Jogamos

Análise: One Piece: Pirate Warriors 4 (Multi) é uma experiência musou renovada, divertida e robusta

Baseado na obra de Eichiro Oda, o quarto jogo da série Pirate Warriors proporciona uma das melhores experiências do gênero.

Depois da decente, mas ainda a desejar, terceira entrada da série em 2015, recebemos uma grande evolução na experiência musou de One Piece este ano com One Piece: Pirate Warriors 4. O quarto título da série traz uma jogabilidade renovada, modos de jogo intensos e uma campanha caprichada para quem adora as aventuras de Luffy atrás de seu objetivo de se tornar o Rei dos Piratas.

Revivendo uma gigantesca história

Surgindo como mangá em 1997, One Piece é uma das poucas séries que continuam sendo publicadas, ou exibidas na TV, desde que foram lançadas, como Naruto ou Dragon Ball, e detém até mesmo um recorde no Guinness como a série em quadrinhos com a maior soma da tiragem de todos os volumes já produzidos por um único autor

O anime, exibido no Japão desde 1999 pela emissora Fuji TV, é tão notório quanto a versão em mangá, ultrapassando a marca de 900 episódios. Assim, não é novidade pra quase ninguém que estamos falando aqui de uma das séries japonesas mais longevas da história. Em One Piece: Pirate Warriors 4, a Koei Tecmo teve a difícil tarefa de adaptar tudo o que já foi exibido no Log Dramático, a campanha principal do jogo.


Neste modo, jogamos em níveis que reproduzem as principais localidades e acontecimentos de One Piece. Desde a revolta de Alabasta, um dos primeiros arcos da série, até o País de Wano, que conta aqui com uma história original escrita por Eichiro Oda, já que o arco ainda está acontecendo no anime. Os principais objetivos consistem nos mesmos de qualquer outro título do gênero musou: a conquistar e defender territórios enquanto derrota determinados inimigos e chefes nos vários mapas, muitas vezes imensos, destas localidades.

Os fãs mais exigentes vão sentir falta de locais que estiveram presentes em outros jogos, em especial no anterior. Não há níveis em Skypiea, Thriller Bark e Impel Down, visto que, com a quantidade de acontecimentos ocorridos na série até então, a Koei Tecmo optou por representar apenas os mais significativos da história, como Alabasta, Enies Lobby, Sabaody e Dressrosa, além de Whole Cake e Wano, os mais recentes da série.


Entretanto, a falta destas localidades em forma de níveis jogáveis não foram ignorados, pois agora são retratadas em cutscenes durante o jogo. E ao contrário do anterior, desta vez os diálogos entre as cenas foram substituídos das imagens estáticas com balões de texto por animações, dando uma impressão maior de que realmente estamos assistindo o anime. Um método convidativo até para os novatos ou para quem quer relembrar os acontecimentos da série.

Navegando de várias formas

Além do Log Dramático, há mais dois modos que estendem bastante nosso tempo dentro do título. No Log Gratuito, temos a mesma seleção de níveis do Log Dramático, mas com a comodidade de poder jogá-los com qualquer um dos personagens já disponíveis. Uma forma eficiente de conquistar os ranks mais altos nos níveis que só podem ser jogados com personagens pré-determinados no modo principal.

Os níveis do Log Gratuito são limitados aos que já foram concluídos no Log Dramático, ou seja, se você passou por um nível que só pode ser jogado por Luffy ou Zoro, você poderá jogá-lo posteriormente neste modo com o personagem que você quiser, incluindo personagens que não existiam naquela época, de acordo com a história.


O Log do Tesouro é o terceiro modo de jogo, composto por muitos níveis adicionais em vários mapas. Aqui, além de poder jogar com qualquer personagem, o objetivo é conquistar recompensas que só estão disponíveis neste modo. É o equivalente ao Dream Log/Nightmare Log do game anterior, mas com uma estrutura de níveis mais organizada na hora de selecioná-los e concluí-los. O recomendável é jogar neste modo após fechar, pelo menos, o Log Dramático. Isso acontece por conta do novo sistema de evolução de personagens.


