narrativa.

A evolução do enredo acontece em uma velocidade boa e consegue prender nossa atenção. A trama é contada de trás para frente e descobrimos o início de tudo, e o que levou a personagem ao momento atual, na cinemática de encerramento.

A simplicidade reina, mas poderia ter ido além

Hoa possui uma jogabilidade extremamente simples e acessível para qualquer idade ou nível de jogador. De início, a protagonista realiza apenas um pulo simples, porém, conforme seguimos na missão de despertar as grandes criaturas, novas habilidades são adquiridas ao coletarmos cinco insetos luminosos para os novos amigos, como pulo duplo, voar e empurrar pedras. Infelizmente, essas novas habilidades, com exceção do pulo duplo, são usadas muito esporadicamente, quase que sendo necessário apenas para seguir para a próxima seção.

A pouca quantidade de quebra-cabeças e a curta duração do jogo não permitem aproveitar mais dessas novas habilidades, deixando a gameplay pouco dinâmica e se resumindo a meros saltos na maior parte do tempo. Porém, algo que acontece com bem mais frequência é termos a ajuda de pequenos insetos da floresta, como besouros e joaninhas, e até mesmo de robôs inimigos, para subir em elevações e prosseguir com a exploração.


Falando em inimigos, o único tipo de ameaça presente não nos causa dano e sequer temos uma barra de vida, tornando impossível a morte da personagem até mesmo por elementos ou obstáculos da fase, evidenciando ainda mais o foco na narrativa e menos no desafio. Apenas algo que pode atrapalhar de vez em quando, principalmente no segmento da água, é o pouco controle da fada durante um salto caso precisemos mudar a direção. Dependendo das habilidades do jogador, isso pode ser um pouco frustrante nas partes com mais plataformas a serem alcançadas.

Alguns dos principais pontos fortes de Hoa estão em seus gráficos e em sua trilha sonora. Os visuais do jogo são pintados à mão e, com exceção do botão de triângulo para acessar o mapa, a tela é toda livre de qualquer elemento de interface ou HUD. A ambientação surpreende logos nos primeiros minutos e não é raro parar para apreciar os cenários e seus detalhes que foram feitos com tanto capricho. A trilha sonora é regada por piano e conta com composições delicadas e relaxantes na maior parte do tempo, que ficam mais intensas nos momentos finais e casando com o satisfatório encerramento. Entre as diversas localizações, o jogo possui textos em português.

Vale a pena?

Hoa é a perfeita opção para quem procura uma experiência leve, simples e com ótima narrativa que prende nossa atenção por aproximadamente duas horas. Tamanha simplicidade e falta de desafios podem não agradar aos jogadores não casuais, mas que ainda devem dar uma chance para as belezas gráfica e sonora do jogo. As habilidades aprendidas no decorrer da campanha são pouco exploradas e poderiam ser melhor aproveitadas caso  existissem mais quebra-cabeças.

Prós

  • Enredo cativante;
  • Ótimos visuais e trilha sonora;
  • Simples e acessível a qualquer tipo de jogador.

Contras

  • Habilidades adicionais da personagem pouco exploradas;
  • Precisão do pulo enquanto no ar pode incomodar de início;
  • Apesar de ser totalmente focado em narrativa, os poucos puzzles existentes são extremamente fáceis.

Hoa - PS4/PS5/XBO/XBX/PC/Switch - Nota: 7.5
Versão utilizada para análise: PS4

Revisão: Juliana Paiva Zapparoli
Análise produzida com cópia digital cedida pela PM Studios

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


Disqus
Facebook
Google