Jogatina de FDS

O que estamos jogando: Fall Guys, Fairy Tail, Death Stranding, Rogue Legacy 2, Batman e mais!

Sem saber o que jogar no final de semana? Confira os jogos que a equipe do GameBlast jogará neste final de semana.



Olá, queridos leitores! Sejam bem-vindos a nossa Jogatina de FDS. Depois de toda a correria ao longo da semana, nada como dar uma pausa momentânea e relaxar ao aproveitar aquele título pendente em nossa lista. Não importa a plataforma ou gênero, a única regra é curtir esse hobby que tanto amamos da melhor maneira possível. Motivados por isso, pedimos ao nosso time de redatores para compartilhar com vocês os jogos para esse final de semana.

Ivanir Ignacchitti


Um encontro marcado na dungeon

Neste fim de semana meu principal jogo deve ser Is It Wrong to Pick Up Girls in a Dungeon? Infinite Combate (Multi). Baseado na série de light novel e anime, também conhecida como Danmachi, é um RPG de ação em que o jogador deve explorar dungeons e que reconta alguns dos seus eventos. Infelizmente, o gameplay é um pouco mais travado do que eu gostaria, então não tem sido uma experiência muito prazerosa, mas em breve falarei mais sobre isso.



Possivelmente, sobrando um tempinho, devo jogar mais Fall Guys no PC ou voltar para o Mega Man Battle Network 4. Mas isso eu já nem sei dizer. Meu único encontro marcado é com Danmachi.

Matheus Senna de Oliveira


De um mundo ficção científica (de volta) para um de magia

Depois de terminar Destroy All Humans! (Multi), que você pode conferir nesta análise de outro mundo, é hora de mais uma vez trocar de ambientação. Saem os elementos extraterrestres, como discos voadores, sondas, raios da morte e homenzinhos verdes (ou cinzas), e entram magias de fogo e gelo, espíritos estelares, gatos falantes e dragões poderosos. Sabe de qual jogo estou falando?



Fairy Tail (Multi) traz uma grande aventura diretamente adaptada do mangá/anime original, com direito a belos gráficos, muitos personagens queridos pelos fãs e um sistema de RPG bastante divertido e robusto. Enquanto a análise do game, que sai na semana que vem, não chega, fique a vontade para conferir a prévia do game, que trouxe todas as principais informações desse ótimo título.



Alexandre Galvão


Xelão Express!

Olá, pessoas! Tudo bem com vocês? Finalmente estou jogando Death Stranding (PC/PS4) e, como um amigo me disse, a experiência de jogá-lo é totalmente diferente de ver uma gameplay ou coisa do tipo. A princípio a ideia de andar por um mundo semi-morto fazendo entregas parece bem piegas, mas o maldito Kojima consegue fazer dessa atividade uma coisa tão interessante, viciante e até terapêutica se somada ao contexto da narrativa do jogo. Cada entrega é paga com uma história nova, ou uma interação que me provoca a querer entregar cada vez mais coisas, e de qualquer jeito. Sim, demorei pra encarnar o papel de Sam Porter Bridges, mas como já dizia o saudoso Renato Russo: "temos nosso próprio tempo".



Quando eu der uma folga dos pedidos, talvez eu experimente o Beta de Marvel's Avengers (Multi). Conforme foram anunciando coisas sobre o jogo, meu interesse foi diminuindo. Sou do tipo que não curte muito esse lance de "junte seu grupo e lute contra…" nem… que preguiça que eu tenho disso! E pelo visto o cerne do jogo vai ser majoritariamente dentro dessa mecânica. Poder experimentar o jogo para formar uma opinião melhor me ajuda, mas parece que tem um tal jogo do Esquadrão Suicida vindo aí pelas mãos dos criadores da trilogia Arkham, do Batman. E como sabemos que a DC é melhor, acho que os Vingadores vão ficar pra escanteio mesmo por aqui.



Farley Santos


Na companhia de guerreiros e de exorcistas

Neste final de semana me concentrarei em dois jogos, ambos em Acesso Antecipado no PC. O primeiro deles é Rogue Legacy 2, a sequência do ótimo roguelite de ação e plataforma 2D. No jogo, exploramos um reino repleto de perigos na pele de um herói. O curioso é que quando ele morre, um de seus filhos continua a aventura, o que explica o "legado" do nome. Os descendentes podem ter todo tipo de característica maluca, como vertigem (deixa a tela de cabeça pra baixo), glaucoma (parte da tela fica escura) ou pacifismo (não ataca). A sequência ainda mantém o mapa gerado proceduralmente e outras características, mas introduz várias novidades, como novo visual e classes mais distintas. Gostei bastante do que já joguei.

O outro título é Eastern Exorcist, uma aventura de ação 2D produzida por um estúdio chinês. O protagonista é um exorcista guerreiro que precisa enfrentar inúmeras criaturas sobrenaturais em combates cadenciados e brutais. É daqueles jogos mais difíceis, pois atacar de qualquer jeito significa derrota — é importante observar com cuidado os inimigos e golpear na hora certa. Além de ótimos sistemas, o jogo conta também com ótimo visual pintado à mão e ambientação interessante inspirada na mitologia chinesa. Ainda estou apanhando bastante das criaturas sobrenaturais, porém a experiência tem sido positiva.



