Dicas e Truques

Baldur's Gate 3 (Multi): dicas para iniciantes em D&D

Aquela ajudinha do mestre pra você não se perder em sua aventura pelos Reinos Esquecidos.


Para os veteranos de mesas de Dungeons and Dragons, se aventurar por Baldur's Gate 3 é um passeio no parque, mas sabemos que boa parte dos jogadores nunca estiveram em uma sessão de RPG de mesa. 

Pensando nisso, montamos esse guia com algumas dicas básicas sobre mecânicas, diferenças e erros que você pode evitar no começo da sua jogatina. Conforme você se acostuma com o gameplay, sua jornada se tornará mais leve.

Escolha a dificuldade certa



Ao iniciar um novo jogo, a primeira escolha que o jogador deve fazer é em qual dificuldade vai jogar. As opções ficam entre Explorador, para quem quer uma experiência com mais foco em narrativa, ideal para novos jogadores ou para quem não quer se preocupar com batalhas acirradas. 

Também temos o Balanceado, que foi o modo que joguei, mesmo sendo o "normal", existem diversos momentos que vão testar até jogadores mais experientes, tive diversas batalhas que venci por um milagre. Por fim temos o modo Estrategista, que é para jogadores veteranos e quem já terminou o jogo pelo menos uma vez, nele você é testado aos seus limites com inimigos mais agressivos e batalhas ainda mais complexas.

Entenda as mecânicas



Baseado na quinta edição do famoso RPG de mesa, Baldur's Gate 3 utiliza o sistema de dado de 20 lados para guiar suas ações, no qual 20 seria o melhor resultado e 1 o pior. Para acertar o seu oponente é necessário que um D20, como o chamamos, seja rolado e o seu resultado seja maior que a CA do oponente, sendo essa é a classe de armadura dele. 

Alguns personagens conseguem ter bônus que são adicionados a essa jogada de dados. Por exemplo, um guerreiro/bárbaro consegue escalar seu ataque com força, então ele rola o D20 + o número do seu modificador de força. A porcentagem que você vê antes de atacar um inimigo mostra a chance de acerto. Quando em 50%, é bem provável que a CA do inimigo seja 10, já que rolar um D20 puro dá metade de chances de acerto.

A cada turno, seu personagem tem uma ação padrão, uma ação bônus e um número limitado de movimentos. Algumas classes como Ladino, guerreiro e monge, conseguem ter movimentos extras, podendo atacar até 3 vezes e se mover. Falando em movimento, se você estiver perto de um inimigo e se mover, você fica exposto ao famoso "ataque de oportunidade" e para isso existe a opção de desengajar, que faz você perder uma ação, mas conseguir se mover sem ser atacado.

Outra mecânica notável que envolve o D20 está nos diálogos: sempre que seu personagem conversa com alguém, algumas opções de diálogos vão surgir dependendo da sua classe, história de origem ou até mesmo eventos e escolhas realizadas. Algumas dessas opções contém entre parênteses dicas como "Carisma", "Intimidação" e etc. 

Essas opções exigem uma rolagem de dados para saber se você vai passar no teste, seja para ludibriar um NPC, tentar intimidá-lo ou apenas usar seu charme para conseguir o que quer. Algumas opções também exigem força para mover algo ou destreza.

Dados viciados?



Seus dados parecem alterados? Meio estranhos? Aquele 98% de chance nem sempre acerta? Existe no jogo uma opção nas configurações chamada de Dados Kármicos. Só lá pela metade da minha jogatina eu fui descobrir e entender para quê serve essa opção.

Os Dados Kármicos são como um Mestre amigável, a opção tenta balancear as suas jogadas no intuito de evitar que você erre ou acerte muito. Se você estiver tirando 20 constantemente, o sistema irá balancear para que você erre um pouco. O mesmo acontece ao contrário, o jogador que está tirando muito 1 passa a ter mais acertos.

Eu recomendo testar os dois modos e saber qual é o mais adequado pra você. Eu optei por desativar e não ter que lidar com a Karlach errando golpes de 98% de chance de acertar pq eu “fiz” muitos acertos.

Narradora e NPCs dão dicas frequentemente



Prestar atenção aos diálogos nunca foi tão importante quanto em BG3. Além da narradora, que conta a história dando detalhes do mundo, existem outros NPCs que auxiliam o jogador. Conversar frequentemente com os membros do seu grupo faz quests avançarem, por exemplo.

Existem diversos momentos em que você também será advertido quanto a certas ações. Foram muitas as vezes em que alguém falou “fazer isso é basicamente suicídio” e de fato todo o meu grupo morreu momentos depois. Explorar as opções de diálogo aqui vai além de apenas construir a história, mas ter mais contexto do próximo passo a se seguir.

Leveling e multiclasses



Para os amantes de build de habilidades, o game conta com um sistema de leveling com multiclasse, ou seja: você não está preso apenas a sua classe inicial. É na verdade até incentivado o uso de habilidades de outras. A partir do 3° nível é possível começar a experimentar.

Um dos combos mais poderosos que existem é Ladino + Patrulheiro, principalmente pela habilidade do patrulheiro com armas de longa distância e a possibilidade de agir várias vezes do ladino. Outra que faz sucesso entre os jogadores é Guerreiro e Bárbaro, que possibilita o jogador a atacar até quatro vezes por turno sempre atingindo com grande impacto. 

O essencial ao qual se atentar na hora de montar sua build, é entender qual a característica primária da sua classe e buscar outras que se assemelham. Por exemplo, o Bruxo e o Bardo são uma boa combinação, ambos escalam principalmente com carisma. Você vai reconhecer seu atributo principal pois ele tem uma estrelinha branca ao lado na ficha de personagem.

Proficiências e habilidades



E falando em ficha de personagem, é necessário sempre estar atento aos conteúdos de cada ficha, seja do seu personagem ou dos companheiros. Cada classe tem proficiências e habilidades específicas, que contam com limites que podem estragar sua gameplay.

Quando o assunto é equipamento, você vai perceber que é possível equipar qualquer arma em qualquer personagem, entretanto, um aviso pequeno em amarelo aparece na descrição do item, avisando que algo não está certo. Para usar armaduras pesadas e médias, assim como certos tipos de armas, é necessário ter proficiência nelas. Um mago não consegue usar armaduras, a não ser que combine com outra classe que tenha tais habilidades.

Algumas classes e raças também têm vantagens e desvantagens dentro de certas condições. Os Githanky já tem proficiência de armaduras leves e médias, assim como os Draconatos têm resistência específicas a certos tipos elementais. Tudo isso é visualizado pela ficha de personagens e todos os detalhes que ela carrega.

Viva seu personagem



Por fim, e para mim o mais importante, é a dica máxima de todo RPG: Viva o seu personagem! Apesar de ser tentador fazer aquela escolha que aparentemente é a melhor para seu jogo ou trama geral, construir uma personalidade para seu personagem e criar opções que condizem com o role-play pode ser uma das formas mais divertida de jogar Baldur’s Gate 3. Afinal, viver a experiência da fantasia medieval e encarnar seu personagem é o ponto principal do jogo, mas acima de tudo, aproveite a viagem.

Revisão: Juliana Piombo dos Santos

Redator publicitário em tempo integral e amante de games nas horas vagas. Provavelmente aprendi a segurar um controle mais rápido do que uma mamadeira. Cresci com os maiores clássicos da Big N como Zelda, Mario e Pokémon. Hoje aproveito os pequenos momentos de descanso da vida corrida para me perder em Hyrule, em uma Tóquio pós-apocalíptica ou em um mundo de encanadores e cogumelos.
Este texto não representa a opinião do GameBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.