Blast from the Past

Worms Armageddon (Multi) é o ápice da franquia cheia de maluquices e destruição

Vamos relembrar este game de estratégia que marcou época pela sua originalidade e diversão.

Dentre os inúmeros tipos e títulos diferentes de jogos de estratégia, certamente a série Worms é uma das mais originais. E considerando os vários lançamentos da franquia, Worms Armageddon (Multi) se destaca dos demais com sua grande quantidade de conteúdo, belos gráficos e mecânicas de jogo sólidas e, sobretudo, divertidas. Marcas características da série, esses elementos foram elevados ao mais alto padrão de qualidade neste longevo game, conforme vamos conferir em mais um Blast from the Past.

Uma série com tradição

O primeiro título da franquia foi Worms (Multi), lançado em 1995 e que estreou boa parte das mecânicas principais dos jogos. Para quem não sabe, as partidas ocorrem da seguinte forma: dois times compostos por pequenas minhocas devem se enfrentar utilizando diversas armas e equipamentos diferentes. Vence a equipe que conseguir eliminar todos os adversários, seja reduzindo a vida deles a zero ou então os tirando do cenário.
A arte conceitual do primeiro Worms é bem diferentes dos atuais
Worms foi inspirado em títulos como Lemmings (Multi), um game de estratégia e plataforma, e Scorched Earth (Multi), jogo de combate por turnos. Assim, temos combates em cenários que proporcionam opções para as minhocas saltarem e buscarem cobertura, mas sempre tentando obter uma boa posição para atacar os adversários, principalmente com armas de longa distância. Cada personagem tem uma rodada para realizar um ataque, então é preciso pensar bem antes de agir.
Nada como uma saudável disputa de Worms Armageddon com os amigos
No primeiro título, o visual do game era mais “realista”, com personagens e texturas mais rústicos. Foi somente em Worms 2 (PC), lançado em 1997, que a série recebeu o seu visual cartoon, até hoje uma marca registrada da série. Worms Armageddon, inicialmente planejado como uma expansão de seu predecessor, chegou no PC no começo de 1999, com versões para Dreamcast e PlayStation no mesmo ano e para Game Boy Color e o Nintendo 64 no começo de 2000.

Dentre elas, certamente a versão para computadores foi a mais popular, tanto por ter chego antes quanto por oferecer mais recursos, como conexão com a internet e diversas customizações extras. A chegada do game na Steam em março de 2013 aumentou ainda mais o seu alcance para novos públicos. E esse longevo sucesso se deve, na minha opinião, a dois fatores principais: acessibilidade e originalidade. Armageddon conseguiu elevar o nível de qualidade da franquia a um nível até hoje único, com mecânicas de jogo intuitivas e divertidas, tanto para jogadores casuais quanto para veteranos. Seu design engraçado e inovador, da dublagem aos cenários, passando por missões e armas, fecha o pacote de um título marcante. E se lembrarmos que desde os cenários até os bancos de áudios podem ser customizados, as possibilidades do game aumentam ainda mais.
Alguns cenários personalizados, que podiam ser obtidos via internet, proporcionavam partidas épicas
Basta olhar para as ótimas notas recebidas pelo game na Steam, por exemplo. Dentre todos os títulos de Worms disponíveis, ele é o mais bem avaliado e procurado. Seu sucesso promoveu, inclusive, atualizações recentes para o game. Em setembro de 2018, foi liberado um patch de compatibilidade com o Windows 10. Ou seja, Armageddon recebe suporte há praticamente 20 anos, o que demonstra o carinho dos fãs pelo game.

Arsenal para ninguém botar defeito

Certamente um dos maiores atrativos de Armageddon é o conjunto de armas que ele oferece para os jogadores. Das clássicas bazuca e granada até as poderosas bomba banana e ataque dos carneiros franceses, o arsenal à disposição para explodir os adversários é longo, proporcionando várias estratégias diferentes para os jogadores. Ou seja, atendendo ambos os estilos defensivos e ofensivos.

Minha arma favorita é (e sempre será) o super carneiro, uma versão heroica da bomba carneiro que pode ser controlada livremente pelo ar. Mas se engana quem pensa que as partidas são meros tiroteios malucos: o game também oferece equipamentos como jetpacks, cordas ninja e até maçaricos, tornando cada rodada uma nova chance para o jogador mudar sua estratégia na busca da vitória. Fatores como vento e itens aleatórios que podem cair no cenário dão uma pitada interessante de imprevisibilidade nas disputas.

