Jogamos

Análise: Micro Machines World Series (Multi) é puro caos em miniatura

Apesar de empolgar bastante nas primeiras horas de jogo, logo se torna repetitivo e pouco atrativo para jogatinas mais prolongadas.

O mais novo título da Codemasters, Micro Machines World Series (Multi), traz de volta a velha franquia dos carrinhos de brinquedo diretamente dos anos 1990 para a atual geração. Com uma proposta de se basear no multiplayer e também permitir partidas contra inteligência artificial, o jogo pode agradar em um primeiro contato, mas aos poucos sua falta de conteúdo e de uma base instalada maior se tornam um grande problema para o jogador mais dedicado.

As primeiras impressões

Tão logo liguei Micro Machines World Series pela primeira vez, fiquei bastante empolgada com os primeiros visuais e com seu tutorial. De início, sua jogabilidade pode parecer um pouco complicada: uma visão de cima dos carros não permite perceber de cara para qual lado pode ser a próxima curva, por exemplo. E isso fez com que, nos primeiros minutos, eu derrapasse para fora da pista diversas vezes.

No entanto, aos poucos fui pegando o jeito de como controlar o carro e fui conhecendo melhor as pistas, o que me levou a conseguir dirigir sem grandes problemas. O jogo possui três modos distintos: batalha, corrida e eliminação. O charme do título fica por conta das armas, que podem (e devem) ser usadas nos três modos. Cada opção de carro possui um conjunto de armas com habilidades diferentes. Nas batalhas, que são na verdade um modo de “capture a bandeira”, elas são usadas para impedir que os adversários cheguem até o seu ponto ou para impedi-los de retornar para a base deles com a bandeira capturada. Nas corridas as armas funcionam com uma proposta parecida com a da série Mario Kart, com o intuito de atrapalhar a performance dos adversários. Já no modo eliminação, que é nada mais do que uma arena em que seu objetivo é explodir os adversários, as armas são o seu meio de fazer isso.

O sistema de caixas e nível

Em muitos aspectos Micro Machines World Series me lembrou bastante o modo como a Blizzard desenhou Overwatch (Multi). As recompensas das disputas insanas nos carrinhos vem por meio de ganho de experiência e aumento de nível com direito a caixa de itens com pinturas novas para os carros, avatares e falas dos pilotos, da mesma maneira como conhecemos no universo Omnico. Além disso, em qualquer que seja o modo de corrida não há a opção de selecionar a pista ou mapa em que se deseja jogar, eles são completamente aleatórios, assim como também ocorre com os mapas de Overwatch.

Entretanto, há alguns fatores que fazem com que a experiência em Micro Machines World Series fique bem longe de ser algo que estamos acostumados na franquia da Blizzard. O principal é o fato de que a base instalada desse jogo é praticamente nula, tendo em vista que em nenhum momento pude participar de corridas ou batalhas multiplayer online. Em todas as vezes que tentei, o jogo automaticamente me redirecionou para uma partida contra a inteligência artificial, que modéstia a parte funciona razoavelmente bem apenas no modo corrida. Os modos batalha e eliminação ficam completamente sem graças em suas versões para um jogador.

O game também permite que até quatro jogadores disputem partidas de multiplayer local, porém, não pude testar essa funcionalidade pela falta de controles extras. No entanto, acredito que este game possa funcionar como um excelente party game entre amigos. É uma boa opção de divertimento neste caso.

Faltou uma coisa aqui e outra ali

Apesar de Micro Machines World Series parecer bastante promissor em um primeiro contato, aos poucos pode-se reparar algumas falhas que acabam por prejudicar a experiência final do jogo. Talvez tenha faltado um pouco mais de propaganda e incentivo por parte da Codemasters ao game no console, mas ainda pode-se considerar a possibilidade de jogá-lo junto aos amigos em partidas multiplayer. Pode valer a pena se você tem uma certa nostalgia com a série.

Prós

  • Visual muito bonito;
  • Diferentes modos de jogo;
  • Sistema de subida de nível;
  • Caixas como recompensas.

Contras

  • Inteligência artificial ruim;
  • Modo online sem outros jogadores.
Micro Machines World Series — PS4/XBO/PC — Nota: 6.0

Versão utilizada para análise: PS4
Ana Krishna Peixoto é formanda em Ciências Econômicas pela UERJ. No Blast, é redatora e revisora. Suas paixões são os esportes (sobretudo o futebol e o jiu-jitsu), os livros, a escrita e os videogames. Fã de PlayStation, não nega sua queda pela Nintendo. Pode ser encontrada no Twitter.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook