Jogamos

Análise: Marvel’s Avengers (Multi) é o maior game de super-heróis da história e um dos melhores do gênero

Ótima campanha, multiplayer interessante e muito potencial compõem esse jogo de ação e aventura.

Dentre os muitos games esperados para 2020, Marvel’s Avengers (Multi) certamente é um dos mais comentados. Algumas razões incluem o recente sucesso dos Vingadores nos cinemas, a proposta com dois modos de jogo distintos e a polêmica envolvendo exclusividades. Seja como for, finalmente pudemos conferir esse aguardado título dos maiores heróis da Terra. Vista sua armadura, apanhe o escudo e não esqueça a máscara, pois a análise vai começar!

Uma longa e esperada produção

Inicialmente prometido para 15 de maio, o lançamento do game foi no dia 4 de setembro para PC, PS4 e Xbox One. Publicado pela Square Enix e desenvolvido pela Crystal Dynamics e pela Eidos-Montréal, Marvel’s Avengers é fortemente inspirado nas películas de sucesso, seja nos visuais dos personagens seja em elementos da história.
Não há como negar a influência da versão cinematográfica dos Avengers
Apesar disso, o game também utiliza muito material até então exclusivo dos quadrinhos, resultando em uma experiência completamente original. Como fã das histórias da Marvel e da DC, saúdo a excelente utilização do universo fictício da Casa das Ideias no título, tal como reconheço o ótimo trabalho na série Batman: Arkham e no jogo Marvel’s Spider-Man.

Marvel’s Avengers é composto, basicamente, de dois grandes modos de jogo. O primeiro é a campanha, que conta uma história de queda e ascensão dos Vingadores. O segundo é o multiplayer, que coloca jogadores ao redor do mundo para realizar missões e combater vilões em equipes compostas pelos maiores heróis da Terra.
Pronto para uma grande aventura com os maiores heróis da Terra?
A campanha é o melhor do game. A história é original e interessante, aproveitando bem vários elementos da história da Marvel, oferecendo aventuras e desafios interessantes. Já o multiplayer é um pouco mais genérico; embora tenha muitas opções e diversos atrativos, ele é fraco em relação ao conteúdo single player. Seja como for, a quantidade de conteúdo, a proposta e o potencial tornam o jogo grandioso como nenhum outro do gênero.
O menu principal deixa clara a distinção da campanha e do multiplayer (Iniciativa Avengers)
Caso o leitor já tenha conferido as nossas matérias do teste da versão beta e da prévia do game, fique tranquilo, porque todas as qualidades foram mantidas. Além disso, praticamente todos os problemas técnicos foram corrigidos ou amainados. Os únicos que realmente precisam de um pouco mais de cuidado são a eventual dificuldade em criar salas online e a taxa de quadros, embora agora só caia em ambientes realmente lotados de elementos como explosões, inimigos e raios.

Uma campanha digna das melhores histórias

A história narra a reconstrução dos Avengers (vale lembrar que os nomes em inglês foram preservados na versão brasileira), que foram obrigados a sumir ao serem culpados por uma catástrofe na cidade de San Francisco. Com o Captain America presumido morto no incidente e com as atividades meta-humanas consideradas ilegais, a organização I.M.A. começou a se espalhar pelo globo.
O game começa com o emocionante Avengers Day
Embora mostrando uma fachada amiga, a organização possui objetivos malignos, utilizando seus poderosos e numerosos robôs para realizar seus planos. Durante a catástrofe que deu fim aos Avengers, uma névoa acabou despertando poderes em boa parte da população. Os chamados inumanos, semelhante aos clássicos mutantes, são uma parte importante da história.

Dentre eles, a jovem Kamala Khan, com seus poderes polimórficos, é a protagonista. Cinco anos após o incidente, ela descobre evidências de um plano para incriminar os heróis, levando a inumana a uma grande aventura para reunir os Avengers e acabar com a I.M.A. A história flui muito bem, com boas ambientações, reviravoltas e cenas emocionantes.
O game tem vários momentos legais, como a viagem de Kamala (esquerda) e Bruce Banner
O game conta com várias interações e conversas interessantes entre os personagens. Essas situações ajudam a tornar os heróis mais humanos, com suas falhas, seus medos e suas alegrias, sobretudo dados os acontecimentos vistos na campanha. Infelizmente, Marvel’s Avengers poderia apresentar mais momentos assim, com uma abordagem menos superficial nesse quesito.

A proposta mais voltada para a ação tem seus méritos, mas desperdiça a chance de tornar os Vingadores tão convincentes quanto, por exemplo, suas contrapartes no cinema. A melhor personagem é Kamala Khan, que, com seu senso de justiça, sua humildade e uma mistura de decepção e esperança nos seus heróis, acaba elevando o tom da narrativa. Bruce Banner vem um pouco atrás, deixando os demais na média.
M.O.D.O.K. (esquerda) é o grande vilão do game, com destaque para outros nomes como o Abomination

Multiplayer: o herói e também o vilão

Após completar uma parte da campanha, o modo multiplayer é “liberado” (é possível começar antes, mas sob o risco de spoilers). Ele consiste em missões variadas nas localizações apresentadas no single player, sendo que as equipes podem ser formadas por outros jogadores online ou com a IA do game. A maioria dos desafios exige uma boa dose de cooperação, que facilita as tarefas e deixa tudo mais divertido.

Particularmente, creio que a IA é bastante razoável, ajudando muito mais do que atrapalhando durante as tarefas. Estas consistem em recuperar itens valiosos, invadir instalações e eliminar tropas inimigas. Tal como na campanha, essas missões contêm objetivos secundários que podem ser cumpridos antes do principal, rendendo mais recompensas, como quadrinhos e materiais para criar equipamentos.
Embora cosméticos como gestos,sejam legais, eles não têm apelo o bastante para sustentar o mutilplayer
A questão é que o maior problema de Marvel’s Avengers é justamente esse modo de jogo bastante divulgado pelos produtores. O multiplayer, na teoria, deveria ser uma divertida e imersiva experiência, sobretudo para depois que o jogador terminar a campanha. Na prática, ele sofre por ser repetitivo e por muitas vezes genérico, dando pouco incentivo para ser explorado.

Claro que cumprir missões para obter novos equipamentos e itens é interessante, mas não chega a ser suficiente por si só. Elas são, em maioria, pouco interessantes e acabam se tornando repetitivas rapidamente. Embora as diferentes ambientações, a possibilidade de usar vários heróis e a criação de grupos com os amigos suavizem o problema, ele ainda assim é bastante relevante.
Na prática, o multiplayer carece de momentos épicos como os vistos na campanha
Infelizmente, o multiplayer acabou prejudicando a qualidade geral de Marvel’s Avengers. O título tem a proposta mais ambiciosa dentre os games de super-heróis lançados até agora, mas acabou ficando “apenas” entre os melhores. As aspas são justas pois, mesmo sendo muito bom, ele está atrás, por exemplo, dos já citados Batman: Arkham e Marvel’s Spider-Man.

Um game com jeito de filme de cinema

Os gráficos não são os melhores que os consoles da atual geração podem fazer. Exemplos como The Last of Us Part II (PS4) e Death Stranding (Multi) estão um pouco à frente. Dito isso, Marvel’s Avengers é sim muito bonito e detalhado, sobretudo em vista da sua ambiciosa proposta. Temos muitos cenários diferentes, como florestas, tundras, cidades, desertos e instalações tecnológicas, todos bem acabados.
Mesmo não sendo top de linha, Marvel's Avengers é um belo game
Personagens são bem construídos e originais, com visuais dignos do imaginário dos fãs. Entendo que alguns jogadores considerem eles um pouco genéricos, mas acredito que isso se deva à popularidade dos filmes e de seus atores. Por exemplo: Robert Downey Jr. foi perfeito no papel de Tony Stark, sendo a referência para qualquer novo Iron Man. Em Marvel’s Avengers, o personagem apenas lembra o ator, com certo ar de “cópia barata” no primeiro momento.

Para quem é acostumado com os quadrinhos, em que cada artista tem sua visão, não será um problema. Como dito anteriormente, os personagens são bem produzidos e merecem reconhecimento. Novamente, Kamala Khan é o destaque, com Thor e Black Widow logo atrás. As demais artes do game, como equipamentos, quadrinhos e skins, também são ótimas (mais sobre elas em seguida).
Falando em quadrinhos, temos vários clássicos para colecionar
Falando um pouco do áudio do game, gostei muito da trilha sonora. Ela é épica como nos melhores filmes, sempre contemplando cada tipo de situação, como ação ou suspense, com competência. Efeitos sonoros são muito convincentes e as dublagens são excelentes. Seja você um fã do trabalho brasileiro ou das vozes originais, prepare-se para curtir um trabalho do mais alto nível de qualidade. Destaque para os dubladores tupiniquins das películas Marvel, que voltam em peso para o game.

