Jogamos

Análise: Astro Aqua Kitty (Multi) é uma aventura divertida e desafiadora com gatinhos

Explore asteroides e enfrente piratas e monstros espaciais enquanto fortalece seu submarino espacial e desbrava o cosmos.


Aqui estamos novamente com uma premissa que traz animais desbravando o espaço sideral. No lugar das lontras de outro dia, dessa vez nossa companhia são gatos que estão em busca de minérios preciosos pela galáxia, mas precisam ficar atentos aos coelhos piratas espaciais — Cara, essas histórias tão cada vez melhores.


Em Astro Aqua Kitty, temos a intrépida tarefa de comandar um submarino espacial para ajudar expedições felinas em um local bastante promissor: asteroides cheios de água. Uma aventura que nos fará "tirar leite de pedra" para ajudar nossos amigos peludos e fofinhos a triunfar.

Uma aventura “aqua-espacial”

Aqui assumimos o controle de um submarino comandado por um piloto e um engenheiro. No início do jogo, temos a opção de escolher dois dentre oito personagens que serão nossa tripulação pelo restante da aventura. Destes, cada piloto possui atributos base de saúde, ataque, defesa e habilidades especiais únicas.

Os engenheiros dispõem de habilidades específicas para cada um, sejam elas para favorecer seu ataque, defesa ou técnicas que agilizam algum processo do submarino, como recuperar pontos de vida mais rápido, melhorar a eficiência de armas, aumentar o ganho de pontos de experiência, entre vários outros.


Com quatro opções em cada categoria, matematicamente temos 16 combinações diferentes de personagens para escolher, e vejo isso como um alto fator de replay. Você pode começar a jogar com uma dupla, terminar a campanha e depois tentar novamente com uma totalmente diferente. Claro que algumas particularidades podem não te estimular a experimentar todos os personagens, como a ausência de habilidades que você goste ou a presença de algumas que deixem seu ritmo de jogo mais lento.

Juntando isso aos diferentes níveis de dificuldade que podem ser selecionados e ao modo de morte permanente que também fica a critério do jogador, podemos chegar à conclusão de que temos uma generosa gama de variantes para definir como será nossa experiência aqui.

A bordo do submarino, temos a tarefa de explorar diferentes asteroides de um cinturão, divididos em fases. Alguns membros da expedição espacial felina estão espalhados pelos gigantescos corpos celestes para nos ajudar em nossa missão, como mecânicos, engenheiros e pilotos de gigantescas brocas de perfuração.Cada fase dá ao jogador uma tarefa para ajudar os membros e então ser igualmente favorecido com seu apoio após êxito nas tarefas, que envolvem escoltar cargas, defender salas, procurar peças para reparo de maquinários e assim por diante.


O combate contra as criaturas abissais cósmicas que habitam os asteroides é outro ponto alto da experiência. A jogabilidade é totalmente inspirada nos clássicos shoot ‘em ups, os populares jogos de navinha. A diferença é que temos total liberdade de movimentos para navegar por onde quisermos. Às vezes até esquecemos que estamos dentro d'água — e no espaço, não vamos esquecer onde realmente estamos!

Criando a máquina de combate perfeita

O cerne da jogabilidade de Astro Aqua Kitty está na construção dos atributos do submarino. Explorando os asteroides, encontramos diversos equipamentos e armamentos para nosso veículo, que também podem ser adquiridos ao custo de gemas nas docas de salvamento. 

As armas são as mais variadas possíveis, indo do simplório “tirinho” básico de jogos de nave, passando por torpedos teleguiados e projéteis carregados que causam dano elevado, e chegando a minas explosivas e lasers super poderosos que fazem um estrago massivo ao custo de toda sua energia.

Os equipamentos possuem diversas características que vão potencializar atributos do submarino: aumentar a capacidade máxima ou recuperação de pontos de vida ou energia, aumentar o valor das gemas que são coletadas para comprar itens, capacidade de causar dano crítico, aumentar a velocidade de movimento do submarino e muito mais.