É possível jogar localmente com mais um amigo em qualquer um dos Logs em modo cooperativo em tela dividida. A cooperação se estende para o modo online, permitindo que até quatro jogadores, em mapas selecionados, joguem simultaneamente no Log do Tesouro. Também pode-se escolher criar uma sessão ou então buscar por alguma já existente, com base em parâmetros de seleção, como o nível que deseja jogar ou o objetivo que deseja, como conseguir Rank S ou apenas coletar moedas e upar seus personagens.


Em todos os modos, somos levados a uma tela de pré-batalha antes de cada nível, onde acessamos os objetivos da missão, detalhes do campo de batalha, mapa de evolução de personagens e outras customizações, como áudio e controles. Ao participar de uma sessão online, é possível também verificar detalhes dos companheiros de batalha, como tempo jogado e quantidade de personagens e berries adquiridos.

Pirataria musou renovada

One Piece: Pirate Warriors 4 possui elenco composto por 43 personagens jogáveis, onde a maioria é desbloqueada no decorrer da história ou atendendo determinados pré-requisitos, como acumular uma quantia total em berries, derrotar muitos inimigos ou conseguir o Rank S em uma quantidade de níveis. Ao finalizar o Log Dramático, uma quantidade considerável deles já se torna jogável, embora seja possível ver os pré-requisitos para desbloqueio de todos os personagens na tela de pré-batalha ou na de seleção de personagens depois de finalizar o modo história.


Alterações na jogabilidade agora tornam o jogo mais refinado e dinâmico. O tradicional movimento em dash dos antecessores, aqui chamado de Investida Furiosa, está presente novamente e é bem útil para estender os combos mas desta vez ele possui uma limitação determinada por um indicador de Vigor próximo ao personagem. Para recarregá-lo, basta se movimentar sem atacar pelo campo de batalha e ele será rapidamente preenchido.

Os comandantes e chefes possuem uma segunda barra de vida, que representa sua armadura. Ao desferir golpes contínuos no inimigo, a barra se quebra e, durante o período em que ela é reabastecida, uma oportunidade de causar dano maior surge, proporcionando até mesmo que o oponente seja lançado ao ar para receber golpes aéreos ou receber danos de efeito mais eficientes, como congelamento ou paralisia.


Uma jogabilidade mais vertical dá um novo foco para o jogo aéreo. Agora é possível pular, adicionando uma nova forma de mobilidade e incentivando o jogador a realizar combos no ar, muito úteis em grande parte do game, em especial contra os oponentes gigantes. Com a mobilidade aumentada (proporcionada com os pulos), as Investidas Furiosas também podem ser utilizadas no ar para estender os combos fora do chão, além de servirem de uma grande ajuda na movimentação pelo campo de batalha.

A classificação por tipo é outra novidade, identificando o estilo de luta dos personagens, bem como suas vantagens liberadas ao ativar a Investida com Força Total, habilidade que amplifica as habilidades do combatente, além de acelerar seus movimentos e ataques. São quatro:
  • Tipo Poder: Inimigos golpeados criam uma onda de choque ao cair no chão ou atingir uma parede, causando dano adicional. Ao ativar a Investida com Força Total, causam mais dano. Luffy, Jimbei e Kaido são alguns dos personagens deste tipo.
  • Tipo Velocidade: Ao ativar a Investida com Força Total, consomem menos Vigor, podendo realizar combos mais longos. Sanji, Ace e Katakuri são alguns dos personagens deste tipo.
  • Tipo Técnica: Possuem um foco maior em habilidades que causam efeitos nos inimigos, como congelamento, queimadura, paralisia ou sonolência. Ao ativar a Investida com Força Total, os efeitos são fortalecidos. Usopp, Aokiji e Hancock são alguns dos personagens deste tipo.
  • Tipo Céu: Possuem combos aéreos mais eficientes. Ao ativar a Investida com Força Total, eles permanecem no ar, diminuindo sua chance de receber dano e o consumo de vigor é reduzido. Marco, os membros da Germa 66 (Reiju, Ichiji, Niji e Yonji) e Crocodile são alguns dos personagens deste tipo.
Os personagens gigantes são classificados da mesma forma, mas possuem como vantagem seu tamanho e habilidades que proporcionam um enorme poder destrutivo no campo de batalha. Em contrapartida, estão mais suscetíveis a receber dano de hordas de inimigos por conta de seus tamanhos imensos. Barba Branca, Big Mom e Kaido são os principais representantes deste grupo.


