Top 10

Dez personagens brasileiros que representam o Brasil no mundo dos games

Conheça um pessoal que representa os brazucas bem mais do que futebol e samba.


Quem nunca viu um filme, leu um livro ou jogou um game e se identificou com um personagem logo de cara, seja por terem o mesmo prato favorito, gostarem da mesma música, curtirem o mesmo esporte, ou simplesmente terem o mesmo penteado? Nesta edição da nossa coluna TOP 10, trazemos personagens que têm relação conosco justamente por compartilharem a mesma bandeira que a nossa. Alguns não parecem, mas são autênticos brasileiros.

10 – Richard Meyer (Fatal Fury)

Abrindo nossa lista temos o gerente do Pao Pao Cafe, um dos pontos mais badalados de South Town em Fatal Fury. Mestre na capoeira, Richard costuma ser um pouco relaxado em seus momentos de tempo livre, mas quando o assunto envolve seu restaurante, o cara leva o trabalho extremamente a sério. Sua especialidade é o preparo de drinks únicos e super requisitados pela clientela fiel do local.

Bob Wilson, outro brasileiro do rol de personagens de Fatal Fury, foi seu pupilo quando Richard o conheceu no Brasil, justamente por ter escolhido a capoeira como uma forma de combater a pobreza. Hoje, graças à mentoria do senhor Meyer, além de ser um grande lutador, é gerente de um dos restaurantes da rede Pao Pao Cafe. Lembre de fazer uma visitinha lá em KOF XV.


9 – Khushnood Butt/Marco Rodriguez (Garou: Mark of the Wolves)

Ainda no universo Fatal Fury, temos o último praticante do Kyokugen Karate. Seu nome Marco é um lutador dedicado e tem como principal objetivo chegar aos pés de Ryo Sakazaki, seu antigo mestre, Alguns de seus golpes, inclusive, são inspirados nos ataques de Ryo, como o poderoso Haoh Shokouken. De todos os lutadores de South Town, Marco tem o wrestler Tizoc como seu oponente mais digno.

Ele é fã de samba como um bom brasileiro e morre de medo de baratas. Na versão japonesa do game seu nome é Marco Rodriguez por motivos nunca revelados oficialmente. O mais provável é que a SNK não queria criar uma semelhança com o nome do personagem com o do lutador de MMA e ex-campeão mundial do UFC, Ricco Rodriguez. Lembram da história do Balrog se chamar M. Bison no Japão? Pois é!


8 – Pupa Salgueiro (Rage of the Dragons)

Nascida e criada no Brasil, Pupa foi ainda criança para os Estados Unidos com o irmão para ter uma melhor educação. Um dia, o jovem, que vivia se envolvendo em brigas na rua, desapareceu. Com a ajuda de seu amigo Pepe Rodriguez, Pupa e ele decidem participar de um perigoso torneio de artes marciais para descobrir sobre o paradeiro do rapaz. Ela adora mecânica e luta usando um estilo bem semelhante à capoeira, sempre estampando um contagiante sorriso para esconder sua preocupação com o irmão desaparecido.


7 – Jet Stream Sam/Samuel Rodrigues (Metal Gear Rising: Revengeance)

Na sétima posição da nossa lista temos um vilão. Sam é descendente de uma longa linhagem de espadachins japoneses que data do século XVI e é mestre em uma arte que adaptou do Yagyu Shinkage-ryu e batizou de Rodrigues Shinkage-ryu. Com seu corpo totalmente aprimorado com o uso de um exoesqueleto, em 2018 atuava como um mercenário e acabou cruzando espadas com Raiden, que na ocasião atuava em uma missão na Itália.

No primeiro encontro, Sam saiu vitorioso, deixando seu novo rival seriamente ferido. Na revanche, já nos momentos finais de Metal Gear Rising: Revengeance, ele não foi páreo para um Raiden mais letal e melhorado, acabando morto com um golpe fatal no peito.


6 – Giovanna (Guilty Gear –Strive–)

Na sexta posição, está uma das estreantes da franquia Guilty Gear. Juntamente com um espírito na forma de um lobo chamado Rei, que ela considera como sua família, Giovanna é membro de uma unidade de operações especiais encarregada de proteger o presidente dos Estados Unidos.

Cuidadosa com as palavras, ainda assim ela consegue ser rude e irreverente por conta de sua atitude, uma herança da infância difícil que viveu, mas no fundo tem boas intenções e é especialmente amigável com crianças e animais. É um personagem com futuro na série da ArcSys.


5 – Lúcio (Overwatch)

O carioca Lúcio Correia dos Santos divide seu tempo como um famoso DJ de renome internacional e combatente pela liberdade no mundo de Overwatch. Ele teve uma infância pobre nas favelas do Rio de Janeiro e achou na música uma forma de levar mensagens de felicidade, inspiração e união entre as pessoas. Dos becos da favela, Lúcio rapidamente conquistou as grandes arenas com seu som.

