Top 10

The King of Fighters XV: 10 veteranos com potencial para retornar na nova iteração da franquia

Décimo quinto game da série está previsto ainda para 2021.


Desde o anúncio oficial de The King of Fighters XV, a SNK vem fazendo revelações semanais a respeito dos lutadores que integrarão o elenco da décima quinta edição de sua mais popular série de luta. Enquanto já foram confirmados alguns nomes que eram praticamente certos, como Kyo, Iori, Shun’ei, Mai Shiranui e Terry Bogard, também tivemos uma grata surpresa a respeito de alguns veteranos que retornaram para a vindoura iteração, como o trio Orochi — Yashiro, Shermie e Chris — e Chizuru Kagura. 


Abrem-se, então, algumas especulações a respeito do perfil que o jogo assumirá, sendo uma delas a possibilidade de contar com poucos novatos para dar preferência ao retorno de vários veteranos, principalmente após uma experiência muito bem-sucedida de incluir alguns nomes desse naipe como pacotes de DLC da edição XIV do game (a exemplo de Blue Mary, Vanessa e Rock Howard). Dessa forma, elencamos alguns personagens do passado que merecem retornar para a franquia, alguns mais prováveis, outros menos, mas todos ainda com lenha para queimar e que com certeza agregariam um valor positivo à composição geral do próximo título da série. 

10. Ash Crimson

Mesmo tendo sido apagado da existência após os acontecimentos de The King of Fighters XIII, durante a saga Contos de Ash, o legado de Ash Crimson ainda se fez presente no enredo da sequência, visto que o colapso no espaço-tempo provocou justamente o nascimento da entidade conhecida como Verse, além de o lutador em questão ter sido insinuado como ainda vivo (por conta da derrota do chefe). Deixou, inclusive, um gosto de “quero mais” ao nos fazer imaginar como seria ele lutando ao lado de sua rival e amiga Elisabeth Blanctorche — que não figura na nossa lista de forma efetiva, mas que também poderia estar presente sem problema algum. 

9. Wolfgang Krauser

Wolfgang Krauser é o meio-irmão de Geese Howard em Fatal Fury e que chegou a figurar apenas na versão base da edição de ‘96 do game, além de revisões posteriores, como a ‘98 Ultimate Match. Embora se acredite estar vivo, nunca mais se ouviu falar a seu respeito desde sua participação no torneio, quando integrara o time ao lado de Mr. Big e de seu irmão, Geese. Apesar disso, seria bastante interessante se The King of Fighters XV decidisse trazê-lo novamente em uma reunião do Time dos Chefes.

8. Adelheid Bernstein

Existe um único motivo para querer que Adel seja jogável no KOF XV: presenciar a relação dele com Rugal, seu pai (que também figura mais adiante nesta lista), nem que seja aquele pouco que nos é apresentado durante as cinemáticas de encerramento do game e nos diálogos antes e depois dos combates. Considerando toda a mística por trás da existência de Rugal, seria interessante demais entender um pouco da faceta mais humana do vilão, explorando a relação dele com seus filhos. 

7. Jhun Hoon

Convenhamos: Kim Kaphwan é um lutador interessante, mas ele sempre contrastou demais com seus parceiros de time clássicos, Chang Koehan e Choi Bounge. Numa tentativa de corrigir essa anomalia, ele recebeu dois colegas completamente novos para a franquia, Luong e Gang-il. Embora ambos sejam personagens bacaninhas, ainda não houve química entre eles. A verdade é que a solução mais simples para isso seria trazer de volta Jhun Hoon, um velho conhecido de Kim e dos jogadores da franquia. O personagem, que apareceu primeiramente na edição ‘99 e retornou posteriormente nas de 2000, 2002 e 2003, seria a peça que está faltando para o equilíbrio. 

6. Igniz

Um dos líderes da NESTS, a organização do mal que serve de antagonista das edições ‘99, 2000 e 2001, Igniz só esteve presente no título de conclusão da saga e da edição seguinte, de 2002, que serviu como uma grande reunião dos personagens que já passaram pela franquia. Derrotado canonicamente por K' depois de ter assumido o cartel, após o assassinato de seu líder original, Nests, já foi constatado que a alma do vilão havia sido absorvida por Verse, o chefão da edição XIV do game. Uma vez libertada com a derrota da entidade, a própria condução narrativa atual da franquia nos traz esperanças suficientes para acreditarmos em seu potencial retorno. 