Outra novidade é a forma como os personagens equipam suas habilidades especiais. No jogo anterior, cada personagem contava com uma quantidade fixa de habilidades que não podiam ser alteradas. Em One Piece: Pirate Warriors 4, temos uma liberdade maior ao selecionar quais habilidades especiais podem ser utilizadas por cada combatente, tornando o gameplay mais dinâmico, permitindo que você deixe seu lutador favorito bem do jeito que você gosta.

Cada personagem pode ser equipado com até quatro habilidades diferentes, ativadas ao segurar o botão de ombro direito e um dos quatro botões de ação, e devem ser abastecidas realizando ataques para que fiquem disponíveis para uso em batalha. O número de estrelas exibido em cada ícone determina o quão rápido é o carregamento das habilidades, sendo uma estrela para as que se abastecem mais rapidamente e quatro para as que demoram mais.



Além disso, alguns contam com habilidades que transformam os combatentes temporariamente. Para exemplificar, vamos usar o Luffy, que é do tipo Poder. Ao ativar o Gear Second, ele se torna um combatente do tipo Velocidade. Posteriormente, ao ativar o Gear Fourth: Boundman, ele assume características do tipo Céu. Outro que conta com essa mudança, mas de forma permanente, é Sanji. Seu tipo, no início do jogo, é Velocidade. Ao chegar no Arco do Novo Mundo, Sanji muda suas habilidades e passa a ser do tipo Céu, mas no caso dele é possível selecionar o tipo alterando o traje usado na batalha.


O sistema de evolução de personagens em One Piece: Pirate Warriors 4 também foi reformulado, apresentando um formato que favorece seus personagens como um todo e individualmente. A árvore de habilidades é ilustrada como o mapa de um grande arquipélago de ilhas, com pontos representando os tipos de atributo (Vida, Vigor, Ataque e Defesa), sequências de combo maiores, novas habilidades especiais e habilidades passivas que podem ser equipadas por quaisquer personagens jogáveis, que também possuem dois mapas adicionais para evolução individual. O primeiro é obtido automaticamente ao desbloquear o personagem no jogo, enquanto o segundo é liberado quando ele tem seu nível de tripulação elevado.



Um ponto positivo nesse novo sistema é que um novo personagem liberado para jogar já conta, automaticamente, com todas as melhorias já ativadas no mapa de evolução, fazendo-o ser facilmente usável já no momento em que ele é disponibilizado. Caso ele seja do agrado do jogador, existe a liberdade de aprimorá-lo individualmente, aumentando seus status e liberando suas habilidades únicas.

O nível de tripulação é elevado quando você conclui uma missão com o personagem que selecionou para jogar e com determinados personagens em seu exército, desde que não sejam derrotados em batalha. Cada um recebe o segundo mapa de evolução ao atingir o nível 4 e, ao atingir o nível máximo, o jogador recebe como recompensa uma moeda de raridade superior. Alguns personagens também recebem trajes adicionais quando elevam seu nível de tripulação.



Durante o game, você adquire berries — o dinheiro em One Piece — e moedas dos inimigos, que são usadas para comprar os aprimoramentos no mapa. As moedas mais simples são coletadas ao conquistar territórios e derrotar comandantes nos campos de batalha. As de maior valor são obtidas ao concluir níveis com os respectivos personagens como aliados, ou derrotando-os quando estes fazem parte do exército inimigo. As mais valiosas são obtidas ao concluir estágios nos três modos de jogo e ao elevar ao máximo o nível de tripulação do combatente, como citado no parágrafo anterior.


Os mapas agora são maiores e mais detalhados, contando também com vários elementos destrutíveis, como barris, barracas, prédios, muralhas e torres. A maioria deles tem uma função puramente estética, demonstrando o poderio dos lutadores nas batalhas mais intensas, enquanto alguns poucos compõem elementos de missão, como derrubar torres de vigilância ou muros que impedem o avanço do seu combatente e de aliados no mapa.

