Apagão da Twitch: streamers brasileiros organizam greve de transmissões nesta segunda-feira

Manifestantes cobram pagamentos justos da plataforma e mais transparência nos dados referentes a taxas e tributos.


Streamers brasileiros estão organizando uma manifestação intitulada Apagão da Twitch. A greve, como estão chamando, reunirá criadores de conteúdo da Twitch para não realizarem lives nesta segunda-feira (23), estendendo a ação para os espectadores pedindo que não acessem a plataforma para assistir qualquer transmissão.

A manifestação tem como principais objetivos a cobrança por valores mais justos repassados pela plataforma aos criadores e mais transparência nos dados em relação a tributações e taxas. Com a alteração dos valores das inscrições no fim de julho, não houve mudança no valor dos impostos cobrados pela plataforma referentes a tributos direcionados ao governo dos Estados Unidos, onde está a sede da Amazon, dona da serviço. O reajuste reduziu o valor das inscrições no Brasil, impactando diretamente quem gerava renda por meio das lives.

Outro grupo, a União dos Streamers (inicialmente chamado de Sindicato dos Streamers), reivindica as mesmas coisas, mas é contra a greve. Em uma nota deixam claro que são a favor "da negociação, conversa, entendimento, estudo e compreensão das demais demandas de nossa união como grupo." Em uma página oficial publicaram um manifesto e estão recolhendo assinaturas em apoio à causa para cobrar melhorias diretamente à Twitch.
A ação está dividindo opiniões nas redes sociais. A Twitch não divulgou nenhuma nota oficial em relação a este tema.

Entenda como isso começou

Em maio deste ano a Twitch iniciou uma grande renovação nos métodos de monetização por meio de inscrições na plataforma. A iniciativa tem como principal objetivo alinhar os preços cobrados para quem quer se inscrever no canal de um criador de conteúdo de acordo com cada região. O reajuste quer deixar os preços para os subs (inscritos) mais atrativos e estimular esse tipo de monetização na plataforma. Antigamente, todos os preços eram alinhados com o dólar americano, gerando valores desiguais em boa parte do mundo.

Os espectadores também podem ajudar fazendo doações diretas ou usando bits (gorjetas), que são comprados dentro da plataforma com dinheiro real. Outra opção, uma das mais vantajosas, cômodas e usadas na plataforma é o Twitch Prime, benefício atrelado ao serviço Amazon Prime. Os assinantes possuem uma inscrição de cortesia mensal para apoiar quem quiser na Twitch. Basta manter sua assinatura ativa para receber o benefício e usá-lo para apoiar seu criador de conteúdo preferido todo mês.

No fim de julho chegou a vez do Brasil e o reajuste fez o preço da inscrição de tier (categoria) mais básica baixar de R$22,99 para R$7,90. A ação impactou diretamente a renda dos streamers brasileiros, uma vez que, com a redução do valor das inscrições o repasse de valor para a empresa não sofreu alteração. Mike Minton, vice-presidente de monetização da Twitch, disse em entrevista ao GE que haveria um incentivo de renda durante 12 meses para minimizar o impacto direto do reajuste do valor das inscrições.
Fonte: @apagaotwitch (via Twitter) e União dos Streamers

Tecnólogo em Gestão Ambiental, produtor do BlastCast e sincero até demais. Jogador casual de muitos e hardcore em poucos. Adora jogos que acabam em discórdia e fogo no parquinho. @XelaoHerege


Disqus
Facebook
Google