Empresas do setor de games se manifestam sobre fim do direito ao aborto nos EUA

Decisão da Suprema Corte do país revogou o direito ao aborto que já estava em vigor a mais de 50 anos.


Na última sexta-feira (24) a Suprema Corte dos Estados Unidos derrubou a decisão que tornava legal o direito ao aborto no país. Com a decisão, segundo a constituição norte-americana, os estados voltam a ter poder para decidir sobre a legalidade do procedimento no país. Seguindo um caminho contrário ao da opinião pública nacional, a revogação do direito fez com que a prática, antes amparada por lei nacional, se tornasse proibida em praticamente metade dos Estados Unidos.

Desde então diversas manifestações de pessoas, não só nos Estados Unidos mas também ao redor do mundo, trouxeram de volta a questão sobre os direitos da mulher sobre seu corpo e também sobre o controle de natalidade e outras questões relacionadas ao tema, como a realização de aborto proveniente de estupro, por exemplo.

Empresas do setor de games também se manifestaram sobre o tema, expressando seu repúdio acerca da decisão da Suprema Corte e enfatizando o fato como um verdadeiro retrocesso de direitos no país. Confira as publicações a seguir.
"Apoiamos totalmente nossas equipes nos EUA. Hoje e todos os dias, acreditamos que direitos reprodutivos são direitos humanos, direitos das mulheres são direitos humanos, direitos de transsexuais são direitos humanos, e direitos iguais são essenciais em um mundo onde todos possam viver suas vidas de forma plena e autência."
"Direitos reprodutivos são direitos humanos."
"A Innersloth apoia a liberdade e a escolha reprodutiva. O fim do direito constitucional ao aborto é um desastre de gênero, racial, econômico e aos direitos humanos tanto para gerações atuais e futuras. Há muitas pessoas e organizações locais para apoiar. Se puder, doe sua voz, tempo, ação, dinheiro ou privilégio. Estamos do lado de todos que foram afetados."
"Acreditamos que a capacidade de fazer escolhas sobre o corpo ou estilo de vida de alguém é um direito humano."
"Somos seres humanos que fazem jogos. Liberdade reprodutiva e do próprio corpo são direitos humanos."

"A Naughty Dog acredita que a liberdade reprodutiva e a autonomia do corpo são direitos humanos básicos e essenciais para a saúde e bem-estar de todos. Continuaremos a defender estes valores e apoiar ativamente nossos empregados para que recebam o apoio que precisam e querem."

"Nosso apoio a nosso povo é inabalável. Estamos comprometidos em expandir nossos benefícios a nossos empregados nos Estados Unidos e seus dependentes legais para garantir o cuidado e apoio em serviços de saúde e bem-estar para nosso pessoal."
"No Xbox, continuamos comprometidos com nossos funcionários para garantir acesso igual aos cuidados de saúde. Continuaremos a fazer tudo o que pudermos de acordo com a lei para apoiar nossos funcionários e dependentes inscritos no acesso a cuidados de saúde críticos."

Nos últimos dois anos foi evidente o posicionamento de empresas do setor sobre temas polêmicos envolvendo a sociedade. Relembrando, em 2020 houve grande comoção por conta do caso George Floyd, em que um homem negro faleceu após uma abordagem violenta pela polícia nos Estados Unidos. No início deste ano foi a guerra entre Rússia e Ucrânia, com as empresas começando a boicotar o mercado russo por conta do conflito militar.

Fonte: PC Gamer

Fã de Castlevania, Tetris e jogos de tabuleiro. Entusiasta da era 16-bit e joga PlayStation 2 até hoje. Jogador casual de muitos e hardcore em poucos. Adora quando as partidas acabam em discórdia e fogo no parquinho. Nas redes sociais é conhecido como @XelaoHerege


Disqus
Facebook
Google