E3 1995 e os jogos do momento pela primeira vez em Los Angeles

Embarcamos em um jatinho do tempo e revisitamos as maravilhas da E3 1995, palco de anúncios do Virtual Boy, PlayStation, Sega Saturn e muitos jogos de peso.

20 anos se passaram desde a primeira E3, em 1995. Uma data de ouro não podia passar despercebida sem uma grande comemoração. E, relembrando os velhos tempos, estreamos no GameBlast, até a chegada da E3 2015, uma série de posts que fazem menção às E3s passadas, desde o seu surgimento, em Los Angeles no ano de 1995, até os dias de hoje. Muita coisa já rolou por lá, e iremos trazer a você, leitor, as principais novidades da indústria, fatos e características que enchem os olhos dos gamers retrô mais aficionados. Prepare-se para muitas fotos, vídeos e informações da época. Curta a viagem e boa leitura!

O início da diversão na cidade Angelina

Desde antes da invasão gamer nos EUA, os eventos focados em videogames já faziam febre entre os entusiastas da indústria. Grandes eventos de informática, eletrônica e tecnologia em geral, tais como a SCES, Consumer Electronics Show, Space World, European Computer Trade Show, para citar algumas, ditavam as normas e envolviam diversos anúncios tecnológicos. Contudo, hoje há um nome forte no mercado, mas que muitos devem desconhecer seu surgimento.
Visão externa da SCES, uma das maiores feiras de tecnologia na época
A Electronic Entertainment Expo, ou E3, traria a ideia de reunir, em um evento de cunho internacional, os principais membros da indústria dos games. Ela serviria de espaço oficial para divulgar lançamentos, estreitar relações de negócios e ser a líder no segmento mundial. Na época, Los Angeles era a capital cultural e de negócios nos EUA, o palco perfeito para grandes anúncios, coletivas, negociações e espaço de testes para a imprensa. Sua organização ficou a cargo da Entertainment Software Association (Interactive Digital Software Association na época), representante comercial e responsável pelos direitos intelectuais, políticas e relações públicas nos EUA.

E3 1995, que venham os jogos

Los Angeles Convention Center
A primeira E3 foi realizada de 11 a 13 de maio de 1995. O local cedido para acontecer a feira foi o Los Angeles Convention Center, um espaço de 67.000 m² onde ocorrem diversas exposições e eventos de grande porte. Situado a poucos metros de Hollywood, o espaço abrigaria pessoas famosas do mundo todo, entre expositores, jornalistas, CEOs de empresas, atores, músicos e os desenvolvedores mais renomados da indústria. Até o astro do pop, Michael Jackson, apareceu em um dos dias do evento.

Dividido em 5 dias, os dois primeiros da E3 eram destinados às coletivas de imprensa, cujos Tom Kalinske, da SEGA, Steve Race, da Sony e Howard Lincoln, da Nintendo divulgaram as novidades para o resto do ano. Os três dias restantes, assim como é hoje, eram destinados à feira, de fato, e isso ainda era pouco, tamanha variedade a ser vista. Entre muitas e muitas andanças, cosplays, mulheres em apresentações coreográficas, filas quilométricas, comemorações, jogos em primeira mão, tantas e tantas novidades gamer podiam ser conferidas em uma completa maratona.
Visão aérea dos estandes na E3 1995. nostalgia pouca é bobagem
35 companhias estiveram presentes para compor esta E3, entre elas (segure a nostalgia) estavam a 3DO Company, Acclaim, Accolade, Activision, Apple, Atari, Berkeley Systems, Bethesda, Software, BMG Interactive, Capcom, Crystal Dynamics, Data East, Disney Software, Electronic Arts, Gametek, GT Interactive, GTE Interactive, Interplay, KOEI, Konami, LucasArts, Microsoft, Mindscape, Namco, Nintendo, Philips Interactive Media, SEGA, SNK Home Entertainment, Sony PlayStation, Sony Imagesoft, Sunsoft, US Gold, Vic Tokai, Virgin Interactive, Williams Entertainment. Cerca de 40 mil pessoas visitaram a exposição, o que excedeu as expectativas e a fez se tornar, de imediato, um grande sucesso.
Conferência da Sony na E3 1995 já atacando as concorrentes

Nintendo aposta suas fichas em grandes títulos e em “console virtual 3D”

A E3 1995 serviu de porta de entrada para muitas empresas novas, mas também para aquelas que já se mostravam em outros eventos há um certo tempo, como a Nintendo, que já costumava apresentar suas novidades em uma feira exclusiva à sua marca, a Nintendo Space World, que acontecia em Tokyo, geralmente no final do ano, e permaneceu de 1991 até 2001.
World of Nintendo, espaço dedicado à empresa na E3 1995
Dentre as novidades na apresentação, o Projeto Ultra 64 foi anunciado e teve seu lançamento adiado para o próximo verão. Em seu lugar, a Nintendo concentrou esforços em um portátil que parecia promissor: o Virtual Boy. Gunpei Yokoi e os demais figurões da Big N estavam lá para ajudar as pessoas a entrar de vez na realidade 3D super inovadora da época. A Nintendo mostrou também o Q-sound, um controle para SNES com dois alto-falantes estéreos.

