Game Music

Game Music: MegaDriver, a banda brasileira de “Game Metal”

Banda de Nino MegaDriver foi pioneira da game music no Brasil, e já possui mais de 10 anos de estrada.

Antonio Francisco Tornisiello concebeu a ideia do Mega Driver ainda na infância. Ele costumava jogar em seu console (um, adivinhe, Mega Drive!) e escutar as bandas que gostava, simultaneamente. Na mesma época, começou a aprender a tocar guitarra e imaginar como ficariam as músicas dos videogames se tocadas por bandas de verdade.




“Nino”, como era conhecido pelos amigos, participou de várias bandas de garagem e sempre compartilhava com os companheiros sua ideia, mas nunca conseguiu convencê-los. Frustrado, decidiu tocar o projeto sozinho. Começou a estudar outros instrumentos e composição, e a gravar as trilhas de vários jogos caseiramente. As primeiras músicas foram lançadas gratuitamente em seu site pessoal, nino.com.br, em 1999.

Com o aumento da popularidade de suas músicas, em 2003 ele decidiu retomar o projeto de fazer uma banda em torno disso. Antonio então adotou o nome Nino MegaDriver, dando assim origem à primeira banda de “Game Metal” do Brasil.

Primeiro round

No mesmo ano, o MegaDriver lançou seu primeiro CD, Push Start Button (Round One). A gravação era bem amadora e de pouca qualidade técnica, mas a interpretação das músicas dos jogos no estilo Heavy Metal ficou excelente. A trilha variada fazia homenagem a vários jogos, não apenas da SEGA: Streets of Rage (Mega Drive), Samurai Showdown (Mega Drive), Gyruss (Arcade), Castlevania (NES), Top Gear (SNES) e Street Fighter II (Multi).
No ano seguinte, foi lançado o miniálbum Metal Beast, uma homenagem ao jogo de Mega Drive Altered Beast. A primeira música, “Rise from Your Grave”, virou uma das marcas registradas da banda, com Nino gritando as clássicas palavras no início da trilha. Ela inclusive conta com uma versão em português, intitulada “Levante-se de Sua Tumba”.
Ainda em 2004, mais um clássico do Mega Drive foi homenageado: Golden Axe. Todas as músicas do game foram refeitas da forma mais barulhenta e pesada possível e lançadas no álbum Metal Axe.
Em seguida, foi lançado outro miniálbum, Raging Metal. Contando com apenas três músicas, ele homenageava jogos de luta, com faixas vindo diretamente de Street Fighter 2, Fatal Fury (Multi) e Final Fight (Multi).
Para encerrar o ano de 2004, a banda ainda teve tempo de lançar mais um álbum! Action Metal provou-se ser o melhor dela até aquele momento. Foi o primeiro lançamento a contar com uma música de Sonic, a boa e velha trilha de Green Hill Zone, de Sonic the Hedgehog (Mega Drive). Extremamente variado, o álbum ainda tinha faixas de títulos do Mega Drive como Shadow Dancer, After Burner, Strider, Super Hang On e The Revenge of the Sinobi, além de uma música de Ninja Gaiden (NES).

Adicionando novos jogadores

Até então o MegaDriver era um projeto de um homem só. Foi em 2006 que Nino conheceu aqueles que viriam a ser seus companheiros de banda, enquanto fazia uma segunda faculdade: Nettão “The Butcher”, na bateria, id9 no baixo e Ricardo na segunda guitarra. No final de 2007, id9 foi substituído por Rubão.

A primeira cria do novo grupo foi o miniálbum Top Gear, lançado em 2007, com trilhas sonoras de (quem diria) Top Gear. A maior qualidade de produção deste lançamento era perceptível, mas ainda com o mesmo espírito de metal dos anteriores.
Ainda no mesmo ano, fizeram um tributo ao compositor Yuzo Koshiro com o álbum Sword, Shurikins & Fists. Além dos clássicos Streets of Rage e Shinobi, o lançamento também continha trilhas do clássico cult de Super Nintento ActRaiser.
Em 2008, a banda lançou o álbum Metalhog. Centrado exclusivamente em trilhas do mascote da SEGA, o álbum apresentava músicas de Sonic the Hedgehog, Sonic the Hedgehog 2, Sonic the Hedgehog 3, Sonic and Knuckles e Sonic Adventure.
Foi neste ano também que a banda começou a ganhar mais atenção. Ela abriu o Video Games Live 2008 e 2009, e, em 2010 participou de eventos como Brazil Games Show e Campus Party.

Em 2010, a banda também passou por mais uma mudança em sua formação. Ricardo saiu da banda, sendo substituído pelo guitarrista Bruno Galle, vulgo Brunão. Além disso, Rubão assumiu o papel de produtor, com Arthur assumindo os baixos e Allan Big Thunder entrando na banda como vocalista. Os novos integrantes logo demonstraram suas habilidades com o lançamento de Metal For Gamers, em 2011 — primeiro álbum da banda em que todas as músicas tinham vocais.

Mega instrumentos

Falar do MegaDriver sem mencionar suas guitarras estilizadas chega a ser uma heresia. Elas são uma das marcas registradas da banda, e tornaram-se símbolo do grupo.

A primeira guitarra estilizada foi feita por Nino usando a carcaça de um Mega Drive de verdade — nada menos que o primeiro Mega Drive do guitarrista. Mas não temam: a placa do aparelho ficou intacta e ainda é possível jogar nele!

O segundo instrumento customizado da banda tem o corpo formado pelo rosto do Sonic. Fabricada de forma bem mais profissional que a primeira, acabou virando o instrumento mais utilizado pelo artista. Em 2014, uma terceira guitarra foi criada, inspirada em Akuma, do Street Fighter. Ela é tocada pelo Brunão, o segundo guitarrista.

O grupo ainda conta com um baixo inspirado em Golden Axe, com o rosto de Gilius Thunderhead no braço, carinhosamente apelidado de “Thunderbass”.

Do Brasil para o Mundo

A banda continua a tocar em vários festivais de jogos no Brasil e eventos de anime. Pioneira do gênero no país, abriu o caminho para outros grupos com temática parecida, como o 8 bit instrumental, The Gameboys e Rockband X GM.

Em 2014, a banda conseguiu projeção internacional, sendo a primeira equipe brasileira a tocar na MAGFest, em sua 12ª edição, sendo apresentados em palco por ninguém menos que Tommy Tallarico, co-criador do Video Games Live. Foi também o primeiro show internacional do grupo.
A banda agora se prepara para fazer um novo álbum, Fighting Game, que contará com 27 (!) trilhas sonoras de jogos de luta. Assim como todos os outros lançamentos do grupo, ele estará disponível gratuitamente em seu site oficial quando pronto.

Revisão: Jaime Ninice
Capa: Felipe Araújo
Lucas Pinheiro Silva é analista de sistemas web por profissão, gamer por vocação. Tem grande interesse em game e level design, o que o levou a escrever para o GameBlast. Em seu Facebook e Twitter também fala de outras coisas, como HQs, música e literatura.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook