Jogamos

Análise: Tiny Tina's Assault on Dragon Keep: A Wonderlands One-Shot Adventure (Multi) revive um dos melhores DLCs da franquia Borderlands

Ainda que um pouco limitado, qualidades como jogabilidade competente, enredo divertido e boa quantidade de conteúdo tornam o game uma ótima opção.


Conhecida pela farta quantidade de expansões, a franquia Borderlands em breve receberá um spin-off que promete muito. Enquanto ele não chega, que tal conferir a origem dele em Tiny Tina's Assault on Dragon Keep: A Wonderlands One-Shot Adventure? Originalmente um DLC, esse novo game é uma ótima pedida para quem curte um jogo bem humorado e repleto de ação. Pegue seu arsenal favorito e role os dados, pois a análise vai começar!

Panela velha, comida boa

Para quem não lembra, Borderlands 2 (Multi) foi lançado em setembro de 2012, sendo que o DLC Tiny Tina's Assault on Dragon Keep saiu em junho de 2013. Finalmente, chegamos ao lançamento de A Wonderlands One-Shot Adventure em novembro de 2021, que, além de uma versão standalone do original, é uma espécie de aperitivo reforçado.
Borderlands 2 obteve um grande e duradouro sucesso

Isso porque Tiny Tina’s Wonderlands (Multi) chegará em 25 de março de 2022 e será como um sucessor do DLC original, agora com todas as novidades vistas em Borderlands 3 (Multi), de setembro de 2019. O novo lançamento é fortemente inspirado na expansão de 2013, o que torna a chegada da versão standalone uma ótima oportunidade para jogadores novatos e veteranos.

A única ressalva fica quanto ao enredo: Assault on Dragon Keep continua diretamente da campanha de Borderlands 2 e, portanto, traz personagens, piadas e acontecimentos que só são devidamente aproveitados para quem conhece a franquia. Mesmo com a adição de uma cutscene para recapitulação, o problema persiste, embora ele seja compreensível dada a natureza do game.

Bem-vindo ao mundo mágico e caótico de Tiny Tina
Seja qual for a experiência do jogador, com certeza ele conseguirá entender a linha geral da história e aproveitar o game. Isso vale também para a produção técnica, pois mesmo com quase dez anos, ela ainda merece respeito. Os visuais mais cartunescos e a dublagem competente são ótimos, incluindo na nova geração de consoles, que carrega os grandes cenários e mapas velozmente.

Uma nova aventura em Pandora (ou quase)

Assault on Dragon Keep coloca vários dos personagens da franquia Borderlands para jogar um RPG de mesa no estilo medieval-mágico. A mestra do jogo, ou seja, quem conduz a aventura, é a irreverente Tiny Tina, que torna cada parte da história uma divertida experiência. Ou seja, apesar de se passar no planeta Pandora, na prática estamos dentro de um mundo de fantasia.
Que rolem os dados!
Com exceção dessa ambientação e de algumas mudanças e novidades pontuais que veremos em breve, o game funciona igualzinho a Borderlands 2 (e a franquia como um todo). A proposta aqui é explorar vastos territórios repletos de missões, inimigos e itens, sobretudo armas. Estas vêm nas mais diversas formas e com habilidades bastante variadas, tornando a busca de equipamentos melhores para enfrentar vilões poderosos um dos destaques da série.
Prepare-se para enfrentar todo tipo de ameaças
A fórmula continua divertida como sempre e funciona bem na versão standalone do DLC. O enredo irreverente complementa com qualidade a premissa de usar armas em um mundo habitado por cavaleiros, magos, orcs e fadas. Não é à toa que vamos receber um título completo baseado nessa proposta, pois realmente temos missões e explorações muito divertidas.

Igual, mas diferente

Como a versão original era um DLC voltado para jogadores experientes e já com alto nível, certas medidas tomadas Tiny Tina's Assault on Dragon Keep: A Wonderlands One-Shot Adventure foram muito felizes. Inimigos e recompensas foram rebalanceados para facilitar a aventura, incluindo a adição do chamado Easy Mode, que torna tudo ainda mais acessível. Confesso que recorri a essa opção algumas vezes, pois certos chefes do jogo foram bastante exigentes.
Acredito que essa saída tenha sido a melhor solução, pois a dificuldade do título é elevada, principalmente para novatos na franquia. Mesmo assim, algumas coisas poderiam ter sido modificadas para facilitar a progressão. Voltando para as novidades positivas, temos vendedores e outros recursos, antes exclusivos da versão base de Borderlands 2, disponíveis diretamente no DLC.
Várias figurinhas carimbadas da franquia aparecem pelo game
O modo cooperativo também está disponível, localmente ou online, permitindo batalhas gloriosas ao lado dos amigos. Outras adições incluem: catapultas repletas de tesouros, ou seja, armas e itens poderosos; missões e itens inéditos; probabilidade maior de obter recompensas raras; todas as seis classes de personagem disponíveis desde o início. Ou seja, tudo para tornar A Wonderlands One-Shot Adventure a experiência o mais completa possível.

Equipar, atirar e “lootear”

O fluxo do game é bem definido, colocando o jogador para explorar grandes cenários e cumprir missões para avançar na história, além de realizar desafios secundários e descobrir segredos interessantes. Cada pedacinho do mapa esconde algum inimigo, baú ou outra atração para ser encontrada, proporcionando boas horas de diversão. Sendo, em essência, um DLC, a quantidade de coisas divertidas a fazer é considerável.
As surpresas estão por todos os lados
Uma das atrações é tentar maximizar ambos o arsenal e as habilidades do personagem, que são melhoradas ao subir de nível com pontos de experiência ou pelo cumprimento de desafios específicos. Já as armas, escudos e outros itens podem ser obtidos aleatoriamente, sempre de forma proporcional à dificuldade da missão e dos vilões derrotados.
Os inimigos surgem em várias formas, incluindo esqueletos, magos, cavaleiros e orcs. Gerenciar o arsenal durante os tiroteios e fazer bom uso dos recursos é vital para ter sucesso, embora o game seja generoso e conceda várias oportunidades para o jogador vencer. Construir progressivamente um inventário repleto de recursos poderosos é um deleite, resultando em combates cada vez mais épicos.
Nada como conseguir aquele item lendário tão desejado
O game pode ser experimentado novamente em uma dificuldade maior, colocando à prova os sedentos por desafios. A jogabilidade intuitiva e funcional colabora para continuarmos jogando, assim como as interrupções de Tiny Tina, as piadas dos NPCs e as tantas outras qualidades do título. Mesmo sendo relativamente curto, o custo-benefício é alto, o que o torna uma opção valiosa para fãs e novatos.

Pronto para detonar?

Em resumo, a nova versão de Tiny Tina's Assault on Dragon Keep cumpre a sua missão com louvor. Ou seja, oferecer uma aventura divertida e cheia de ação, além de ser um aperitivo para a sua “sequência”. A qualidade do DLC traz tudo o que Borderlands 2 tem de melhor: tiroteios frenéticos, enredo engraçado e muitas coisas legais para fazer e descobrir. Agora é esperar que a sequência de A Wonderlands One-Shot Adventure seja ainda melhor que a experiência original.

Que Wonderlands siga o bom caminho e vá ainda mais longe

Prós

  • Versão standalone competente e divertida de um dos melhores DLCs da franquia Borderlands;
  • Estilos visual e sonoro, sobretudo na dublagem, têm competências suficientes para sobreviver ao teste do tempo;
  • Qualidades originais estão todas lá: campanha principal divertida, missões secundárias interessantes, modo cooperativo e vários segredos;
  • Todas as novidades e melhorias da nova versão são muito bem-vindas.

Contras

  • Faltaram melhorias e novidades em alguns pontos específicos, sobretudo no nível de dificuldade;
  • Várias partes do enredo, piadas e diálogos funcionam somente se o jogador conhecer Borderlands 2.
Tiny Tina's Assault on Dragon Keep: A Wonderlands One-Shot Adventure — PC/PS4/XBO — Nota: 8.0
Versão utilizada para análise: PS4
Revisão: Juliana Paiva Zapparoli
Análise produzida com cópia adquirida pelo redator

é produtor de conteúdo sobre games desde julho de 2016 e um grande fã da décima arte, embora não tenha muito tempo disponível para ela. Seus games favoritos (que formam uma longa lista) incluem: KH, Borderlands, Guitar Hero, Zelda, Crash, FIFA, CoD, Pokémon, MvC, Yu-Gi-Oh, Resident Evil, Bayonetta, Persona, Burnout e Ratchet & Clank. @MatheusSO02


Disqus
Facebook
Google