Entre os grandes títulos de sucesso apresentados na feira, a Nintendo arrasou com o Donkey Kong Country 2: Diddy's Kong Quest (SNES), Donkey Kong Land (GB) e EarthBound (SNES). Já dentre os jogos Third Party para os consoles da empresa, também estavam disponíveis espaços com demonstrações de Chrono Trigger, Dracula X e Parodius, todos para o SNES. Dançarinas embalavam o momento na área destinada ao jogo Killer Instinct (SNES). A divulgação do game foi um sucesso absoluto e palavras não seriam suficientes para descrever tamanha emoção:

[Killer Instinct Dance Floor]

Havia um quarto do Main Hall todo dedicado ao estande da Nintendo, com cerca de 100 estações de SNES e Game Boy, além de uma área reservada aos Virtual Boy. Ainda, diversas mulheres, as “Nintendetes”, estavam dispostas a ajudar os visitantes com sua graça e carisma. Festas e mais festas completariam o pacote, dividindo espaço entre jornalistas, famosos e membros da indústria. Quer coisa melhor?

[Estande da Nintendo na E3 1995]

A SEGA também disputa o jogo

O estande da SEGA ficou localizado no South Hall, em um grande espaço, dividindo lugar entre as maiores como a Sony. Antes da feira, a empresa havia anunciado uma bomba. Seu mais novo console, o Sega Saturn, não seria mais lançado no ocidente em setembro daquele ano, ele já estaria disponível nas lojas a partir daquele dia.

[Anúncio do Sega Saturn na E3 1995]

Ainda na mesma conferência, diversos jogos em 3D puderam ser vistos, como Panzer Dragon e Virtua Fighther. O game Vectorman (Genesis) era um dos disponíveis para jogar, assim como o Virtua Cop, um jogo para Arcade, da SEGA, que alcançou a alcunha de ser um dos mais disputados para ser jogado, apresentando grandes filas em todos os dias da feira.
Michael Jackson aproveita para jogar um pouco de Virtua Fighter

A estreante Sony e seu PlayStation

Polygon Man
Iniciando de forma independente no mercado gamer, a Sony apresentava alguns títulos de peso após a transmissão de sucesso de seu novo console, o PlayStation. Assim geralmente faz ao demonstrar o processamento gráfico de seu mais novo aparelho, com o intuito de mostrar as capacidades deste, ela apresentou um personagem curioso poligonal, que demonstrava grande parte das capacidades do novo aparelho e que atendia pelo nome de Polygon Man, um ser que, por pouco, não foi o mascote da empresa.

Em uma grande estande em formato de disco de madeira, com uma breve introdução aos visitantes, e pedidos de lealdade para que pudessem entrar, a Sony formava o seu espaço na E3 1995. Títulos de peso eram mostrados, como Ridge Racer, a sensação da vez, e Battle Arena Toshinden e Twisted Metal, que estavam disponíveis para teste.
Uma das maiores e mais caras, a Booth da Sony na E3 1995 ressaltava a alta tecnologia em um design clean
Após a SEGA anunciar o preço de seu novo console, o Saturn, a US$ 399, a Sony interveio com munição na mão e o módico valor de US$ 299 para o seu PlayStation, deixando o público que assistia em êxtase, e iniciando assim uma guerra que perdura até hoje.

[Sony PlayStation (8:45)]

Aspectos gerais e visionários

Ainda falando em consoles, a SNK também divulgava o seu NEO GEO CD nesta data e outras empresas também mostravam os novos consoles, como o 3DO. Outras empresas, como a Apple e a Microsoft, mostravam que a feira ainda possuía resquícios das feiras de tecnologias, daquelas não focadas totalmente em games, dispondo de novidades tecnológias do mercado na área da computação.
Mapa da South Hall na E3 1995
Espaço da Atari destinado ao Jaguar VR
A Acclaim também estava forte no evento com o segundo maior espaço no Main Hall. Títulos como Batman Forever e Judge Dredd faziam parte do pacote. Sam Tramiel, da Atari, que possuía um estande pequeno, também anunciava o seu Jaguar VR, que incluía, além do controle, um headset e um dispositivo adicional de CD.

Era tudo festa. Algumas empresas, como a 3DO, contrataram líderes de torcida do San Diego Chargers para o anúncio de um novo jogo de futebol. Entre um dos pontos altos do evento, era o game Mortal Kombat 3, disponível para testes no estande da Williams Entertainment, que fazia sucesso. Contando até com um showzinho de cosplayers (quando esse nome ainda nem existia), o game era o que se chamava “dahora” naquele momento.

[Show de Mortal Kombat]
Em suma, a primeira edição da E3 serviu para consolidar e tornar este uma referência para a indústria gamer. Anúncios bombásticos nesta área sempre serão divulgados aqui, e as empresas se esforçarão ao máximo para trazer aos gamers e jornalistas o maior hype que eles poderiam ter nesta data, com jogos de peso e detalhes bem otimistas. Uma boa organização e aceitação levariam ao sucesso da marca, tornando-a forte e construindo a sua posição neste cenrário.

[E3 1995 Geral]

E aí, como foi reviver estes tempos áureos da indústria do entretenimento eletrônico? Conte-nos o que mais lhe agradou na E3 1995 nos comentários. Seguiremos esta série de artigos com a E3 1996, palco de muitas novidades, como o Nintendo 64 e o Game Boy Pocket, além dos novos jogos para os sistemas dedicados da SEGA e da Sony. Até mais!
Confira todos os anos de E3: 1995, 1996, 1997, 1998, 1999, 2000, 2001, 2002, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2008, 2009, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014, 2015.

Revisão: Vitor Tibério
Capa: Felipe Fabricio

Jaime Ninice é cravista, formado pela UFRJ, e mestre em música na mesma instituição. Sua paixão por games, eventos e revistas o levou a escrever e revisar artigos desde 2010 no @Blast. Hoje é redator das publicações impressas sobre retrogames WarpZone.me

Comentários

Google
Disqus
Facebook