Dicas e Truques

Far Cry 6 (Multi): Guia de sobrevivência em Yara para iniciantes

Quer sobreviver nessa ilha tropical sem ser atropelado por um tanque ou atacado por um crocodilo? Nós te ensinamos como!

Apesar de trazer uma fórmula típica da franquia como um todo, Far Cry 6 (Multi) ainda pode ser uma ótima entrada para iniciantes na série. Porém, para que ninguém se sinta perdido na bela ilha de Yara, nós te daremos algumas dicas de sobrevivência bem valiosas. Pegue sua mochila, suas armas, não esqueça do seu parça e vamos nessa!

Use o celular e o ambiente a seu favor

Uma das combinações mais proveitosas que o jogador tem a seu favor é o seu telefone celular e o relevo ao seu redor. Primeiro, o celular é uma ferramenta-chave que ajuda na identificação dos soldados que estão nas proximidades. Com ele podemos ver qual o tipo de munição que eles usam, sua especialidade, qual é a sua fraqueza e sua movimentação. Assim que eles forem identificados pelo nosso aparelho, ficarão visíveis para nós o tempo todo (se morrermos e recomeçarmos a missão, é necessário marcar todo mundo de novo). O celular também ajuda a mostrar os alarmes e armadilhas em cada base, para que planejemos o melhor caminho na hora da invasão.

Porém, toda essa versatilidade é muito melhor aproveitada em lugares elevados. Nem sempre o jogador terá à sua disposição uma torre de comando para escalar, então a melhor opção é sempre procurar uma rocha alta, mesmo que um pouco mais distante do objetivo.

Seja furtivo e economize balas 

Quando temos um arsenal variado em mãos, é óbvio que queremos testar cada arma possível. Entretanto, principalmente no começo da nossa expedição, possuímos pouquíssimas opções disponíveis e é muito fácil ficar sem munição se entrarmos em um confronto.

Por isso, e seguindo a dica anterior, dê preferência a uma ação furtiva. Assim você economiza seu armamento para os momentos mais críticos. Depois que identificar os soldados mais isolados, aproxime-se deles e elimine-os com o seu machete, ou tente acertá-los de longe com uma faca de arremesso, ou arco e flecha. Esses métodos são muito úteis pois, além de serem silenciosos, ainda é possível pegar de volta a flecha ou a faca no corpo abatido. Mas não se esqueça de arrastar os cadáveres para longe, pois, se eles ficarem à vista, sempre chamam a atenção dos soldados próximos e isso faz com que eles chamem reforços pesados.

Capriche na customização

Assim que liberamos a bancada para melhorarmos nosso arsenal, é importante termos em mente que pela frente existem diferentes tipos de inimigos. Vale lembrar também que, quando adquirimos uma alteração para uma arma, ela fica disponível para a classe inteira. Por exemplo, se colocarmos munição explosiva para um rifle, todas as suas outras armas dessa classe poderão ser equipadas com esse tipo de bala, sem precisar gastar mais recursos para isso.

Sendo assim, priorize sempre ter variados tipos de munição, principalmente antipessoal e perfurante, que são as fraquezas das maiorias dos soldados. Munições venenosas, explosivas e incendiárias também são bem-vindas, mas serão usadas em ocasiões bem mais específicas.

Também é importante investir em miras telescópicas, principalmente para seus fuzis de precisão. Ter pelo menos um com uma mira de 5x ou 10x já adianta bastante a infiltração em ambientes com muitos inimigos.

Abuse do seu guarda-roupa

Além das armas, é possível escolher a roupa que você irá utilizar e, diferente das armas, que só podem ser personalizadas na bancada, a troca de peças do vestuário pode ser feita livremente, até durante os combates. Por isso, busque sempre os equipamentos que melhor atendem à sua necessidade durante uma missão.

As cinco partes (cabeça, peito, pernas, pés e mãos) podem fazer parte de um conjunto que prioriza algo específico, como resistência, cura, movimentação, furtividade ou precisão. Porém, não é necessário utilizar um conjunto completo de roupas, uma vez que não há bônus nenhum por isso. Use sua criatividade e vista aquilo que melhor atende suas características de abordagem.

Conte com os seus parças

Uma das novidades deste jogo é o uso de companheiros animais para auxiliar no combate. Guapo, Chorizo, Chicharrón, Oluso e Cabum possuem algumas habilidades específicas, como ajudar a curar você ou distrair soldados para serem abatidos, além de eles mesmos eliminarem os inimigos.

A dica que damos aqui é que, assim que possível, consiga Oluso. A pantera negra é obtida ao completar a Caça ao Tesouro Bênçãos da Tríade. Essa missão secundária requer que três tesouros distintos sejam recolhidos e levados de volta a uma caverna em Isla Santuario, uma das primeiras cavernas que visitamos no jogo.

O que faz dela tão especial é que, além de sua agilidade e sua força para abater os inimigos, ela faz os corpos deles virarem cinzas. Assim, ninguém te detectará ao presenciar um cadáver. Caso o soldado abatido possua algum item com ele, como uma chave de acesso, esse item automaticamente virá para você, o que é muito melhor do que ir até o recém-falecido e se expor ao perigo.

Fique de olho no mapa (e no minimapa também!)

Far Cry 6 tem um mapa muito vasto, com uma infinidade de coisas para serem feitas, mas algumas têm que ser priorizadas. É importante conquistar bases da FND (simbolizadas por uma bandeira vermelha) e pontos de controle (marcados com uma cancela vermelha), pois, assim que eles são convertidos, tornam-se pontos de viagem rápida. Isso facilita muito a vida do jogador para cumprir missões que possuem um destino muito longe da origem. Outros objetivos, como Caça ao Tesouro, baús da FND e da Libertad, e contrabandos também são mostrados, mas podem ficar em segundo plano (se o jogador assim preferir).

Entretanto, tem coisas que o mapa tradicional não mostra e que só aparecem no minimapa, aquele que fica no canto inferior esquerdo da tela. Geralmente são colecionáveis, como caixas de joias, galos e pen drives. Porém, caso um desses apareça pelo seu caminho, é melhor ir pegar pois eles não ficam marcados no mapa geral. 

O que também merece atenção são as exclamações pretas. Elas geralmente trazem situações que podem lhe conferir instruções importantes, eventos e prisioneiros para serem libertados. Sempre que avistar uma, vale a pena conferir. Uma dica: caso essa exclamação apareça sobre um soldado sozinho, aproxime-se dele desarmado, pois ele aceitará um suborno para te dar alguma informação valiosa. Se aparecer com a arma na mão, ele reagirá como os demais e te atacará.

Não sabe o caminho? Vá a cavalo!

Um dos melhores meios de locomoção de Far Cry 6 são os helicópteros. Eles são rápidos, fáceis de manejar e podem ser parados em qualquer lugar sem problemas ou manobras exageradas. Porém, logo de início é muito arriscado usá-los, pois o espaço aéreo está interditado por canhões que irão te abater sem fazer cerimônias.

Qual a solução mais viável então? Os cavalos! Tudo bem que eles não são tão rápidos quanto os carros, quadriciclos e motos, porém eles têm suas vantagens. Assim que o destino for definido no mapa, o cavalo pode chegar a ele por meio da viagem automática. Primeiro, precisamos guiá-lo manualmente até uma via principal, que geralmente é sinalizada em azul no minimapa enquanto nos deslocamos. 

Ao chegarmos a uma dessas vias, basta apertar um botão que o cavalo vai sozinho, até um ponto relativamente próximo. Depois disso, podemos escolher descer e prosseguir a pé, ou continuar pelo caminho estreito com o cavalo mesmo, o que a maioria dos veículos não consegue fazer sem atolar ou capotar.

Entretanto, um aviso: sempre fique atento aos caminhões pela pista, pois eles podem te atropelar sem mais nem menos, e isso mata o bichinho na hora. Outro aviso: cavalos selvagens não podem ser montados. Apenas é possível pegar um que tenha cela, esteja ele com alguém ou não.

Cuidado com a natureza

Além de ter que se preocupar com os militares, dependendo da região em que se está e o período do dia, há a possibilidade de ser atacado por um animal selvagem. Eles podem ser pequenos, como mangustos e coiotes, ou ferozes e mortais, como crocodilos e leopardos. É preciso estar sempre atento à sua presença pelas redondezas, principalmente à noite. Um descuido e eles podem te devorar rapidinho.

Caso você seja atacado por um desses, é importante lembrar-se de uma coisa: NÃO ATIRE! Matá-los com uma arma danifica sua carne, que acaba se tornando um material menos valioso. Sempre que possível, tente matá-los com golpes de machete, facas de arremesso ou flechas. Assim a carne é preservada e pode servir para receitas e trocas mais rentáveis. O mesmo vale para pesca. Atirar em um tubarão não adianta muito (apesar de ser muito divertido atingi-lo com um lança-mísseis), então para conseguir sua carne é necessário fisgá-lo da maneira tradicional.

Assim concluímos nosso guia básico de sobrevivência em Yara. Esperamos que seja muito útil para desfrutar o que essa ilha tem de melhor, além dos combates entre revolucionários e militares a céu aberto, animais perigosos que estão com fome de turista e pessoas de índole duvidosa te oferecendo equipamentos caseiros. Bom passeio e viva la Libertad!

Revisão: Ives Boitano


é amante de joguinhos de luta, corrida, plataforma e "navinha". Também não resiste se pintar um indie de gosto duvidoso ou proposta estranha.


Disqus
Facebook
Google