Meus jogos favoritos de 2019 – Mário Carvalho

Os redatores do GameBlast falam sobre os títulos que mais curtiram entre os lançamentos deste ano.


O final de ano se aproxima e com eles vem uma série de especiais divertidos aqui no GameBlast. 2019 foi um ano difícil para muitos e repleto de oportunidades, felizmente o mundo dos jogos eletrônicos permaneceu aquecido e trouxe excelentes títulos para desfrutarmos. Poder olhar para trás e relembrar experiências que nos marcaram é um exercício interessante e será um prazer compartilhá-lo aqui com vocês.

Menção Honrosa – Bloodborne


Nem só de lançamentos é feito o ano de um jogador. No meu caso, peguei o PlayStation 4 mirando títulos como God of War e Death Stranding, mas venho me surpreendendo cada vez mais com outras pérolas do console. Bloodborne (PS4) foi um desses títulos que me cativaram no primeiro contato. Uma jogabilidade consagrada por outros títulos da FromSoftware, dessa vez mais rápida e frenética através de um combate que preza a agressividade do jogador, ao contrário dos jogos da série Souls que premiavam atitudes cautelosas. Fora isso, temos uma ambientação tenebrosa que vai de bosques sombrios à cidades caóticas inspiradas na Londres vitoriana. Tudo isso para dar base a uma trama envolta em mistérios e segredos que levaram muitas mentes sãs ao delírio e que agora residem guardados por criaturas que parecem ter saltado da coletânea de histórias de H.P. Lovecraft. Assim como eu, se você ainda não deu uma chance para o jogo, prepare suas armas para a noite da caçada!

8 - The Surge 2


Fiquei muito feliz com o resultado apresentado em The Surge 2 (Multi). Desde o estreante Lords of the Fallen que os jogos da Focus Home Interative vem sendo diminuídos injustamente a simples cópias de Dark Souls por algumas críticas infundadas. A desenvolvedora vem se esforçando para trazer ainda mais identidade para seus títulos e isso fica evidente em The Surge 2. O jogo traz sim elementos da jogabilidade da série Souls, mas para por aí. Uma mecânica divertida de decepar membros dos inimigos somada a um enredo caótico ambientado em um futuro distante faz desse jogo uma ótima opção para os que curtem as franquias do gênero.

7 - Monkey King: Hero is Back


Monkey King: Hero is Back (PS4/PC) é baseado na animação de mesmo nome lançada em 2017 retrata muito bem a história de Sun Wukong para o videogame e consegue explorar aspectos da jornada de redenção do Rei Macaco que ficaram de fora de sua fonte inspiradora. Acompanhar o arrogante Dasheng, o corajoso Liuer e o leal Zhu Bajie em sua aventura para recuperar as crianças sequestradas enquanto damos cabo das criaturas malignas com o bom e velho Kung-Fu é uma experiência divertida e que nos insere em um ambiente muito rico da cultura chinesa. Inclusive, é curioso ver interpretações de elementos que inspiraram obras como Dragon Ball de Akira Toriyama.

6 - Mortal Kombat 11


Poucos jogos conseguem se manter interessantes em meio a muitas continuações. Enquanto muitos caíram no marasmo da repetição e queda na qualidade, a NetherRealm Studios se sobressai aos demais em Mortal Kombat 11 (Multi). O título faz a união perfeita do clássico jogo de luta que conquistou uma legião de fãs com um moderno sistema de combate e um enredo incrível que amarra todas as pontas soltas deixadas pelos dois últimos jogos. Customizar a aparência e os golpes dos seus lutadores favoritos é uma experiência prazerosa e que fica ainda melhor com aquele Fatality bem dado nos seus amigos!



5 - Crash Team Racing Nitro-Fueled


Meu primeiro contato com Crash Team Racing Nitro-Fueled (Multi) foi no remake lançado nesse ano. Confesso que jogos de corrida nunca foram o meu foco, sendo Super Mario Kart (SNES) e Need for Speed Underground (Multi) alguns dos poucos títulos que joguei bastante. Com Crash Team Racing foi amor logo de cara: personagens carismáticos da série, um divertido sistema de derrapagem, os famosos itens coletáveis para causar ódio nos rivais e pistas muito bem construídas e bonitas. A Activision fez o dever de casa ao trazer uma excelente opção para aqueles que não podem desfrutar da franquia Mario Kart, já que o jogo de corrida do hilário Bandicoot não deixa a desejar em nenhum aspecto para os seus rivais.

