Vem aí

Prévia: Captain Tsubasa: Rise of New Champions (Multi) vai sair da sua zona de conforto para trazer uma nova experiência para os jogadores e fãs do anime

Franquia, que estava acostumada a sempre fazer jogos com estilo RPG, vai adotar uma nova jogabilidade, podendo abrir precedentes para outras séries esportivas.

Há muitos anos, na agora longínqua década de 1990, a extinta Rede Manchete era a responsável por trazer diversas produções oriundas da Terra do Sol Nascente. Após uma enorme leva de grupos de guerreiros que combatiam as forças do mal, como em Yu Yu Hakusho, Cavaleiros do Zodíaco e Shurato, por exemplo, foi adicionada uma animação que trazia algo mais próximo da nossa realidade: o futebol.




Nada de raios luminosos, armaduras brilhantes ou poderes galácticos; tudo era resumido à vida de Oliver Tsubasa (Tsubasa Ozora no original), um garoto que queria ser o maior jogador de futebol da história do Japão. Essa era a premissa de Super Campeões, originalmente Captain Tsubasa. A série, tanto o anime quanto o mangá, teve um sucesso tão significativo que seria impossível não levá-la para os videogames.

Após 10 anos sem figurar nas plataformas virtuais, Tsubasa está de volta em Captain Tsubasa: Rise of New Champions, que será lançado para PlayStation 4, Nintendo Switch e PC. Será que Tsubasa e companhia conseguirão marcar um golaço, ou será que este jogo não passará de uma bola fora?

Criando um novo nicho

O primeiro jogo da franquia, chamado simplesmente de Captain Tsubasa, foi lançado para NES em 1988, bem antes de conhecermos o anime aqui no Brasil. O título trouxe uma mistura que ficou conhecida como RPG esportivo. Logo, todas as ações eram realizadas em turnos e com animações que ilustravam a sequência de acontecimentos. Suas continuações nos consoles da Nintendo continuaram seguindo a mesma fórmula.

Com a evolução dos consoles, a marca chegou a outros consoles, como PlayStation e Gamecube, tentando inovar nos gráficos e movimentação, mas ainda mantendo suas propriedades de RPG, com a necessidade de escolha de uma ação determinada para prosseguir pelo campo. Rise of New Champions retornará com as animações características dos chutes e habilidades especiais, mas trará uma jogabilidade totalmente esportiva, com cada botão fazendo uma ação (passe, chutes e cruzamentos, por exemplo).

Este é um modo conhecido já há muito tempo e famoso por jogos como os das franquias FIFA e Pro Evolution Soccer. Logo, espera-se que a jogabilidade seja dinâmica e ágil, salvo os momentos em que as animações dos chutes especiais forem exibidos. Inclusive, esses breves momentos prometem reproduzir ainda mais o ambiente e a emoção retratadas no anime.

Esta mudança, além de representar uma transição bastante significativa para a franquia, também pode representar uma abertura para um novo segmento de jogos: os de animes esportivos. Uma vez que a esmagadora maioria de títulos baseados em produções nipônicas são RPGs, como Fairy Tale e Sword Art Online, de luta na disposição de arena, caso da série Naruto Storm e Os Cavaleiros do Zodíaco: Alma dos Soldado (PS4), ou ao estilo musou, como os da franquia One Piece, Rise of New Champions vem para trazer algo que até então ainda não foi visto nesta geração, sequer na anterior.

Caso faça sucesso, isso pode abrir um precedente para que outras produções possam ganhar jogos baseados em sua obra. Alguns bons exemplos seriam Slam Dunk e Kuroko no Basket (basquete), Haikyuu!! (vôlei), Prince of Tennis (tênis) e Eyeshield 21 (futebol americano).

As estrelas do futebol

Rise of New Champions trará equipes e seleções da segunda encarnação da série, chamada de Road to 2002, que funciona como um remake da versão original dos anos 1980, só que usando as equipes juvenis de cada país como ponto central de um torneio. Até o momento foram confirmadas 11 seleções, cada uma com seus jogadores principais:
  • Japão
  • Alemanha
  • Inglaterra
  • Estados Unidos
  • França
  • Uruguai
  • Holanda
  • Itália
  • Senegal
  • Argentina
  • Brasil
Outras seleções que também podem dar as caras são Suécia e Arábia Saudita, considerando suas importâncias na narrativa da série.

