Análise DLC

Análise: HUMANKIND: Together We Rule (PC) traz a diplomacia como principal meio de evolução

A nova atualização traz mudanças significativas para o jogo de estratégia, mas as adições ainda carecem de balanceamento.


Lançado em agosto de 2021, HUMANKIND é um jogo de estratégia por turnos em que temos como objetivo desenvolver a nossa nação através das Eras, atribuindo a ela diferentes culturas ao longo da sua evolução e competindo com diferentes nações para definir quem é a mais poderosa e influente. Durante o ano de 2022, duas novas atualizações foram lançadas adicionando novas culturas para diversificar ainda mais a estratégia dos jogadores, sendo elas Culture of Latin America e Culture of Africa.

A mais nova atualização de HUMANKIND chegou no início deste mês. HUMANKIND: Together We Rule é o novo DLC produzido pela AMPLITUDE Studios trazendo consigo novas culturas e distritos que irão mudar a dinâmica das estratégias dos jogadores que desejam utilizar a diplomacia como meio fundamental para seu desenvolvimento.

Um novo jeito de criar sua civilização

Together We Rule traz um novo foco para a jogabilidade de HUMANKIND, adicionando a Diplomacia como um dos principais meios de interação entre as civilizações. Dentre os elementos adicionados, os principais envolvem as seis novas culturas, uma para cada Era, que carregam consigo o novo traço de afinidade diplomática, além de unidades e distritos emblemáticos próprios. As culturas adicionadas são:
  • Sumérios: disponíveis na Idade Antiga;
  • Han: disponível no Período Clássico;
  • Búlgaros: disponíveis na Idade Média;
  • Suíços: disponíveis na Idade Moderna;
  • Escotos: disponíveis na Revolução Industrial;
  • Singapurenses: disponíveis na Idade Contemporânea.
A afinidade diplomática tem como principal característica a habilidade de Desmilitarização, que permite ao jogador escolher uma área estratégica do mapa e aplicar status negativos para as unidades militares de outras civilizações. Tal habilidade é fundamental para jogadores que planejam adquirir novas áreas para expansão.




Para permitir que as interações diplomáticas sejam realizadas, Together we Rule acrescenta duas novidades para os jogadores. A primeira delas é a Embaixada, um novo distrito que pode ser construído desde a Idade Antiga, e o Congresso da Humanidade. Além disso, para permitir essas interações, uma nova moeda foi adicionada ao jogo: a Valia. Elas são recursos coletáveis que representam uma manifestação de poder de seu império em relação ao outro.

Além dessas novidades, foram adicionados os Agentes, que consistem em três novas Unidades que podemos usar para coletar Valia, além de infiltrar e sabotar outras civilizações. São elas: o Representante; o Espião; e o Espião-Mestre. Outras adições envolvem novas Maravilhas da Natureza, Maravilhas Culturais e Eventos Narrativos, que apesar de dar mais variedade de elementos ao jogo, não são inclusões tão significativas quanto às demais.



Mudanças que trazem dinamismo e variedade ao gameplay

As adições presentes na nova atualização mudam de maneira considerável o gameplay de HUMANKIND, visto que temos uma nova alternativa para nos relacionar com outros jogadores. A principal chave de interação se passa pelo uso da Valia, a nova moeda que pode ser encontrada pelo mapa enquanto exploramos ou utilizando os novos Agentes para coleta.

Ao construirmos a Embaixada, uma nova aba se abre na tela de relacionamento com outro império. Dentro dela há ações que podemos impor unilateralmente, uma vez por turno, ao império adversário, sem que haja reclamação por parte dele, como expulsar forças militares de seu território ou aplicar algum tipo de sanção econômica. 

Da mesma forma, temos novas alternativas de acordos que permitem um desenvolvimento mútuo de ambas civilizações, como acordos científicos, ajuda em construções, entre outros. Essas opções ajudam a criar um laço diplomático que, futuramente, garante apoio em decisões de guerra, por exemplo.




Apesar de promover a diplomacia como principal eixo de gameplay, ainda é necessário ficar atento com a possibilidade de conflitos e guerras. Por vezes, apenas a interação pela embaixada não será seu único meio de contato com os demais impérios, sendo necessário não negligenciar o desenvolvimento de seu exército.

Nesse sentido, a adição de Desmilitarização auxilia de maneira muito competente o jogador, principalmente quando estamos em fase de expansão. Os exércitos inimigos passaram a ter sua força diminuída, praticamente forçando a sua remoção da área. Em caso de insistência, ganhamos uma quantidade de Valia para cada turno em que permanecem, e esse incremento da nova moeda é muito útil para desenvolver novas estratégias. 


Outro ponto relevante é o Congresso da Humanidade, que pode ser usado em momentos de crise com outros governos e criação de leis globais, por exemplo. O Congresso funciona como mediador do conflito tomando decisões a partir da sua relação com outros governantes e sua influência global. Essa característica traz uma maior sensação de realidade ao jogo, tornando-o muito mais orgânico e dinâmico.

Durante as diversas partidas que joguei, senti um certo desbalanceamento das culturas diplomáticas em relação às outras, principalmente durante as primeiras Eras, nos quesitos de desenvolvimento. É possível que, por ser um jogador mais casual neste estilo de jogo, eu não tenha aprendido a melhor maneira de desenvolver minha civilização, mas a sensação que ficou para mim é que as novas culturas evoluem de uma maneira mais lenta. Portanto, acredito que seja necessário um leve balanceamento dos atributos das culturas adicionadas.



Ótimo para entusiastas, nem tanto para casuais

HUMANKIND: Together We Rule complementa de maneira competente o jogo base, adicionando a Diplomacia como uma nova dinâmica de interação com outros jogadores. Os itens adicionados dão uma nova dinâmica ao gameplay, visto que trazem uma alternativa aos frequentes conflitos de interesse das diversas civilizações. No entanto, as novas culturas com afinidade diplomática carecem de um balanceamento no que diz respeito ao desenvolvimento e militarização. 

Para os mais entusiastas, Together We Rule é uma novidade fundamental para o gameplay de HUMANKIND, visto que trazem um maior senso de realidade durante as partidas. Para os jogadores casuais, as novidades podem criar uma barreira de dificuldade maior para quem não tem familiaridade com o gênero.

Prós

  • A Embaixada e o Congresso da Humanidade são duas ótimas adições ao jogo, tornando as partidas mais reais e estratégicas;
  • A habilidade de Desmilitarização traz uma boa dinâmica para evitar conflitos e trabalhar na expansão de seu território.

Contras

  • As culturas adicionadas estão desbalanceadas em relação às demais.
HUMANKIND: Together We Rule — PC — Nota: 7.5
Revisão: Vitor Tibério
Análise feita com cópia digital cedida pela SEGA


É engenheiro geólogo, graduando em Engenharia Ambiental, entusiasta de novas tecnologias e apenas mais um mineiro que não vive sem café e pão de queijo. Gosta de aproveitar o tempo apreciando RPGs, relaxando em simuladores de fazenda e curtindo uma boa música em jogos de ritmo.
Este texto não representa a opinião do GameBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


Disqus
Facebook
Google