Jogamos

Análise: Marvel’s Spider-Man 2 (PS5) redefine seu gênero com uma aventura imperdível

O exclusivo do PlayStation 5 mostra todo o poder do console com um jogo que esbanja méritos técnicos e criativos.

Lançado em 7 de setembro de 2018, Marvel’s Spider-Man marcou o início do memorável retorno de um dos maiores super-heróis da cultura pop mundial ao mundo dos videogames. Recebido com aclamação tanto pela crítica quanto pelo público, este jogo trouxe à tona um novo aranhaverso concebido pelas mentes criativas e competentes da Insomniac Games. Como o saudoso Benjamin Parker costumava dizer, "Com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades".

Dois anos após seu lançamento, em novembro de 2020, com a chegada do PlayStation 5, Marvel’s Spider-Man: Miles Morales, um spin-off com cara de continuação, expandiu ainda mais esse fabuloso universo ao introduzir o novo Homem-Aranha. Este jogo brilhou intensamente, oferecendo uma aventura tão impressionante e memorável quanto a de seu antecessor. Além disso, ele deu pistas sobre o que o futuro reservava para a franquia.


Agora, em 2023, temos a oportunidade de voltar a Nova York e balançar entre centenas de arranha-céus em uma das maiores jornadas baseadas em um universo que teve origem nos quadrinhos. Marvel’s Spider-Man 2 não chegou apenas para se estabelecer como o melhor do gênero, mas também para demonstrar o poder da nova geração de jogos, oferecendo um produto praticamente perfeito, tanto em termos técnicos quanto artísticos. Exploraremos com mais detalhes este grandioso projeto na análise a seguir.

Um sonho de curar o mundo

A trama de Marvel’s Spider-Man 2 se passa nove meses após os eventos de Marvel’s Spider-Man: Miles Morales. Peter e seu parceiro e amigo Miles continuam a atuar incansavelmente como vigilantes de Nova York, combatendo crimes menores e outros que escapam até mesmo da competência da polícia.

A rotina dos nova-iorquinos está prestes a sofrer uma mudança drástica com a chegada de um novo grupo criminoso à cidade: os Caçadores. Seu líder, Kraven, é um homem implacável que está determinado a caçar os principais vilões da cidade em uma campanha que ele descreve como sua última caçada. Apesar de serem vilões, Peter não pode simplesmente permitir que eles sejam mortos como presas por Kraven. Isso leva ele e Miles a arriscarem suas vidas para salvar aqueles que já prenderam.

Paralelamente, outro evento importante surpreende Peter Parker: seu amigo de infância, Harry Osborn, está curado de uma doença misteriosa e retorna a Nova York para convidar o velho colega de escola a se juntar a ele em uma fundação de pesquisa e desenvolvimento científico. Juntos, eles planejam criar tecnologias que, segundo o jovem Osborn, o ajudarão a realizar seu sonho de curar o mundo.


Mesmo com o perigo constante representado por Kraven e seu grupo de caçadores, Peter vê nessa oportunidade a chance de realmente fazer a diferença e mudar sua vida, contribuindo para o bem não apenas como o Amigo da Vizinhança, mas também como um jovem que sonha em construir um futuro ao lado de sua amada Mary Jane Watson.

Por outro lado, o jovem Miles Morales enfrenta os dilemas típicos de quem está saindo da adolescência e deseja tornar seus sonhos realidade: entrar na faculdade, ter uma namorada e, nas horas vagas, combater criminosos como o novo Spider-Man.


No entanto, a oportunidade de melhorar consideravelmente suas vidas é interrompida por uma revelação que alterará o curso da história de Nova York e testará ainda mais o senso de justiça e heroísmo de Peter e Miles. Harry revela que a razão pela qual sua doença está controlada é devido a um organismo parasita alienígena chamado Simbionte. Essa criatura é consciente e age como uma mente coletiva, manipulando seus hospedeiros com o simples objetivo de sobreviver, mesmo que isso custe algumas vidas.

Em certo momento, Peter é infectado pela criatura e começa a perder as virtudes que o tornam um bom amigo, herói e companheiro. Miles desempenha um papel fundamental na história ao trabalhar para trazer seu mentor de volta e juntos enfrentarem a crescente ameaça que o Simbionte representa para a cidade, usando Harry como peça central em um complexo jogo de ganância por poder.


Durante a aventura, somos agraciados com um roteiro memorável que destaca ainda mais as qualidades de nossos dois heróis, bem como de outros personagens que demonstram por que o Spider-Man é o herói que Nova York sempre precisou. Como espectadores, continuamos a admirar a personalidade e a profundidade que nossos protagonistas adquiriram ao longo dos anos neste universo criado pela Insomniac.