O fato curioso fica por conta da seleção do Brasil, que é a única que teve jogadores trocados. O atacante Luciano Leo e o zagueiro e capitão Alberto foram mantidos. O goleiro Salinas dará lugar à Keizinho, especialista em defesas acrobáticas. Porém, a ausência mais sentida é a de Carlos Santana, um dos principais rivais que Tsubasa encontra em sua trajetória. No lugar dele estará o seu xará, Carlos Bara.

Além dos adversários mundiais, também será possível escolher as equipes juvenis das escolas em que os integrantes da seleção japonesa fizeram parte. Estarão disponíveis Nankatsu SC, Shutetsu, Toho Academy, Furano MS, Musashi MS, entre outros, todos com seus uniformes completos. Isso é ótimo principalmente para quem quiser conhecer as equipes originais do mangá que não ganharam tanto destaque no anime.

Por fim, também não foi confirmado se será possível selecionar alguns dos clubes europeus e sul-americanos que fazem parte da carreira de alguns jogadores japoneses. Por mais que essa seja uma ideia um pouco mais distante, seria legal poder jogar com Piemont, San Jose, Catalunya, entre outros.

Hora de entrar em campo

Um dos grandes chamarizes deste game será seu modo carreira, chamado de Episode: New Hero. Nele será possível criar seu próprio personagem, ingressar em uma escola, fazer parte do seu time e aumentar o nível de amizade com outros personagens. A afinidade poderá ser aumentada de acordo com as opções escolhidas durante diálogo. O mais interessante é que um dos principais objetivos é derrotar o Nankatsu, equipe de Tsubasa.

São poucos que ousam colocar o jogador em um papel próprio mais livre, contra o protagonista ou personagem principal.  Talvez isso abra um leque de possibilidades interessantes, tal qual os já citados FIFA e PES, onde um jogador criado pode seguir qualquer rumo livremente e não tomar um caminho já estabelecido por uma narrativa fechada.


Entretanto, os fãs mais saudosistas podem ficar tranquilos. O jogo também contará com um modo história focado na carreira de Tsubasa, que relembrará suas grandes disputas em seu caminho pelo mundo da bola.

Outra proposta interessante de Rise of New Champions é a possibilidade de jogar partidas em rede com até quatro jogadores ao mesmo tempo, em duas duplas. Além disso, é possível customizar uma equipe inteira, desde o uniforme (camisa, shorts e chuteiras) até os jogadores que irão compor o seu esquadrão.


O que pode ser preocupante é que, como se trata de um jogo com animações para cada habilidade especial, talvez as partidas se tornem um tanto quanto exaustivas caso não haja alguma maneira de limitar essas habilidades ou desligar as animações, para deixar tudo mais fluido. Isto pode se agravar ainda mais nas jogatinas online em situações de conexões instáveis. Logo, um dos maiores atrativos visuais do jogo pode se tornar um de seus maiores problemas.

Seria um sonho contar com a dublagem de um título tão icônico para nós brasileiros, mas infelizmente sabemos que não podemos contar com isso, visto que diversos lançamentos recentes da Bandai Namco contaram com nada além de legendas para o nosso idioma. O que nos resta agora é esperar pelo dia 28 de agosto, data em que poderemos reencontrar Tsubasa e seus amigos mais uma vez para torneios cheios de emoção até o apito final.


Captain Tsubasa: Rise of New Champions: PC/PS4/Switch
Gênero: Futebol
Lançamento: 28/08/2020
Expectativa: 4/5
Revisão: João Pedro Boaventura


é pai do próximo Batman, tio de uma princesa e viúva da Sega. Só sabe jogar títulos de luta, se mata frequentemente em FPS e adora uma velharia (que todo mundo agora gosta de chamar de retrô). Ah, ele está esperando até agora pelo Ridge Racer dessa geração também.


Disqus
Facebook
Google