Todas as armas tem um visual legal e original, com destaque para as baseadas em animais (estou olhando para você, asno de concreto). Falando nisso, os gráficos como um todo são bastante bonitos e coloridos, dando um charme único para o game. Embora inicialmente pareçam meio infantis, eles encaixam muito bem com as premissas do título, sobretudo com as minhocas e suas expressões. Os cenários também merecem destaque, com texturas mais caprichadas e temáticas únicas.
Muitas opções para detonar durante as partidas
E no mesmo patamar de qualidade de todos os outros elementos do jogo está o trabalho de som. Músicas de fundo, efeitos especiais e vozes das minhocas são excelentes, dando o tom perfeito para as partidas. Afinal, nada mais legal do que o mugido da bomba vaca ou o grito de desespero das minhocas ao caírem de um penhasco. E nenhum lugar é melhor para se experimentar todos esses recursos do que as partidas multiplayer.
Armageddon apresenta modo local, que flui muito bem em um sistema de turnos que não exige hardware extra, e online, através do sistema WormNet. Ambos tem grande quantidade de customizações, permitindo aos jogadores escolher força das armas, número de turnos, tempo para realizar a jogada, elementos aleatórios do cenário, e muitas outra possibilidades. Seja dividindo um computador ou através da rede mundial de computadores, este jogo é perfeito para curtir (ou brigar) com os amigos.

Várias possibilidades de jogar

Mesmo que as partidas multiplayer online e local sejam o grande destaque em Armageddon (e na série Worms como um todo), o título também proporciona outros modos de jogo bastante interessantes. Eles ainda utilizam as mesmas mecânicas básicas, mas através da mudança de objetivos, cenários e inventário essas variações oferecem opções divertidas para o jogador.

Seja na busca de alguma variação das partidas ou então no aperfeiçoamento das suas habilidades, temos o modo de disciplinas de treinamento. Nele, temos desafios com condições específicas como coletar todas as caixas pelo cenário utilizando apenas a corda ninja dentro de um intervalo de tempo, ou então acertar vários os alvos a partir de um ponto fixo e com arsenal limitado. Mesmo não sendo propriamente combates, mas são tão divertidos quanto.
A disciplina de treino do super carneiro é muito divertida
Obter medalha de ouro nos rankings desses desafios libera novas armas e opções no game. Já o modo “campanha” consiste em uma série de missões que são liberadas conforme são vencidas. Elas até contam uma historinha antes de cada partida, mas o que interessa é colocar o jogador para enfrentar uma equipe de minhocas inimigas sob condições desafiadoras. Assim como nos treinamentos, conseguir boas classificações pode liberar novos itens e cenários.
O taco de beisebol permite acertarmos belos home runs
Dentre todos os modos, o meu favorito é o Deathmatch. Ele consiste em um sistema de partidas que aumenta progressivamente de dificuldade. Se nas primeiras batalhas enfrentamos equipes pequenas com nível baixo de dificuldade, nas finais vemos nosso time ficar em (muito) menor número contra inimigos de alta precisão. A cada nova vitória, recebemos um título, que vai desde “principiante puro” até “elite”.
Worms W.M.D trouxe muitas inovações, mas sem esquecer as boas mecânicas de Armageddon
Para terminar, vale ressaltar que vários novos lançamentos da franquia se inspiraram diretamente em Armageddon. Embora elementos como armas e modos de jogo pudessem ser citados, existem dois exemplos bem relevantes. O primeiro é Worms 2: Armageddon (Multi), lançado 2009 como continuação de um remake do título original. Já o segundo, e mais interessante, é Worms W.M.D. (Multi), de 2016, que utiliza um gameplay praticamente idêntico ao Armageddon original.

Um jogo de estratégia original e divertido

Presente na indústria dos games há 20 anos, Worms Armageddon tem uma base fiel de jogadores e fãs, sendo até hoje reconhecido como o melhor da série. Derrotar minhoquinhas fofinhas com armas nucleares, carneiros explosivos e vasos chineses pode até parecer loucura (e talvez seja), mas o título é sólido o bastante para fazer o jogador encarar tudo com naturalidade e diversão. Com tantas qualidades, Armageddon será sempre um clássico atemporal.
Uma explosão de diversão em Worms Armageddon
E você, leitor? Já jogou o divertido Worms Armageddon? Qual era a sua arma favorita? Deixe a sua opinião.
Revisão: Raphael Barbosa

é redator do site GameBlast desde maio de 2018 e um grande fã da décima arte, embora não tenha muito tempo disponível para ela. Seus games favoritos (que formam uma longa lista) incluem: Kingdom Hearts, Guitar Hero, Zelda, Crash, FIFA, COD, Pokémon, MvC, Yu-Gi-Oh, Resident Evil, Bayonetta, Persona, Burnout e Ratchet & Clank.

Comentários

Google
Disqus
Facebook