Uma Nova York com cara de nova, mas ainda bem familiar

A "Grande Maçã" continua a ser o nosso playground em Marvel’s Spider-Man 2. A recriação de uma das cidades mais icônicas do planeta atinge seu auge graças ao minucioso trabalho de desenvolvimento realizado pela Insomniac, que mescla locais reais da cidade com pontos inspirados no universo dos quadrinhos e das séries do Spider.

Desta vez, não estamos limitados a balançar apenas pela região de Manhattan. O Brooklyn e o bairro onde Peter cresceu, o Queens, também estão entre as novas localidades disponíveis para explorar na cidade. É claro que se deslocar por entre os imensos arranha-céus de Nova York ainda é a forma mais ágil e emocionante de locomoção pelo mapa.

Com um sistema de física aprimorado, que pode ser ajustado para se tornar o mais realista possível, podemos chegar a praticamente qualquer ponto da metrópole, realizando manobras que tornam nossas travessias divertidas. Além disso, os Spiders contam com melhorias em seus trajes que lhes permitem planar por longas distâncias, agilizando ainda mais a movimentação.


Se você tem pressa, o impressionante sistema de viagem rápida pode levá-lo a qualquer ponto da cidade em questão de segundos. Quando uma região já possui essa funcionalidade disponível, basta marcar o local desejado no mapa, segurar um botão e ser transportado quase que instantaneamente. É uma funcionalidade tão rápida que mal dá tempo de se ajeitar na cadeira.


Da mesma forma, a troca de personagens é igualmente ágil. Algumas missões são específicas para Peter ou Miles; portanto, é necessário alternar entre eles em determinados momentos. A transição entre os dois heróis durante a aventura é feita de forma suave, por meio de um simples corte de cena, contribuindo para não quebrar muito o ritmo da gameplay.

As denúncias de crimes, favores prestados aos cidadãos por meio do aplicativo Spider-Man Amigo da Vizinhança (SMAV) e as missões secundárias e principais são facilmente administradas e rastreadas no mapa assim que novas tarefas são acionadas. Fica a critério do jogador decidir se quer priorizar o avanço da história principal ou explorar a cidade em busca de atividades, que, aliás, são abundantes e diversificadas. Por isso, é sempre bom usar o Modo Foto para eternizar alguns momentos para guardar na memória e compartilhar com os amigos.

Estilo aracnídeo

O Spider-Man não é um mestre em artes marciais, mas sua força e agilidade sobre-humanas são fundamentais para torná-lo uma verdadeira ameaça e um obstáculo para os bandidos. Por meio de manobras acrobáticas e do uso de dispositivos especiais, incluindo os icônicos lançadores de teias, os Aranhas oferecem uma jogabilidade ágil e poderosa na hora de enfrentar os inimigos.


Além dos combos de golpes e do uso do ambiente para auxiliar no combate, os Spiders contam com habilidades únicas para lidar, principalmente, com grupos numerosos de adversários. Peter, graças à tecnologia adquirida durante seu confronto com Doc Ock, incorporou garras biônicas ao seu traje, permitindo-lhe golpear com mais força e lançar inimigos para o alto.

Miles já possui sua energia bioelétrica, o que facilita no enfrentamento de grupos de oponentes e causa danos significativos ao concentrar sua energia. Ao longo da jornada, ambos os heróis adquirem novas técnicas que podem ser adicionadas ao seu arsenal. Peter faz uso das habilidades únicas do simbionte, enquanto Miles desenvolve uma forma evoluída de seu poder Venom, que possibilita ataques mais devastadores e velozes.

Em certos momentos, a furtividade se torna necessária para evitar confrontos desnecessários ou reduzir o número de inimigos na área antes de um confronto direto. Mesmo com a pouca variedade de inimigos, se comparamos com os títulos anteriores, ainda temos um ótimo grau de desafio nos momentos de embate contra os Caçadores e, principalmente, os memoráveis duelos contra os chefes, com alguns deles trazendo apresentações cinematográficas impressionantes.

Com pontos de habilidade adquiridos ao subir de nível durante a campanha, os jogadores podem aprimorar as técnicas de luta e melhorar os trajes e dispositivos dos heróis, preparando-os da melhor maneira para enfrentar os vilões. Falando em trajes, há uma ampla variedade disponível.


A maioria deles pode ser desbloqueada usando fichas obtidas ao completar atividades pela cidade, mas alguns trajes mais exclusivos só ficam disponíveis após a conclusão de missões secundárias específicas. Essas vestimentas são inspiradas em vários momentos da história dos heróis, principalmente dos quadrinhos e dos filmes mais recentes, como Homem-Aranha Sem Volta para Casa e Homem-Aranha: Através do Aranhaverso.

Colecionar todos esses trajes é um desafio, porém não menos gratificante. Muitos deles oferecem variações de cor, permitindo que personalizemos o visual de Peter e Miles. Cabe ao jogador decidir se deseja que seus Spiders estejam mais estilosos, excêntricos ou cafonas na hora de combater o crime em Nova York.

Desempenho exemplar

Quando falamos de exclusivos, é de se esperar que aproveitem ao máximo a plataforma para a qual foram desenvolvidos — no caso, o PlayStation 5. Desde o lançamento de God of War Ragnarök, o último grande exclusivo para PS5, há quase um ano, não tivemos uma obra que realmente justificasse o investimento no console da Sony.

A prova desse potencial está no trabalho exemplar realizado pela Insomniac Games em Marvel’s Spider-Man 2. Embora já tenhamos visto melhorias em relação aos antecessores da franquia, como a versão remasterizada do primeiro jogo e Marvel’s Spider-Man: Miles Morales, é claramente perceptível que este novo título foi cuidadosamente projetado para aproveitar todas as capacidades do PS5.

Com um considerável conhecimento do console, demonstrado anteriormente em Ratchet and Clank: Em Uma Outra Dimensão, o estúdio se empenhou ao máximo para explorar o que o hardware da Sony pode oferecer quando utilizado em todo o seu potencial. Os carregamentos ultra rápidos, a integração eficaz dos recursos do controle DualSense, o desempenho notável no modo Performance e a apresentação impressionante no modo Qualidade são evidências de que o jogo realmente atinge o alto nível planejado pela equipe de direção. Esses elementos aprimoram significativamente a experiência do jogador e destacam a qualidade deste produto.

Em resumo, se até agora você ainda tinha dúvidas sobre a aquisição de um PS5 em 2023, Marvel’s Spider-Man 2 oferece uma excelente razão para se presentear com um neste final de ano. Além dos excelentes títulos já disponíveis para o console, ele se destaca como um forte candidato ao título de melhor jogo do ano de 2023 graças a um gameplay excelente, dublagem de altíssima qualidade na versão brasileira, uma trilha sonora memorável novamente assinada por John Paesano, compositor das trilhas do jogos anteriores, e uma platina sem muita dificuldade que te dará muito prazer de obter.

A falta de um modo Novo Jogo+ no lançamento pode fazer falta para alguns, mas é algo que será resolvido em breve segundo a própria Insomniac Games. Mesmo assim, o resultado ainda é impressionante, considerando que estamos falando de um ano repleto de lançamentos notáveis para todas as plataformas.

Resumindo em uma palavra? Espetacular!

Marvel’s Spider-Man 2 eleva o nível dos games baseados em heróis dos quadrinhos, estabelecendo-se como uma referência do gênero. Isso se deve a um roteiro primoroso, uma jogabilidade consistente e uma ambientação envolvente que nos mantém entretidos do início ao fim, desde o momento em que lançamos a primeira teia para o alto.

Assim como o Homem-Morcego revolucionou os jogos baseados em super-heróis, o Amigo da Vizinhança desempenha um papel fundamental em elevar ainda mais o padrão de qualidade desse gênero, sendo considerado o melhor jogo de super-heróis da atualidade.

Prós

  • Excelente roteiro, valorizando e dando espaço a todos os principais personagens da trama;
  • A trilha sonora de John Paesano continua excelente;
  • Gameplay ágil, consistente e divertida;
  • Explorar Nova York continua sendo uma atividade prazerosa;
  • A versão brasileira continua com um excelente grau de qualidade na dublagem e adaptação;
  • O modo Foto traz inúmeras funções para registrar momentos;
  • O desempenho do PS5 é exemplar, com uma excelente performance geral;
  • Platina fácil.

Contras

  • A pouca variedade de inimigos, em comparação com os jogos anteriores, causa uma sensação de repetição levemente incômoda;
  • Sem função Novo Jogo+ no lançamento.
Marvel’s Spider-Man 2 — PS5 — Nota: 10
Revisão: Davi Sousa
Análise produzida com cópia digital cedida pela Sony Interactive Entertainment

Fã de Castlevania, Tetris e jogos de tabuleiro. Entusiasta da era 16-bit e joga PlayStation 2 até hoje. Jogador casual de muitos e hardcore em poucos. Nas redes sociais é conhecido como @XelaoHerege
Este texto não representa a opinião do GameBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.