JogamosAnálise DLC

Análise: Total War: WARHAMMER III - Thrones of Decay (PC) adiciona novas e empolgantes peças ao fantástico tabuleiro da saga

Prepare-se para conquistar o mapa de WARHAMMER de novas formas com este DLC.

Thrones of Decay
é o novo conteúdo adicional desenvolvido para Total War: WARHAMMER III, a épica conclusão de um dos crossovers mais ambiciosos e bem-executados da indústria dos games e também uma das melhores franquias exclusivas de PC. Adicionando novos Senhores Lendários com mecânicas próprias, bem como mais unidades e heróis para suas respectivas facções, este DLC é obrigatório para fãs da saga que desejam novas formas de vivenciar e conquistar as campanhas do jogo. Confira a análise!

Os responsáveis pelos tronos apodrecidos

Assim como os pacotes de expansão anteriores Shadows of Change e Forge of the Chaos Dwarfs, Thrones of Decay traz consigo novos personagens jogáveis. Ao todo, são três novas adições ao já robusto elenco do título, que podem ser adquiridas tanto individualmente quanto em um único pacote com desconto. São elas:

Malakai Makaisson: anão dotado de grande inteligência e inventividade, Malakai terminou expulso da Guilda dos Engenheiros por suas criações mirabolantes que custaram a vida de diversos companheiros em acidentes e explosões. Obstinado por reconquistar a sua honra, ele decide provar a sua genialidade e o seu valor em combate — ou morrer tentando — ao lado de sua impressionante oficina móvel e seu exército de matadores.

Elspeth von Draken
: sacerdotisa da academia ametista e arcanista de extremo renome, Elspeth é uma serva leal do Império e a principal responsável por imbuir a pólvora das escolas imperiais de artilharia com magia, para terror dos seus inimigos. Com um vasto domínio do etéreo e um inconfundível dragão carmesim à disposição, seu objetivo é proteger a instituição mais poderosa dos humanos a qualquer custo. Para isso, crê ela, os fins justificam os meios.

Tamurkhan
: conhecido como o Senhor dos Vermes e Campeão de Nurgle, este hospedeiro assume a forma do ogro Karaka Quebra-Montanha para espalhar a praga e a corrupção pelo mundo de WARHAMMER, reunindo um exército em decomposição pelo caminho. Os derrotados em batalha, uma vez apodrecidos, juntam-se às hordas propagadoras das diversas pestes que aumentam a força de Nurgle. 

Como a descrição de cada personagem acima deixa bem claro, cada um deles pertence a diferentes raças. Apesar de ter sido expulso da Guilda dos Engenheiros, Malakai representa os anões no campo de batalha. Já a sacerdotisa Elspeth deixa clara a sua lealdade ao Império, enquanto Tamurkhan servirá, vivo ou em plena decomposição, ao deus Nurgle. Assim, os entusiastas de cada uma dessas facções já podem se empolgar com as novas ferramentas e objetivos que terão à disposição, tanto na campanha O Reino do Caos quanto em Impérios Imortais.

A arte da guerra, potencializada

Depois que Shadows of Change falhou em impressionar os fãs no lançamento ano passado — ao ponto de seu conteúdo ter sido revisado e atualizado mais de uma vez ao longo dos últimos meses —, a Creative Assembly prometeu que Thrones of Decay seria mais impactante, tanto em termos de jogabilidade quanto de conteúdo oferecido. Dito isso, é com alegria que relato que a promessa foi cumprida: cada um dos novos Senhores Lendários traz mecânicas únicas e divertidas, além de diversas novas unidades recrutáveis, capazes de render horas de entretenimento no universo de WARHAMMER.

Como prezo pelo estilo agressivo nas campanhas, a minha primeira escolha para testar o novo DLC foi Tamurkhan. O servo de Nurgle, como esperado, é um verdadeiro tanque em batalha, resistente e dilacerador pelo solo. Uma vez que esteja equipado com sua montaria Bubebolos, uma mistura de dragão com sapo, é extremamente difícil derrubá-lo, e não foram raras as vezes que o vi destruindo unidades inteiras dos exércitos inimigos durante as partidas.

Em sua jornada para ser o senhor de guerra mais poderoso do Caos, Tamurkhan não é um oponente terrível somente dentro do campo de batalha, porém: a sua mecânica exclusiva, Chefes de Tamurkhan, o permite, após cumprir certas condições e adquirir o recurso conhecido como Dominância, recrutar personagens únicos, como Kayzk, o Contaminado, e Khargan, o Louco. 

Cada um desses chefes — são seis, ao todo —, além de muito poderoso, pertence a uma diferente cultura do universo de WARHAMMER. Ganhar seu respeito e recrutá-los, portanto, significa obter, por meio deles, acesso a unidades que normalmente não se associariam aos seguidores de Nurgle, como Dragões do Caos, Ghorgons e anões especializados em morteiros e bacamartes, só para citar algumas.

Na prática, isso corresponde a muito mais variedade no momento de montar um exército da facção, aumentando o fator replay e garantindo a dominação completa do mapa se utilizado corretamente. Junte a isso mudanças consideráveis no sistema de Pestes e um completo rebalanceamento da economia dos Nurgle, e eu classificaria Tamurkhan como um personagem essencial para quem aprecia a agressividade na campanha e variedade na composição dos exércitos. Um verdadeiro acerto dos desenvolvedores, assim como as demais partes do DLC.

