Análise DLC

Análise: Cuphead: The Delicious Last Course (Multi) é uma saborosa expansão recheada de desafios

Experimente novos chefes e atividades, além de curtir todo o jogo base novamente no controle da Srta. Cálice.


Cuphead, o clássico moderno que vem colecionando fãs ao redor do mundo desde seu lançamento em 2017, voltou a dar o ar de sua louça graças a um divertido desenho animado na Netflix no início deste ano. No último dia 30 de junho, os irmãos retomaram o brilho dos holofotes graças ao lançamento do esperadíssimo DLC The Delicious Last Course.

Anunciado em 2018, a expansão sofreu adiamentos por conta da pandemia de Covid-19 e para que o Studio MDHR garantisse a qualidade merecida do conteúdo para os fãs. O resultado desta longa espera você confere na análise a seguir.

Em busca da guloseima sagrada

Após tacar o pau no Diabo, Cuphead e Mugman estão livres do contrato maligno com o tinhoso e podem voltar a suas vidinhas ordinárias na Ilha Tinteiro. Entretanto, os irmãos recebem uma mensagem da Srta. Cálice, a criatura espiritual que os auxiliou durante sua jornada como agiotas do chifrudo.

Assustados por estarem viajando para tão longe pela primeira vez, nossos amigos canecosos conhecem o Chef Pitadinha, que afirma ter descoberto uma forma de fazer com que Cálice deixe o mundo espiritual e volte à vida graças a uma lendária sobremesa chamada de Tortuprema. No intuito de ajudar sua amiga, Cuphead e Mugman resolvem ajudar o chef em uma jornada pela nova ilha em busca dos ingredientes únicos necessários para preparar a guloseima mágica.


Agora, Cuphead, Mugman e Cálice vão se aventurar pelos quatro cantos da ilha para derrotar os chefes que estão em posse dos ingredientes mágicos necessários para que Pitadinha prepare a Tortuprema e Cálice possa voltar ao mundo real de forma definitiva. Hora de preparar o dedo para dar muitos tiros em criaturas fantásticas e únicas mais uma vez.

Uma nova ilha cheia de novos desafios

The Delicious Last Course tem como maiores destaques a adição de seis novos chefes para enfrentar e a Srta. Cálice como um personagem jogável. A donzela dispõe de habilidades diferentes dos irmãos cabeça de louça, o que pode fazer com que alguns jogadores que já estejam bastante acostumados com a jogabilidade padrão de Cuphead fiquem meio perdidos nas primeiras vezes em que forem jogar com a personagem.

Cálice salta um pouco mais baixo, mas pode realizar um salto duplo. Entretanto, a habilidade da taparada funciona de forma diferente, pois é executada quando realiza uma esquiva. Sua terceira habilidade única consiste em um rolamento no chão que a deixa invulnerável enquanto realiza o movimento. Leva um tempinho para se acostumar com a nova dinâmica de movimentação dela, mas um jogador habilidoso já pega o jeito em poucos minutos.


Para jogar com Cálice o jogador precisa equipar uma nova relíquia chamada de Biscoito Astral. Ao fazer uso do doce mágico, a garota troca de plano com o Cuphead ou Mugman. O problema é que apenas um dos jogadores será capaz de jogar com a nova personagem caso haja dois jogando no modo cooperativo. O jeito é combinar com o colega quem vai jogar com Cálice ou tentar a sorte. Se os dois equiparem o biscoito, a seleção de quem dos dois assumirá o papel da garota é decidida de forma aleatória ao entrar na fase, e quem saiu perdendo ficará a mercê de lutar sem o advento de uma relíquia.

Obviamente, uma nova ilha traz novos desafios na forma de seis novos chefes. Cada um com seu devido desafio para, quem sabe, fazer alguns jogadores arrancarem mais alguns fios de cabelo da cabeça ou perder um pouco da sua sanidade, principalmente ao jogar na dificuldade especialista. Novos armamentos, que só podem ser comprados na nova ilha, além de algumas novas relíquias de habilidades também estão disponíveis para comprar no Empório do Toucinho.


Para quem curte os níveis estilo run ‘n’ gun, lamento dizer que a expansão não traz nenhum novo nível nesse modo. A ausência das fases mais tradicionais dá lugar aos desafios da Contenda do Rei, que consistem em batalhas contra chefes sem o auxílio das relíquias e até de suas armas. O único movimento ofensivo que o jogador pode fazer para lutar contra estes inimigos é a sua boa e velha taparada. Vencer os combates da contenda concede as moedas necessárias para comprar todas as mercadorias disponíveis na loja do jogo.

Dependendo do nível de habilidade do jogador, The Delicious Last Course pode ser terminado em poucas horas, isso levando em conta que ele termine os níveis tanto na dificuldade normal quanto na especialista, e ainda desvende todos os mistérios — que nem são tantos assim para falar a verdade, mas compensam muito. Porém, esse tempo de jogatina pode se estender exponencialmente se levarmos em consideração que agora é possível jogar todo o jogo com Cálice e ainda experimentar as novas armas para descobrir novas formas de derrotar os diversos chefes do game. Além, claro, de chutar o traseiro do diabo novamente, mas desta vez com o salto da moça.


Voltar a este mundo animado foi gratificante — e ligeiramente estressante —, principalmente por conta do esmero que o game continua tendo, em grande parte pelos visuais e pela trilha sonora que continuam fenomenais. Uma das poucas ressalvas que merecem ser feitas é sobre onde você pretende jogar a expansão.

No PS4 o preço de The Delicious Last Course é o mais discrepante, chegando a mais que o dobro do valor praticado nas demais plataformas em que está disponível, e isso pode ser um fator bem desmotivador para quem pretende jogar no console da Sony. Fora isso, o conteúdo é altamente recomendado, principalmente para quem é fã do jogo original. Por fim, para fechar esta análise, deixo um convite para você conferir a nova música de abertura de Cuphead.


Uma deliciosa sobremesa

The Delicious Last Course é uma ótima adição ao já consagrado game do Studio MDHR. A espera por ele realmente valeu a pena, principalmente para quem já experimentou tudo que o jogo base tem a oferecer. Os novos chefes e a possibilidade de rejogar todo o game usando um novo personagem e novas habilidades são um convite e tanto para dar uma nova lição ao diabo. Altamente recomendado!


Prós

  • A Srta. Cálice, além das novas armas e relíquias, adicionam um fortíssimo fator replay;
  • Nível de desafio dos novos chefes se mantém formidável;
  • Os desafios extras e mistérios agregam mais valor à expansão.

Contras

  • Ausência de fases run ‘n’ gun;
  • Impossibilidade de ambos os jogadores se favorecerem das habilidades da Srta. Cálice no modo cooperativo;
  • O preço do DLC é pouco convidativo no PS4.
Cuphead: The Delicious Last Course — PC/PS4/XBO/Switch — Nota: 9.0
Versão utilizada para análise: PlayStation 4
Revisão: Heloísa D’Assumpção Ballaminut
Análise feita com cópia cedida pelo Studio MDHR

Fã de Castlevania, Tetris e jogos de tabuleiro. Entusiasta da era 16-bit e joga PlayStation 2 até hoje. Jogador casual de muitos e hardcore em poucos. Adora quando as partidas acabam em discórdia e fogo no parquinho. Nas redes sociais é conhecido como @XelaoHerege
Este texto não representa a opinião do GameBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


Disqus
Facebook
Google