Jogabilidade e conteúdo para fã nenhum botar defeito

Marvel’s Avengers é muito divertido de se jogar. Heróis contam com ataques leves, pesados e a distância, além de evasivas, contra-ataques e movimentos especiais. Ainda que esses elementos sejam comuns a todos os personagens, cada um deles é único, contando com mecânicas bem trabalhadas e funcionais.
Esmague todos os "vilões fracos" com o Golias Esmeralda
Em outras palavras, parece que o Captain America é de um jogo distinto do Iron Man, pois cada herói é diferente e divertido ao seu modo. Quer destruir tudo sem focar tanto nas esquivas? Então o Hulk é pra você. Que tal um combate corpo-a-corpo com direito a armas de alta cadência? Black Widow é a escolha perfeita. Ou quem sabe um equilíbrio entre ataques diretos e a distância? Thor é certamente uma ótima opção.
Bons equipamentos fazem a diferença nos combates
As possibilidades de aprimoramento de cada um dos heróis certamente são um dos pontos fortes de Marvel’s Avengers. Eles podem ser aperfeiçoados por meio de equipamentos, com vários tipos de efeitos e níveis de raridade, e três generosas árvores de habilidades. Com elas, o jogador pode direcionar os Vingadores para seu próprio estilo de combate, tornando a experiência ainda mais divertida, sobretudo ao realizar as missões em equipe.
Pequeno spoiler: Hank Pym e sua tecnologia de alteração de tamanho foram uma grata surpresa
Também temos muitas opções no quesito cosméticos: skins, placas de identificação, finalizadores e gestos especiais são alguns exemplos. Vários deles são liberados ao longo do game, conforme realizamos certas conquistas ou alcançamos certas partes da história. Por outro lado, muitos deles estarão disponíveis somente com dinheiro virtual ou passes de batalha, exigindo boas horas de jogo e dinheiro real.

Perspectivas para o futuro

Dada a quantidade de informações fornecidas para o pós-lançamento de Marvel’s Avengers, é impossível não comentar sobre elas. Embora o game já disponibilize vários personagens incríveis, diversas notícias e potenciais vazamentos apontam para muitas novidades. Uma das mais recentes é a presença de Kate Bishop, filha de Hawkeye, o Gavião Arqueiro.

O arqueiro vingador, inclusive, será mais próximo das suas versões nos quadrinhos. O personagem mais esperado, entretanto, é o espetacular Spider-Man. O herói aracnídeo, anunciado em meio à polêmica de ser um exclusivo do PS4, certamente é uma adição de peso. Afinal, ele é tão famoso quanto os demais Avengers, além de ter poderes muito interessantes para serem implementados no game.
Todos no aguardo da chegada do herói aracnídeo a Marvel's Avengers
Para terminar, os produtores de Marvel’s Avengers já confirmaram que o título irá receber suporte por muitos anos. Ele virá em diversas formas, como os já comentados novos personagens e, principalmente, grandes eventos e atualizações. Embora essas promessas não sejam garantidas, os recursos investidos e o visível potencial do game sugerem que elas realmente virão. Essas novidades podem, por exemplo, resolver os problemas do multiplayer e, de quebra, adicionar mais campanhas incríveis.

Pronto para gritar “Avengers, assemble!”?

A expectativa para Marvel’s Avengers (Multi) era enorme. No final das contas, ela foi atendida em grande parte, sobretudo na campanha excelente, com ótimos personagens, jogabilidade divertida e funcional e variedade de customizações. O maior problema é que o multiplayer, ainda que promissor, carece de cuidados para ser mais interessante. Dado o potencial do título, acredito que ele vai encontrar o seu caminho e tornará o game ainda melhor.
Escolha seu herói e bom jogo!

Prós

  • Excelente uso do universo de super-heróis da Marvel;
  • Campanha original divertida e imersiva, fazendo bom uso de personagens consagrados;
  • Jogabilidade excelente, com cada herói sendo único e divertido de jogar;
  • Mesmo com problemas, multiplayer é robusto e cheio de opções;
  • Visuais incríveis, com gráficos de muita qualidade;
  • Potencial para receber muitos conteúdos e novidades.

Contras

  • Taxa de quadros e criação de salas online podem ser melhoradas;
  • Personagens e enredo poderiam ser mais aprofundados;
  • Mesmo com qualidades, multiplayer é por diversas vezes genérico e repetitivo.
Marvel’s Avengers – PC/PS4/XBO – Nota: 8.5
Versão utilizada para análise: PS4
Revisão: Ives Boitano
Análise produzida com cópia digital cedida pela Square Enix

é redator de matérias sobre games desde julho de 2016 e um grande fã da décima arte, embora não tenha muito tempo disponível para ela. Seus games favoritos (que formam uma longa lista) incluem: Kingdom Hearts, Guitar Hero, Zelda, Crash, FIFA, COD, Pokémon, MvC, Yu-Gi-Oh, Resident Evil, Bayonetta, Persona, Burnout e Ratchet & Clank.


Disqus
Facebook
Google