Lúcio faz uso de tecnologia modificada da Corporação Vishkar, empresa pela qual nutre um ódio enorme por conta de falsas promessas feitas para melhorar a vida dos brasileiros na luta ao lado dos demais membros da Overwatch para fazer o mundo melhor. O DJ mais famoso do Brasil, pelo menos no universo do game, fica na quinta posição de nossa lista.


4 – Rikuo (Darkstalkers)

Nas profundezas do Amazonas, havia um reino de 30.000 tritões. Em um dia fatídico, este pacífico império aquático foi destruído por um imenso terremoto oriundo de uma atividade vulcânica. O imperador tritão e herói, Rikuo, estava sozinho. Com seu lar em ruínas, Rikuo ficou cheio de raiva, e quando descobriu que foi Pyron o responsável pelo que aconteceu, prometeu vingança. Junto com outra sobrevivente, Keera, se estabeleceu para reconstruir seu império. Ele e sua esposa se mudaram da Amazônia para o grande oceano para criar sua família e garantir a quarta posição de hoje.


3 – Blanka (Street Fighter)

A fera elétrica da selva esbanja fúria e força, mas é detentora de um bom coração. Blanka foi por muitos anos o principal representante do Brasil no mundo dos games e hoje conta com mais dois conterrâneos para ajudá-lo a carregar nossa bandeira no universo de Street Fighter: os irmãos Laura e Sean Matsuda. Hoje seu sonho é tornar os bonecos Blanka-chan um sucesso comercial ao redor do mundo. Em nossa lista, o brutamontes verde da selva amazônica fica com a terceira colocação.


2 – Eddy Gordo (Tekken)

Filho de uma família rica no Brasil, Eddy Gordo foi preso injustamente após um atentado contra seu pai, que investigava um cartel de drogas. Em seu leito de morte, o pai de Eddy pediu que ele assumisse a culpa pelo assassinato para que ficasse a salvo da organização criminosa. Na prisão, ele conheceu um homem já velho que o ensinou a arte da capoeira durante os oito anos em que cumpriu pena, saindo de lá com o título de mestre.

Após ficar livre, Eddy entra na terceira edição do Tekken com o objetivo de vencer e usar os recursos da Mishima Zaibatsu para vingar a morte de seu pai e colocar os verdadeiros criminosos na cadeia. Ele também fez uma outra promessa ao sair da prisão: ensinar capoeira a Christie Monteiro, neta do seu mestre na prisão. O capoeirista com dreadlocks e o icônico uniforme com a estampa 'Faísca' fica com a segunda posição desta edição do TOP 10. 

1 – Allejo (International Superstar Soccer)

A primeira posição de nossa lista de brazucas fica com o maior atleta que já vestiu a camisa da seleção brasileira de futebol em todos os tempos. Allejo começou sua meteórica carreira em International Superstar Soccer, para o Super Nintendo, em 1994 e foi o protagonista da revolução do esporte mais popular do mundo nos videogames.

O game da Konami foi o predecessor de uma nova era para o futebol virtual, popularizando o gênero e se tornando o alicerce do que conhecemos hoje na versão digital do esporte. Hoje não temos mais o prazer de ver o mito Allejo jogar, mas quem teve a oportunidade de vê-lo com a bola no pé vai concordar que o eterno camisa 7 do Brasil merece a posição mais alta deste TOP 10.


Menção Honrosa: Carlos Oliveira (Resident Evil 3)

Carlos foi membro de uma guerrilha antigovernamental na América do Sul. Depois de sua equipe ser desmantelada por forças do governo local, ele ingressou na Corporação Umbrella na função de coordenador de mercenários, e posteriormente, já na UBCS, passou a integrar a Equipe Delta que foi despachada para Raccoon City em 1998 para uma missão de resgate de civis durante os eventos de Resident Evil 3.

Apesar do nome dar fortes indícios de sua descendência, a nacionalidade de Carlos Oliveira nunca foi oficialmente confirmada pela Capcom, que identifica seu local de nascimento apenas como América do Sul. O personagem caiu na graça dos brasileiros, que adotaram o rapaz e o consideram um cidadão tupiniquim. É por conta desse afeto que nossa menção honrosa vai para o "brasileiro não oficial” mais conhecido dos games.


E aí? Faltou alguém nessa lista? Qual é o seu brazuca favorito no mundo dos games? Deixe nos comentários sua opinião e sugestões para mais uma edição do TOP 10 aqui no GameBlast.
Revisão: Davi Sousa

Fã de Castlevania, Tetris e jogos de tabuleiro. Entusiasta da era 16-bit e joga PlayStation 2 até hoje. Jogador casual de muitos e hardcore em poucos. Adora quando as partidas acabam em discórdia e fogo no parquinho. Nas redes sociais é conhecido como @XelaoHerege


Disqus
Facebook
Google