Hadan F.


I'm Batman!

Todos sabem que sou apaixonado no PS Vita e qual não foi a minha satisfação em finalmente colocar as mãos em um dos títulos no alto da lista de procura para o portátil: Batman: Arkham Origins Blackgate (também disponível para o 3DS).

Já iniciei a partida e estou me divertindo bastante com o jogo. Embora não explore toda a capacidade gráfica do console, os combates pareçam sofrer um efeito bullet time (técnico, não intencional) e não aproveitar de forma criativa as funcionalidades que o Vita possui, Batman exige muita exploração intercalada nas diferentes áreas do Asilo Arkham.

Além disso, é necessário um nível de percepção do cenário pelo jogador, a fim de elaborar uma estratégia para enfrentar inimigos em bando (especialmente armados) e chefes como Solomon Grundy. Em outras palavras, a pancadaria pura e simples é o recurso menos eficaz para a resolução de conflitos. Ao menos até aqui, está recomendado.



Mário Carvalho


Expurgando seres do mal e pisando no acelerador

Opções não vão faltar nesse final de semana. Iniciei a campanha recentemente de Horizon Zero Dawn (PS4), contudo, o dever falou mais alto e precisei pausar a jornada de Aloy para focar em duas análises. A primeira delas é outra grata surpresa que tive esse ano: desde que assisti o primeiro trailer de Othercide (Multi), fui cativado pelo seu estilo artístico peculiar que se inspira no bom e velho Noir. Nele controlamos um grupo de guerreiras geradas a partir da alma de uma caçadora lendária que falhou em sua missão de salvar uma criança possuída por uma energia maligna, permitindo que as criaturas do "outro lado" ficassem livres em nossa realidade. Até então tenho me divertido bastante e espero que sua mistura de RPG e estratégia continue a me encantar.



O segundo jogo é Velozes e Furiosos: Encruzilhada (Multi). Assim como muitos de vocês, também fui pego pelo hype gerado na época em que o primeiro filme saiu, descontando toda a empolgação na franquia Need for Speed Underground, que até hoje deixa saudades. A nova aventura de Dominic Toretto e sua equipe nos videogames está mais voltada para o lado explosivo e repleto de ação predominantes nas últimas sequências da franquia no cinema. A princípio fiquei empolgado pela proposta por apreciar títulos de corrida com uma pegada mais arcade. Infelizmente a experiência não está sendo das melhores, pois ele sofre em aspectos básicos como o controle do veículo e baixa qualidade gráfica. Em breve vocês poderão conferir as análises de ambos aqui no GameBlast.


Essa foi a nossa seleção de jogos. Agora queremos saber de você, caro leitor: qual a sua pedida para o final de semana?

GameBlast recomenda

Como de costume, a semana aqui no Blast foi repleta de conteúdo de qualidade. Começando com as análises, não poupamos nossas fichas e trouxemos para vocês Samurai Shodown NeoGeo Collection (Multi) que apresenta uma coletânea com os clássicos que imortalizaram nomes como Haohmaru, Ukyo e Nakoruru nos corações dos fãs. Continuano com o saudosismo: viaje para o futuro e vivencie intensas batalhas no controle dos poderosos robôs em Mobile Suit Gundam: Extreme VS. Maxiboost ON (PS4).
Prévia: Captain Tsubasa: Rise of New Champions (Multi)

Aqueles que curtem o bom e velho estilo plataforma irão encontrar uma boa aventura repleta de desafios em Dragon Marked for Death (Multi) que combina uma boa diversidade em sua jogabilidade, mecânica intuitiva e um bom ritmo na ação. Já em Skully controlamos um curioso crânio na missão de acabar com a luta dos elementos na Ilha da Vida. Embora o título sofra pela repetitividade em alguns aspectos, por outro ele compensa em um visual caprichado.
Cuphead (Multi): Guia de troféus e conquistas


E que tal explorar mais do rico universo que envolve os videogames? Relembre o impacto causado pelo lançamento de Metal Gear 2: Solid Snake (MSX 2) que dava continuidade a inovação trazia pela mente de Hideo Kojima, responsável por popularizar e revolucionar o gênero stealth. Na coluna Perfil, apresentamos tudo o que vimos sobre Abby Anderson, uma das personagens que mais geraram polêmicas no aclamado The Last of Us Part II (PS4).

Nem só de jogos viverá o jogador, fica aqui o convite para a mais recente edição do nosso BlastCast # 202 que reune a equipe do Blast em uma conversa descontraída sobre diversos temas que envolvem esse hobby que tanto amamos. Nesse episódio falamos um pouco sobre o serviço de streaming que está para ser lançado pela Microsoft, além de outros assuntos que marcaram a semana.
Lançamentos para PC da semana 32


E encerramos mais uma edição do Jogatina de FDS. Agradecemos pela sua presença e nos vemos no próximo sábado. Tenham todos uma excelente e segura semana!

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.


Disqus
Facebook
Google