Magia, pólvora e todas as ferramentas à disposição

Ao contrário do representante de Nurgle, o inventivo (injustiçado, talvez?) Malakai Makaisson é um Senhor recomendado para quem aprecia jogar à distância, minando os oponentes antes mesmo que eles consigam se aproximar, com unidades de artilharia. Isso é possível graças aos diversos recursos do personagem, como os bônus que reduzem o tempo de recarga de munição e a habilidade passiva que aumenta a pontaria dos exércitos sob seu comando.

Algo muito interessante é que a história deste Senhor Lendário envolve recuperar o orgulho perdido após sua expulsão da Guilda e, quem sabe, morrer de forma heroica. Para isso, o anão também conta com mecânicas exclusivas na campanha, como a narrativa Aventuras de Malakai, uma série de objetivos que, se completados, culminam no conflito contra um oponente lendário e em melhorias para a sua maior criação: a fortaleza voadora Espírito de Grungni.

Tal engenhoca é, de longe, o grande destaque da campanha do engenheiro, permitindo a ele recrutar novas unidades mesmo em território inimigo e funcionando quase como uma cidade móvel à sua disposição. A fortaleza também pode ser escalada no campo de batalha, disparando projéteis com velocidade impressionante sobre os inimigos. Logo, se você aprecia jogar com os Anões do Caos ou tem interesse em se aprofundar nas mecânicas à distância de Total War: WARHAMMER, Malakai é certamente uma escolha distinta o bastante de seus pares e recomendada por isso.

Finalmente, temos Elspeth Von Draken. Conhecida por alguns como a Rosa do Cemitério, a sacerdotisa é a grande novidade para os fãs da facção mais popular de WARHAMMER III. Sua mecânica exclusiva é a Escola de Pólvora, pensada para desenvolver a nova geração dos armamentos humanos a partir da fusão entre pólvora e magia negra. 

Progredir dentro dos parâmetros da Escola potencializa o poder de fogo de suas unidades, tornando Von Draken uma força a ser temida no campo de batalha. Sua grande novidade, pra mim, são os Jardins de Morr. Graças a eles, seus exércitos podem se teletransportar imediatamente para até cinco cidades agraciadas com essa construção, facilitando a mobilidade durante a campanha e permitindo bastante flexibilidade na hora de se defender ou tomar territórios inimigos. Certamente uma boa adição para os fãs do Império, portanto.

A chegada da versão 5.0

Convém mencionar que o DLC Thrones of Decay também marca a atualização de Total War: WARHAMMER III para a versão 5.0, trazendo consigo conteúdos gratuitos como o senhor lendário Epidemius, pertencente aos Nurgle, e um novo herói recrutável para o Império, o Mago de Ouro.

Além disso, um novo artefato mágico, a coroa de Nêmesis, pode aparecer durante todas as campanhas, concedendo ao jogador a liberdade para usá-la (e aproveitar suas vantagens) ou selá-la, bem longe das mãos inimigas virtuais. São aquelas pequenas, mas definitivamente bem-vindas novidades que reforçam a riqueza do universo da Games Workshop e o carinho dos desenvolvedores para com esta adaptação.

Confesso inclusive que eu não jogava WARHAMMER III há alguns meses. Retornar ao jogo para analisar este DLC foi uma oportunidade de ouro de constatar como este ambicioso crossover continua sensacional e viciante mesmo anos após seu lançamento. Embora os ocasionais bugs e travamentos e a ausência de um ou outro tutorial mais completo para as novas mecânicas possam incomodar, nem de longe esses deslizes são o bastante para impedir uma recomendação. 

Assim, seja você um fã ávido da saga, ou apenas um jogador que está conhecendo agora este terceiro capítulo, que fique claro que Thrones of Decay é, acima de tudo, um lembrete de que este é um dos melhores jogos de estratégia já feitos e que esta guerra fantástica, felizmente, ainda está longe de se encerrar.

Ainda mais peças para um tabuleiro fantástico por natureza

Thrones of Decay cumpre com louvor o seu papel de trazer conteúdo significativo a algumas das facções mais queridas de Total War: WARHAMMER III. Não importa se você é fã de conquistas agressivas ou um entusiasta da arte do combate à distância: há algo aqui para praticamente todos os estilos de jogo em um título que, anos após a estreia, continua a impressionar por sua epicidade e qualidade. 

Que venham os próximos capítulos, pois, como mencionado, esta guerra fantástica ainda está bem longe de acabar. E quem ganha com isso somos nós, os jogadores.

Prós

  • Adiciona três novos Senhores Lendários, cada qual com mecânicas únicas dentro de suas raças;
  • Introduz dezenas de novas unidades recrutáveis para Nurgle, Império e Anões, beneficiando os entusiastas dessas facções que desejam mais variedade na composição dos exércitos;
  • Adiciona ainda mais horas de conteúdo repleto de fator replay a um jogo que continua a impressionar em termos de qualidade mesmo anos após seu lançamento;
  • Legendas e menus em português brasileiro.

Contras

  • A ausência de tutoriais mais específicos para as novas mecânicas do DLC pode confundir jogadores que não jogam há muito tempo;
  • Os ocasionais bugs visuais e travamentos podem incomodar.
Total War: WARHAMMER III - Thrones of Decay — PC — Nota: 8.5
Revisão: Davi Sousa
Análise produzida com cópia digital cedida pela SEGA

é bacharel em Produção Cultural pela UFF e estudante de Comunicação Social pela FSMA. Na infância, ganhou um Super Nintendo dos pais e, desde então, nunca mais deixou o mundo dos games. Ainda sonha em ser um Mestre Pokémon.
Este texto não representa a opinião do GameBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


Disqus
Facebook
Google