The Evil Dead e Resident Evil: como o filme influenciou a saga

Como o clássico de terror dos anos 80 deu vida a uma das sagas de survival horror mais marcantes da indústria de jogos


Em 1981, chegou ao mundo The Evil Dead, marcando a história dos filmes de horror, mal sabia Sam Raimi (diretor e criador da saga) que contribuiria e inspiraria a criação de Resident Evil. Mas o quanto Resident Evil recebe influências de The Evil Dead?

Tudo começa em uma cabana…

Apesar de simples, o primeiro Evil Dead consegue construir muito bem sua atmosfera e narrativa, mesmo com poucos personagens e apenas um cenário (A Cabana) e um pouco do seu entorno. A condução da narrativa com poucos personagens em um local confinado é algo presente em alguns dos primeiros títulos da saga Resident Evil (como no 1 e no 7, por exemplo). Mesmo que Resident Evil 1 se passe em uma mansão, os corredores e salas apertadas cumprem o papel de trazer a atmosfera de confinamento. Diferente da casa dos Bakers, que cria uma atmosfera ainda mais fiel ao filme.



Fotografia e ambientação são o ponto alto dessas obras

Com certeza a maior semelhança entre as obras está nesses pontos. O posicionamento de câmera em Resident Evil 1 por vezes é idêntico ao de The Evil Dead , bem como a interação entre o ambiente externo e o interno (através de janelas, por exemplo), utilização de itens de cenário para complementar o design de som e a atmosfera (como um relógio, por exemplo), entre outros fatores.

É interessante também como o filme interage com escadas, portas e objetos. Os personagens tocam, observam e exploram cada parte da cabana, exatamente como um jogador faria. O design de som e a utilização do silêncio são igualmente criados sob medida, bem como a forma ''lenta'' de subir e descer escadas, que nos jogos serve também como uma tela de loading. Assim como no filme, a lentidão também trabalha o suspense e prepara o terreno para cenas mais tensas.

Mistura entre ação e horror

Evil Dead II, de 1987, aplica muito melhor essa proposta de balancear horror com ação. Porém, The Evil Dead não fica tão atrás assim, com diversas cenas de desmembramento cheias de sangue. Tanto a violência quanto o comportamento dos inimigos, o filme lembra muito o primeiro Resident Evil, principalmente. Isso acontece pois no primeiro jogo há os Crimson Head, zumbis que o jogador já matou, mas que retornam a vida ainda mais fortes e rápidos. Essas características de inimigos que não morrem nunca estão presentes em toda a saga The Evil Dead, bem como na saga Resident Evil.



''Groovy"

A saga de Sam Raimi e Bruce Campbell (ator que dá vida a Ash Williams, protagonista dos filmes e série Evil Dead) criou algumas das mais importantes histórias do cinema, assim como uma das mais relevantes para o mundo dos video-games. Mesmo sem uma adaptação digna nas telonas, pode-se considerar que o ''melhor filme de Resident Evil é The Evil Dead''. A maior diferença é o fato de Resident Evil ser um terror mais científico (como Alien, por exemplo), enquanto Evil Dead traz demônios e possessões através do Necronomicon.



Os Resident Evil clássicos são os que mais mantém a essência dos filmes de Raimi junto a Resident Evil 7 (que teve inspiração direta na obra, como mostrado nesse Making Of em inglês). O remaster do remake do 1, Resident Evil 7 e Resident Evil 2 Remake estão disponíveis para todas as plataformas. Resident Evil Code Veronica está disponível para Xbox e Playstation (via Retro).




Infelizmente, a trilogia original ainda não foi relançada, apesar de alguns terem port para PC (como Resident Evil 2, por exemplo). Porém, há jogos e filmes o suficiente para que os ávidos fãs de horror possam aproveitar até que a Capcom lembre dos clássicos e decida trazê-los de volta. Até lá, podemos aproveitar o DLC de Resident Evil Village, bem como o remake de Resident Evil 4 que chegará em março de 2023.

Revisão: Juliana Piombo dos Santos

Graduando em Geografia, fotógrafo e colecionador de retrogames. Depois de ser introduzido aos JRPGs em 2021, tem desbravado as fantasias nipônicas da Square Enix, Nintendo, Falcom, entre outras. Alguns jogos me chamam atenção pelos motivos mais aleatórios possíveis (como o chocobo na cover art de FFV), enquanto outros apenas por ter menos 30h de duração. Acompanho o trabalho de artistas como Fumito Ueda, Miyazaki, Shimomura, entre outros. Fotografias virtuais, clipes e screenshots de quase tudo o que jogo podem ser encontrados no meu Twitter; Alguns ensaios e prévias podem ser checados no Medium; Tudo o que jogo, joguei e vou jogar (bem como várias listas) está disponível no Backloggd.
Este texto não representa a opinião do GameBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


Disqus
Facebook
Google