Paradox Interactive: pesquisa revela condutas machistas e negligência entre os funcionários da empresa

Quase metade dos entrevistados informou ter sofrido com algum tipo de comportamento abusivo na empresa.


Mais um caso de condutas abusivas ganha a luz na indústria dos jogos eletrônicos. Depois de denúncias na Activision Blizzard, Ubisoft e Riot Games, agora é a vez da Paradox Interactive, produtora de jogos como Cities: Skylines e Crusader Kings, entrar para o grupo infame.


De acordo com uma pesquisa feita por dois grupos suecos - Unionen e Sveriges Ingenjörer - dos 133 funcionários que se prontificaram a responder um questionário (são pouco mais de 400 trabalhando na divisão da Suécia), 44% alegaram terem sofrido algum tratamento abusivo, como bullying e discriminação de gênero.

O quadro se agrava levando em conta apenas as mulheres. Entre as que responderam, 69% informaram terem sofrido alguma forma de maus-tratos (termo usado pela pesquisa), número que cai para 33% entre os homens.

Além deste cenário desagradável, existe entre os funcionários a ideia de uma "cultura do silêncio", pois os casos relatados raramente tiveram algum desdobramento maior.

Recentemente, Ebba Ljungerud, ex-CEO da Paradox Interactive, pediu demissão do cargo. Tanto a empresa quanto Ebba e o novo CEO, Fredrik Wester, negam que haja conexão entre os acontecimentos. Mas fato é que o pedido aconteceu uma semana depois do relatório da pesquisa ter sido apresentado à Ebba.


Estudante de Geografia (mas que adora Jornalismo também), aventura-se pelos games desde pequeno. Sempre admira as trilhas sonoras por trazerem tempero às histórias.


Disqus
Facebook
Google