Algumas coisas deixaram a desejar

O modo online de One Piece: Pirate Warriors 4 apresentou — pelo menos até a data da publicação desta análise — um problema técnico muito peculiar que me impediu de testá-lo nos primeiros dias após o lançamento. Toda vez que tentava me conectar a uma sessão de online, cerca de 70% das vezes eu conseguia me conectar à sessão de alguém e jogar, mas ao tentar criar uma sessão de jogo própria, me era apresentada uma mensagem de erro em todas as tentativas.

Ao pesquisar sobre esse erro, descobri que o defeito ocorria pois o matchmaking do título conflitava com uma função da PlayStation Network, fazendo com que os jogadores que possuíssem algum contato bloqueado não conseguissem criar sessões. Ao desbloquear todos os jogadores do perfil da PSN, as funções online começaram a funcionar perfeitamente.

Tomei a liberdade de trazer até um vídeo ilustrando o problema e como resolvê-lo, caso você também esteja com dificuldades ao acessar o modo online. Aparentemente, esse problema só ocorre para os jogadores do PS4 e uma atualização com melhoria da estabilidade da rede foi disponibilizada pela Bandai Namco na semana da publicação desta análise.


Outro ponto é a questão da câmera, que assume ângulos bem ruins, principalmente em momentos de batalha mais acalorados. Sinceramente, eu já esperava algo assim por conta da intensidade de ação que os produtos desse gênero sempre proporcionam, mas ainda acho importante pontuar, principalmente para quem é novo em musou.

Novamente, a Bandai Namco mostrou um pouco de desleixo na localização do jogo para o nosso idioma. Uma bola fora, ainda mais neste que é o primeiro título da série Pirate Warriors que recebe este tratamento para o público brasileiro. Dos erros detectados na localização, estão palavras traduzidas com erros de concordância, idiomas de legendas sendo trocados para o espanhol e até confusão na grafia do nome de um dos personagens, escrita de uma forma na seleção de personagens e de outra nas legendas e menus.

No geral, uma ótima adição à série

One Piece: Pirate Warriors 4 mostra mais uma vez porque é uma das melhores séries de jogos dos Piratas do Chapéu de Palha. A experiência de ação dos piratas no gênero musou é uma das que melhor apresenta o que One Piece tem a oferecer em quantidade e qualidade. Nesta quarta entrada temos mais do que uma sequência, mostrando um produto mais refinado tecnicamente e graficamente, com jogabilidade fácil e agradável, divertido, mas desafiador para quem gosta de jogar com dificuldade elevada.

Trata-se de uma ótima recomendação dentro do gênero musou, se mostrando um título robusto que rende muitas horas de diversão. Além de ser excelente como jogo baseado em um anime, saindo da mesmice dos games de luta em arena 3D, que não andam tão interessantes atualmente. E o modo online, mesmo com a peculiaridade apresentada na versão para PS4, se mostrou muito eficiente e útil para acelerar o ritmo de crescimento dos seus personagens. Se Luffy deseja ser o Rei dos Piratas, One Piece: Pirate Warriors 4 é um forte candidato para ser o Rei dos Musou.

Prós

  • Trilha sonora empolgante;
  • Grande quantidade de personagens jogáveis;
  • Personagens gigantes são muito divertidos de controlar;
  • Modo cooperativo local e online;
  • Jogabilidade melhorada em relação aos antecessores;
  • Novo sistema de evolução de combatentes se mostra bem eficiente;
  • Ótimos modos de jogo, estendendo bastante a vida do título.

Contras

  • Modo online apresentou problema técnico bem específico no PS4;
  • Câmera com ângulos ruins em momentos intensos;
  • Localização em português com erros.
One Piece: Pirate Warriors 4 – PC/PS4/XBO/Switch – Nota: 8.5
Versão utilizada para análise: PS4
Análise feita com cópia digital cedida pela Bandai Namco Entertainment
Revisão: João Pedro Boaventura


Tecnólogo em Gestão Ambiental, produtor do BlastCast e sincero até demais. Jogador casual de muitos e hardcore em poucos. Adora jogos multiplayer que causam discórdia e fogo no parquinho. @XelaoHerege


Disqus
Facebook
Google