5. B.Jenet

Considerando a popularidade crescente de Rock Howard, filho de Geese, desde que ele pintou como um personagem DLC da edição XIV da franquia, seria bastante interessante se ele voltasse em XV e resgatasse suas origens em um time de Garou: Mark of the Wolves. Dito isso, alguém que certamente poderia ser sua colega de equipe é a pirata B. Jenet, que inclusive já foi incluída anteriormente, na décima primeira iteração da franquia crossover, ao lado de Tizoc e Gato. Levando em conta seus objetivos que normalmente são puramente financeiros, outra alternativa é colocá-la no time feminino ao lado de Mai Shiranui e Yuri Sakazaki, uma vez que ambas já foram anunciadas e King, que tradicionalmente fecha a equipe ao lado das duas, agora está no time de Art of Fighting, como já anunciado.

4. Alba Meira & Soiree Meira

Alba Meira e Soiree Meira são os dois irmãos protagonistas da relativamente ignorada subsérie Maximum Impact, a primeira incursão 3D da franquia da SNK. Considerando que o slogan da décima quinta edição do game é “Shatter All Expectations” (em português é algo como “estilhace todas as expectativas”), seria realmente surpreendente se a SNK trouxesse um time formado por três representantes do elenco dessa IP paralela, com algum outro lutador além de Alba e Soiree, como Luise Meyrink ou Lien Neville. Ressalta-se que a Maximum Impact, antes de seu cancelamento, deixou algumas pontas no ar a respeito dos irmãos e da relação de ambos com a entidade conhecida como Judeim. Seria uma boa oportunidade para concluir o arco de história em questão.

3. Mr. Big

Originalmente derivado de Art of Fighting, Mr. Big compareceu apenas ao torneio promovido na edição de ‘96 de The King of Fighters, se considerarmos apenas as aparições na série principal (além da edição Ultimate Match do ‘98). A questão é que o mafioso em questão ainda tem certas pendências a serem quitadas por conta dos acontecimentos decorrentes de sua única participação em 1996, quando ele se sentiu usado por Geese Howard, líder de sua equipe, como apenas uma peça de suas maquinações envolvendo o poder de Orochi.

Mr. Big, então, jurou que um dia iria voltar para cobrar o que lhe é devido. Em The King of Fighters XIV, o personagem até faz uma participação especial na sequência de encerramento do time de South Team, o que pode ser um indício de seu retorno. Apesar de pouco presente, o criminoso é bastante característico por conta de seu estilo de luta singular usando tonfas, tornando-se um favorito dos fãs. 

2. Goenitz

Goenitz foi o chefão original de The King of Fighters ‘96 e um dos oito arautos de Orochi que, em seu tempo, buscou identificar a localização dos três tesouros sagrados capazes de selar o poder de seu mestre. Embora tenha vencido Kyo em um embate individual, acabou sendo derrotado por Kusanagi quando este se juntou a Iori e Chizuru, o que o levou a cometer suicídio. Além da edição de ‘96, Goenitz é jogável em determinadas versões da edição 2002 da série, além de aparecer como striker na de 2000. Em The King of Fighters XIV, o vilão também foi um dos que tiveram a alma libertada após a derrota de Verse, como insinuado na sequência de encerramento de Kukri.

1. Rugal Bernstein

Considerado o vilão mais clássico da franquia, Rugal foi o primeiro responsável por organizar os torneios KOF em sua concepção, com a edição ‘94, como uma forma de encontrar lutadores poderosos espalhados pelo mundo. Sendo eventualmente derrotado por Kyo Kusanagi, ele sobrevive por conta do poder da entidade Orochi, o que permitiu o seu envolvimento com a edição ‘95 da competição. Desde então, ele se tornou uma espécie de epítome do que representa um chefão final, retornando nas edições de reunião em ‘98 e 2002 (em sua forma Omega Rugal) apenas com essa finalidade de servir como o inimigo supremo.

Assim como outros antagonistas, foi constatado que sua alma estava aprisionada na entidade Verse, o que leva a crer que, com a derrota dela na edição XIV, seu retorno seja uma possibilidade. Dessa vez, uma das possibilidades de seu retorno que contemplamos é como um participante ao lado de suas secretárias Mature e Vice, já que o parceiro recorrente delas, Iori Yagami, está integrando uma equipe juntamente com Chizuru Kagura e Kyo Kusanagi.

Revisão: Ives Boitano

É jornalista formado pelo Mackenzie e pós-graduado em teoria da comunicação (como se isso significasse alguma coisa) pela Cásper Líbero. Tem um blog particular onde escreve um monte de groselha e também é autor de Comunicação Eletrônica, (mais um) livro que aborda história dos games, mas sob a perspectiva da cultura e da comunicação.


Disqus
Facebook
Google