Top 10

No dia do Rock, relembre participações especiais de astros do gênero nos videogames

Quando a música e os games colidem em situações que não sejam no Guitar Hero


Os verdadeiros astros do Rock marcaram época por serem figuras não ligadas apenas por sua música, mas pela atitude que ostentavam em outras ocasiões, como nos shows e em programas de televisão. Desta forma, não é incomum que vez ou outra eles acabem caindo de cabeça em um jogo de videogame. 

Assim, neste Dia Mundial do Rock, relembre dez participações famosas de roqueiros nos games, deixando de lado participações em jogos propícios, como Guitar Hero ou Rock Band. A maioria dessas aparições nem é lá muito boa por se tratarem de jogos de qualidade extremamente duvidosa, mas ainda são artefatos bem interessantes da história do rock. 

10) Ronnie James Dio e Ozzy Osbourne em Holy Diver

Lançamento: 1989
Plataforma: Famicom
Holy Diver é uma espécie de clone de jogos antigos da Konami — como Castlevania, Getsu Fuma Den e Contra, do qual inclusive reutiliza alguns assets — e protagonizado por Ronnie James Dio, Ozzy Osbourne, Zakk Wylde e Randy Rhoads (guitarristas da banda de apoio do Ozzy como artista solo) em uma jornada para reaver o Crimson Kingdom, tomado pelas forças do Black Slayer. Um legítimo indie dos tempos do Famicom, Holy Diver só não está mais acima da lista porque nada dele é licenciado, fazendo com que ele perdesse força no nosso ranking, mas ainda é interessante o suficiente para valer a menção. 




9) Fred Durst (Limp Bizkit) e Meat Loaf em Fight Club

Lançamento: 2004
Plataformas: PlayStation 2 e Xbox
Sabia que Clube da Luta recebeu um jogo? Pois é, aparentemente, seguem a primeira e a segunda regra à risca, visto que ninguém fala muito dele — e não é muito difícil imaginar o motivo, considerando o padrão de qualidade desse tipo de produto na época. Enfim, Fight Club: The Videogame foi lançado em 2004 para PlayStation 2 e Xbox, e se trata de um jogo de luta tridimensional em visão lateral (como Tekken, ou quase) que traz no seu elenco de personagens não só o finado Meat Loaf que já era um músico de sucesso antes de aparecer no filme original, mas também Fred Durst, vocalista do Limp Bizkit, em uma participação extremamente aleatória. 



8) Journey em Journey: Escape/Journey: The Game

Lançamento: 1982 (Escape), 1983 (The Game)
Plataforma: Atari 2600 (Escape), Arcade (The Game)
Journey: Escape (ao lado) só tinha Journey no nome mesmo, visto que era realmente complicado tentar transmitir qualquer informação com o mínimo de definição possível em um jogo de Atari em que os bonequinhos supostamente deveriam representar a banda fugindo de groupies e paparazzis. Como se essa tragédia não fosse suficiente, um sucessor, lançado em 1983 para fliperama, trouxe a banda sob holofotes temáticos com um pouco mais de propriedade  — não que o game seja bom —, visto que agora os elementos em tela eram minimamente compreensíveis. A tarefa do jogador em Journey: The Game (abaixo) era desbravar o espaço e recuperar os instrumentos dos membros do conjunto que foram espalhados por cinco diferentes planetas.

7) Paul McCartney em Give My Regards To Broad Street

Lançamento: 1985
Plataforma: Commodore 64, Spectrum 48K
Sim, o lendário ex-beatle realizou a façanha de aparecer em um jogo lançado no Commodore 64 e no Spectrum 48K. Give my Regards to Broad Street é protagonizado por Paul McCartney em sua jornada por Londres para coletar partes da canção No More Lonely Nights e seu retorno à Abbey Road e no intuito de finalmente gravá-la. Ah, dá para dizer que se enquadra como um jogo de filme, visto que é baseado no longa-metragem de mesmo nome lançado em 1984 e protagonizado pelo músico. Ou seja, a qualidade dele é daquele jeitão que a gente conhece para esse tipo de adaptação, especialmente porque o próprio material base já não é lá grande coisa. 



