Jogamos

Análise: Fight'N Rage (Multi) traz socos e chutes com uma qualidade impecável

Beat' em up inova com sistema de combos e longa lista de desbloqueáveis, e ainda mantém o charme característico do gênero.

De tempos em tempos, todo gênero precisa de um título que ajude a revitalizar suas características. Fight'N Rage (Multi) veio para dar novos ares aos bons e velhos beat' em ups, unindo elementos clássicos e adições criativas. Lançado para PC em setembro de 2017, o game finalmente chegou aos demais consoles da geração, mostrando que é uma ótima pedida para quem quer um desafio com clima de arcade.

Retro bom gosto

Tudo bem que visuais inspirados nas eras 8-bit e 16-bit já estão sendo usados à exaustão desde a geração passada, mas ainda assim eles têm lá seu charme. Além dos sprites desenhados a mão, Fight'N Rage traz um visual que fará os mais saudosistas se lembrarem com alegria de Streets of Rage. Ou seja, personagens coloridos, vários inimigos que se parecem, mas com diferentes padrões de cores, e cenários um pouco mais sombrios, que ajudam a aumentar o clima de caos durante o quebra-quebra. Ainda é possível adicionar filtros visuais para aumentar a sensação de se estar em uma cabine de fliperama. É possível ver a diferença nas duas imagens abaixo:


Já a trilha sonora traz a assinatura do músico uruguaio Gonzalo Varela. As guitarras embalam cada soco com energia e parecem até aumentar o frenesi causada pelo ritmo do jogo. É o famoso casamento perfeito entre rock'n roll e pancadaria. Para quem quiser conferir o trabalho dele, as faixas musicais do game estão disponíveis no Spotify.

Sopapos sofisticados

O esquema desse estilo é manjado por gerações de jogadores mundo afora, então como deixar essas mecânicas convidativas? Com combos, é claro! Gal, F. Norris e Ricardo contam com uma lista invejável de ataques e combinações que ocasionam até explosões em seus inimigos, espalhando seus ossos para todos os lados, mesmo que os comandos básicos ainda assim se resumam a três botões. Cada um deles possui sua sequência específica de ataques, combinações e agarrões e quanto maior a variedade de golpes usados, mais pontos são acumulados. Outra técnica que dá o ar da sua graça é o parry, ou "aparo", que consiste em interromper o ataque adversário e abre uma brecha para um revide certeiro. Dominar esse movimento é fundamental, principalmente contra os chefões.

O jogo propõe que você descubra os combos na raça, mas em alguns minutinhos de jogatina aparece um modo de treino, disponível para compra. Nele é possível passar por três níveis de complexidade, que te recompensam com uma faixa. Caso seja rápido o bastante nos combos mais avançados, o jogador recebe a famigerada faixa preta. Além dele, também estão disponíveis outros modos clássicos como Survival, Time Attack e Score Attack. Também tem um divertido Battle Mode, onde os outros personagens desbloqueados podem ser utilizados em combates um contra um, no melhor estilo Street Fighter II.

Outra diversidade bastante notável é a de inimigos, mesmo replicando a técnica do palette swap (personagens iguais com cores diferentes). São dezenas de criaturas enchendo a tela e fazendo a alegria de quem adora distribuir cascudos em hordas que não terminam. Juntar os diferentes ataques com levas incessantes ajuda a manter o ritmo de jogo frenético, independente da dificuldade. O único problema que pode ocorrer é se perder um pouco nos direcionais com criaturas aparecendo dos dois lados da tela ao mesmo tempo, mas nada que um pouco de prática não dê jeito. Vale citar que por se tratarem de animais mutantes, muitos deles trazem referências à diversos astros dos filmes de ação em seus nomes, movimentos, roupas e colorações.

Quebrando o cofrinho

Existem muitos modos de jogo para serem desbloqueados, além de personagens, roupas, etc. Para isso usa-se moedas ganhas ao final de cada jogada. Quanto maior a dificuldade, menor a quantidade de pontos necessários para ganhar uma moeda. É aqui que estão as duas maiores dores de cabeça do jogo. A dificuldade, mesmo no fácil, não é nada amistosa com quem não tem intimidade com beat' em ups. Logo, aquela diversão de fechar a aventura mais de uma vez para juntar moedas e conferir os diferentes finais de cada personagem pode se transformar em uma tarefa chata.

Isso leva ao outro pequeno problema. Juntar as benditas moedas leva um tempo considerável de jogatina e a quantia ganha é bastante desproporcional para a quantia gasta. Por isso, se quiser liberar todas as roupas, personagens e modos, prepare-se para passar uma boa parte do seu dia esmurrando uma galera considerável.

Vai com ódio mesmo!

Fight'N Rage veio para mostrar que é totalmente possível revitalizar um "gênero antigo" com uma boa dose de conteúdo e dedicação. É um jogo que, apesar de não ser amistoso com os iniciantes, diverte muito a ponto de ser essencial para os amantes de beat' em ups. Para quem quer entrar de cabeça nesse mundo, esta é a porta de entrada perfeita.

Prós

  • Diversos modos de jogo;
  • Muito conteúdo para ser liberado;
  • Modo de treinamento bastante completo;
  • Excelentes visuais e trilha sonora.

Contras

  • Grau de dificuldade pode assustar jogadores novatos logo de cara;
  • Inimigos aparecendo de vários lugares ao mesmo tempo pode gerar uma certa confusão;
  • Juntar muitas moedas para comprar cada item da loja leva bastante tempo.
Fight'N Rage — PC/PS4/Switch/XBO — Nota: 9.5
Versão utilizada para análise: PS4
Revisão: Ives Boitano
Análise feita com cópia digital cedida pela Blitworks

é pai do próximo Batman, tio de uma princesa e viúva da Sega. Só sabe jogar títulos de luta, se mata frequentemente em FPS e adora uma velharia (que todo mundo agora gosta de chamar de retrô). Ah, ele está esperando até agora pelo Ridge Racer dessa geração também.

Comentários

Google
Disqus
Facebook