4 - Oninaki


O RPG de ação com visão isométrica foi sem dúvida nenhuma o enredo que mais me impactou em 2019. Ao abordar a questão da morte e o sentimento de luto, algo muito presente na vida de todos, a Tokyo RPG Factory soube criar momentos chocantes e que nos levam a muita reflexão. Aliado a isso, Oninaki (Multi) traz um sistema de combate simples, inspirado em jogos como Diablo III (Multi) e a novidade dos Daemons: antigos guerreiros que tombaram carregando certas mágoas, mas que não sucumbiram a ponto de se tornarem criaturas conhecidas como fallens. Conhecer seu passado e desbloquear todas as suas habilidades é uma tarefa que vai agradar a muitos fãs de RPG e incrementar ainda mais a experiência durante as dungeons.

3 - Death Stranding


O tão aguardado título de Hideo Kojima chegou em outubro desse ano e causou muita polêmica, dividindo opiniões entre os jogadores por sua mecânica fora do comum. No meu caso, eu realmente apreciei a proposta do jogo e isso resultou em uma experiência que, sem dúvidas, marcou meu ano de 2019. A possibilidade de fazer construções e deixar itens que você sabe que serão proveitosas para a outros jogadores é uma tarefa recompensadora e instiga um valor que está perdido nos últimos anos, principalmente aqui no Ocidente. A Kojima Productions trabalhou para criar um universo totalmente original e denso para dar embasamento para todas as ideias de seu excêntrico diretor. Tudo isso fica ainda mais acentuado graças ao trabalho impecável dos atores selecionados para dar vida aos personagens de Death Stranding (PS4).

2 - Star Wars Jedi: Fallen Order


Considero esse o grande acerto da EA em 2019 em um ano que a publicadora não conseguiu ter muita presença na indústria de jogos. O título baseado na famosa franquia de filmes criada por George Lucas se insere entre a primeira e segunda trilogia cronológica de filmes. Aqui tomamos o controle do jovem Cal Kestis, um Jedi em fase de treinamento que teve o azar de pegar o pior momento da fase dos nobres guerreiros: a Ordem 66, que determina o exermínio de todos os Jedi. Traumatizado pelos eventos que dizimaram grande parte da ordem Jedi, partiremos na missão de reconstruí-la e reatar seu laço com a força. Tudo fica ainda melhor na prática por conta da jogabilidade que lembra o combate estratégico da série Souls e a movimentação dinâmica de Uncharted, colocados no contexto Star Wars...preciso dizer mais alguma coisa? 

1 - Borderlands 3


Sem dúvida alguma o jogo mais aguardado na minha lista desse ano. A série Borderlands me ganhou desde sua estreia na sétima geração de consoles. Seu gameplay rápido, personagens carismáticos e enredo divertido conquistaram muitos jogadores ao longo dos anos. Borderlands 3 (Multi) traz o ápice de tudo isso: tiradas hilárias, uma história interessante que dá continuidade a sequência de eventos mostrados nos últimos jogos e novos caça-arcas para o show. O característico sistema de loot está mais elaborado e traz uma quantidade absurda de armas e equipamentos para incrementar seus tiroteios. A evolução dos nossos aventureiros está ainda melhor com inúmeras opções de builds e habilidades ainda mais destruidoras para você e seu player 2 dizimarem as hordas dos Filhos da Arca. É diversão garantida e a Gearbox Software promete muito conteúdo adicional para tornar a experiência cada vez melhor.



Esses foram os jogos que abrilhantaram meu ano de 2019. Alguns desses jogos também fizeram parte da sua jogatina nesse ano? Compartilhe sua lista conosco nos comentários. Aproveite para conferir também os jogos dos últimos redatores: Farley Santos e Pierry Alexander.

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook