Blast from the Trash

Perca a paciência nesse jogo feito por sádicos. Conheça (e odeie) Cat Mario

Todo gamer que se preze deve conhecer Mario. Porém, poucos devem ter ouvido falar de sua versão mais hardcore no mundo dos games, Cat Mar... (por Unknown em 18/10/2013, via GameBlast)


Todo gamer que se preze deve conhecer Mario. Porém, poucos devem ter ouvido falar de sua versão mais hardcore no mundo dos games, Cat Mario. E não, não estamos falando do personagem vestindo sua mais nova roupa de gato em Super Mario 3D World. Nos referimos a um gatinho branco com um olhar singelo que pula tão alto e corre mais rápido que o famoso encanador vermelho. O problema é que ele precisa enfrentar inimigos e desafios muito mais complicados que qualquer tarefa já encarada por Mario. Se você algum dia achou que os jogos do bigodudo eram difíceis, as aventuras de Cat Mario definitivamente lhe farão pensar duas vezes antes de reclamar da vida do encanador do Reino do Cogumelo.

É tipo Mario...Só que não

Também conhecido como Shobon no Akushon, em japonês, Cat Mario é um jogo de plataforma 2D dsenvolvido pela Chiku em 2007. Ele foi lançado para PC de forma gratuita e, além do site oficial do jogo, é possível encontrá-lo disponível em muitos outros locais da rede. Com um visual que lembra muito o clássico do encanador vermelho para NES, Super Mario Bros, o game põe o jogador no controle de um gato branco que precisa atravessar fases para… Bem, para nada exatamente. Ele apenas precisa correr, pular e desviar de inimigos e obstáculos até chegar ao fim do nível. Fácil não é? Não.”Fácil” é a palavra mais inadequada para descrever esse jogo.

Bem-vindo ao inferno...
O protagonista dessa aventura, Cat Mario, um personagem que parece o meme de algum site de humor desenhado parcamente no Paint. Os inimigos que estão espalhados pelos níveis também não diferem muito desse visual simplista. Parecendo que saíram de uma tigela de leite, prepare-se para encontrar bolas brancas com rostos ameaçadores, bichos que saltam de canos e muitas outras coisas que podem surgir dos lugares mais inesperados. Tudo isso em uma paisagem tão simples que mais parece a periferia do Reino da princesa Peach.

Blocos, adversários e pulos. Isso parece muito familiar. Mas aqui, nada parece ser o que é.
Tudo bem, o design e visual podem não ser excelentes, mas a jogabilidade certamente é o diferencial, não é mesmo? Sim, ela possui uma característica única: ser extremamente difícil. Longe de ser apenas a adaptação de um título clássico da Nintendo, o jogo possui possui um nível de dificuldade absurda dos estágios e dos obstáculos que aparecem pelo caminho desse inusitado herói de quatro patas. Blocos invisíveis ou que se movem com o pulo do personagem, plataformas em queda, passagens falsas e até armadilhas disfarçadas de power-ups são apenas alguns dos perigos que aguardam qualquer desatenção do nosso herói.

Inimigos, obstáculos e desafios absurdos por todos os cantos.
Mas apenas ter tantas armadilhas não torna o jogo tão difícil, pois o principal problema está no fato delas funcionarem exatamente quando personagem se aproxima. Assim, é bastante complicado conseguir evitá-las ou antecipar os movimentos. Isso fica horrível e muito frustrante quando se está para completar a fase e, do nada, um raio atinge o pobre gatinho e o mata. Nesse momento, só resta recomeçar o estágio pelo ponto de checkpoint ou gritar em desespero.

Finalmente o poste e o final do estágio. Ha! Pense duas vezes!

Um desafio sem sentido

Você percebe o quão difícil e chato Cat Mario é quando morrer se torna algo constante. E para lembrar como você joga mal, o contador de vidas não para no zero, mas continua decrescendo até os números negativos. Acredite, apenas tentando passar do primeiro nível é normal o número de vidas restantes do protagonista ser de -11, provando que esse gatinho tem muito mais que sete vidas para gastar. Claro, importante lembrar que que você só pode chegar a esse número de vidas negativas se ainda não tiver quebrado o teclado, atirado o computador na parede ou amaldiçoado todas as gerações passadas dos produtores do jogo (ou tudo isso ao mesmo tempo, se preferir).

Isso pode parecer simples, mas acredite: pode ficar muito pior.
Apesar de ser quase impossível passar da primeira fase, o título possui ao todo seis estágios. Não dá pra imaginar nem mesmo se os próprios desenvolvedores conseguiram chegar ao segundo nível, mas após tantas horas tentando cruzar um mesmo obstáculo, o jogador pode ter uma ideia de como devem ser os estágios mais avançados da aventura. Curioso perceber que a equipe de desenvolvimento programou todo o game em apenas três dias. Ironicamente, é de se duvidar que nesse período de tempo alguém conseguisse cruzar todos os níveis da aventura com nosso valente gatinho (isso porque já teria destruído o computador de raiva, claro).

Terceiro estágio do jogo... Tente chegar até aqui, se puder.

Reação típica ao jogar Cat Mario.
Cat Mario pode ser considerado uma das experiências mais estressantes e frustrantes em termos de jogos (principalmente quando você pula alto e descobre que aquela simpática nuvem é um inimigo e pode te matar). Mesmo assim, sua jogabilidade absurda nos serve de alerta sobre a dificuldade nos games das últimas gerações estar diminuindo e quase desaparecendo. O atual excesso de tutoriais, facilidades e outras características parecem nos fazer esquecer que jogos podem ser desafiantes e complicados. Ninguém iria querer nada ao estilo de Cat Mario, mas títulos realmente desafiadores são mais emocionantes, não é? Desde que você não fique com -70 de vidas no contador, obviamente...

Revisão: Bruna Lima
Capa: Daniel Silva


Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook