Call of Duty: relatório revela que 50 milhões de jogadores abandonaram a franquia em um ano

Recepção abaixo do esperado de Vanguard e baixo engajamento em Warzone são os principais motivos para a significativa queda na base de jogadores.


A informação consta no primeiro relatório oficial aos investidores publicado neste ano. No documento, publicado no início desta semana, a Activision Blizzard revela que que a base mensal de jogadores sofreu uma significante queda na quantidade de usuários ativos em jogos da franquia, como Warzone e Vanguard, os mais recentes e populares da atualidade.

No ano passado a base de jogadores girava na casa dos 150 milhões, e atualmente conta com apenas 100 milhões. É a maior queda no quantitativo de usuários desde o lançamento de Warzone, em 2020. Um dos principais motivos para a debandada de jogadores, segundo analistas, está ocorrendo por conta de dois principais motivos: as vendas abaixo do esperado de Call of Duty: Vanguard (Multi) e a falta de engajamento em Call of Duty: Warzone (Multi) que, vale lembrar, é totalmente gratuito para jogar, mas no último ano sofreu muito com a falta de atualizações e de conteúdos extras para manter a base de jogadores ativa.

A expectativa para a recuperação da base de jogadores pode estar nas mãos da Infinity Ward, que é considerada a desenvolvedora favorita dos fãs de longa data da franquia, que está trabalhando em uma sequência de está trabalhando em uma sequência de Call of Duty: Modern Warfare (Multi) e também está responsável por uma sequência de Warzone, os primeiros projetos que serão lançados após a aquisição da Activison Blizzard pela Microsoft.

Fonte: PC Gamer

Fã de Castlevania, Tetris e jogos de tabuleiro. Entusiasta da era 16-bit e joga PlayStation 2 até hoje. Jogador casual de muitos e hardcore em poucos. Adora quando as partidas acabam em discórdia e fogo no parquinho. Nas redes sociais é conhecido como @XelaoHerege


Disqus
Facebook
Google