6) Gene Simmons (Kiss) em Tony Hawk’s Underground

Lançamento: 2003, 2004 (PC)
Plataformas: Game Boy Advance, PlayStation 2, Xbox, Mobile, PC
Tony Hawk é um skatista cuja carreira consolidada no esporte dispensa comentários, mas que acabou ofuscada por emprestar seu nome à franquia de jogos de maior sucesso do gênero. Em Tony Hawk’s Underground, além dos skatistas consagrados que são figurinhas carimbadas na série e do Homem de Ferro — o da Marvel mesmo, antes mesmo de a licença do personagem passar a custar uma fortuna após seu sucesso no cinema —, o baixista da banda Kiss, Gene Simmons, também faz uma ponta como um dos personagens controláveis.



5) Phil Collins (Genesis) em GTA: Vice City Stories

Lançamento: 2006 (PSP), 2008 (PS2)
Plataformas: PlayStation Portable, PlayStation 2 (só na europa)
Uma das missões mais aleatórias de GTA: Vice City Stories (PSP/PS2) é uma em que o jogador, no controle do veterano Vic Vance, precisa proteger o Phil Collins e seu agente, que colocou ambos em perigo por conta das várias dívidas que ele contraiu com a máfia. Nota-se que o segundo vocalista do Genesis só topou participar do game porque ele também tinha participado do seriado Miami Vice, do qual também é fã. 


4) Mötorhead em Mötorhead: The Game

Lançamento:
1992
Plataformas: Amiga, Atari ST
É muito engraçado pensar que um jogo feito para exaltar toda uma banda e que, inclusive, carrega seu próprio nome, não usa músicas do conjunto em questão. Inspirado em beat’em ups como Streets of Rage e Battletoads, Mötorhead: The Game traz um enredo bizarro em que o jogador precisa encher de porrada outros grupos musicais no intuito de provar que o seu é melhor do que o deles. Tosco, mas ainda consegue ser melhor do que a média da nossa lista... ou talvez não. 



3) Aerosmith em Revolution X

Lançamento: 1994
Plataformas: Arcade, SNES, Mega Drive, Saturn, PlayStation, PC
Revolution X é um shooter em primeira pessoa em que a chamada Nova Ordem Mundial, sob o comando sua líder, a alienígena dominatrix Helga, visa acabar com todo o entretenimento do mundo. Do outro lado da moeda, entretanto, está ninguém menos do que o Aerosmith liderado por Steven Tyler, que cooptou pessoalmente o jogador como a principal frente de liberação da Terra. É interessante pensar que esse completo poço de aleatoriedade foi fruto da Midway, que na verdade queria produzir um jogo de tiro baseado em Jurassic Park, mas que não conseguiu a licença. 



2) David Bowie em Omikron Nomad Soul

Lançamento: 1999
Plataforma: PC, Dreamcast
Vinte anos antes da CD Projekt Red frustrar a indústria de games com o fracasso de Cyberpunk 2077 (Multi), Omikron: The Nomad Soul, o primeiro título desenvolvido pelo mesmo time de Detroit: Become Human (PS4/PC), já tinha feito um trabalho bem competente com a ambientação futurista. Enquanto o jogador vaga pela cidade que dá nome ao jogo e se mete em uma trama que envolve o computador central que controla o local, ele se depara com Boz, o líder da resistência contra o domínio das máquinas que é interpretado por ninguém menos do que David Bowie, também responsável pela trilha sonora do game. 



1) Ozzy Osbourne, Lemmy Kilmister, Rob Halford, Lita Ford e Jack Black em Brütal Legend

Lançamento: 2009
Plataforma: PlayStation 3, Xbox 360, PC
Brütal Legend é facilmente um dos maiores potenciais desperdiçados da indústria de games, visto que ele traz uma jogabilidade prática medonha, mas tem uma entrega exemplar no que diz respeito à construção de mundo, atmosfera e personagens. Situado em um universo fictício genérico, mas ao mesmo tempo cheio de personalidade, baseado nos mundos de fantasia amplamente exaltados nas canções metaleiras, o título traz personagens vividos por Ozzy Osbourne (Black Sabbath), Lemmy Kilmister (Mötorhead), Rob Halford (Judas Priest) e Lita Ford (The Runaways), além do protagonista interpretado por Jack Black, que também é vocalista de sua própria banda, Tenacious D. 




Revisão: Thais Santos

É jornalista formado pelo Mackenzie e pós-graduado em teoria da comunicação (como se isso significasse alguma coisa) pela Cásper Líbero. Tem um blog particular onde escreve um monte de groselha e também é autor de Comunicação Eletrônica, (mais um) livro que aborda história dos games, mas sob a perspectiva da cultura e da comunicação.
Este texto não representa a opinião do GameBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.