Esses elementos de RPG dão um fôlego ao jogo, pois nos estimulam a sempre procurar por componentes melhores para deixar nossa máquina mais poderosa. A única limitação imposta é que os itens só podem ser equipados quando você está no mesmo nível exigido para que ele seja instalado na nave.

Outra liberdade é poder guardar equipamentos para situações específicas. Em minhas sessões de jogo, sempre deixei um arsenal mais versátil para usar durante as fases, auxiliando tanto na exploração quanto nos embates contra os inimigos. Na hora de enfrentar um chefe, eu equipava minhas armas mais poderosas, incrementos de energia para atacar por mais tempo e de defesa para ser mais resistente, e caía pra cima dos monstros para não ter muitos problemas na hora do “vamo vê”.

Não me disseram que era tão grande

Uma coisa que me deixou em cima do muro em relação a Astro Aqua Kitty foi um detalhe sobre o design das fases. Visualmente, cada local é mais bonito e interessante que o outro. Instalações industriais, áreas vulcânicas, ruínas, flora diversificada — quem diria que teria tanta vida dentro de um asteroide — são todos ambientes que entretêm e impressionam nos detalhes. Quando você começa a navegar para áreas mais profundas da fase, a iluminação também fica prejudicada, escurecendo e favorecendo uma emboscada de inimigos.


Entretanto, a partir da terceira fase as coisas começam a tomar proporções inesperadas, com mapas cada vez maiores e momentos que exigem que você atravesse longos trechos para cumprir um objetivo. Dá pra saber que você já passou por um local quando a quantidade de inimigos é consideravelmente menor e ele já está aparecendo no mapa. Houve momentos em que me peguei questionando o porquê de ter um mapa tão grande nessa ou em outras fase.

Sem pontos de viagem rápida para acelerar a navegação, há níveis que chegam perto de uma hora de duração para ser totalmente explorados e concluídos. Outra coisa de que senti falta durante a campanha é a opção de selecionar níveis passados para jogar. Ao concluir uma fase, você automaticamente realiza um salvamento e já está a caminho da seguinte.


O nível dos inimigos, pontos de experiência obtidos ao destruí-los e equipamentos das fases subsequentes são exponencialmente elevados; por isso, é recomendável que você aproveite ao máximo sua estadia na fase atual antes de enfrentar o chefe e partir para a seguinte, que pode dar um pouco de trabalho caso você não esteja tão bem equipado para a situação.

Afinal, nada impede que em uma segunda ou terceira campanha você não tenha a mesma sorte de obter equipamentos tão bons como da primeira vez. A necessidade de adaptação em Astro Aqua Kitty é constante para que os inimigos não sobrepujem seu nível.

Fora isso, apesar de mapas gigantescos, inimigos que ficam cada vez mais fortes e a aleatoriedade da obtenção de equipamentos a cada campanha, o ritmo de jogo não decepciona. Toda fase adiciona alguma mecânica ou atividade nova a ser executada, ou um novo tipo de inimigo com o qual você tem que se preocupar para que ele não tire vantagem de suas fraquezas. Depois da primeira hora, você só quer ir cada vez mais longe para ver o quão poderoso seu submarino pode ficar, algo que eu achei deliciosamente viciante e potencializado por uma trilha sonora muito divertida.

Miau sideral

Astro Aqua Kitty é um título aparentemente despretensioso que me ganhou com sua qualidade e jogabilidade viciante. Em determinado momento eu nem ligava mais para a história, focando minha atenção em explorar cada canto das diversas fases do jogo só pra deixar meu submarino cada vez mais perfeito. Um shoot ‘em up diferente e envolvente.

Prós

  • Jogabilidade no gênero shoot ‘em up diferente, fluida e viciante;
  • As combinações de pilotos e equipamentos, e os ajustes de dificuldade, estimulam o fator replay;
  • Trilha sonora empolgante e divertida.

Contras

  • Algumas fases são desnecessariamente grandes;
  • Sem seleção de fases;
  • A aleatoriedade na obtenção de itens pode prejudicar o desempenho do jogador.
Astro Aqua Kitty – PS4/Vita/Switch – Nota: 8.0
Versão utilizada para análise: PS4
Revisão: Davi Sousa
Análise feita com cópia digital cedida pela Tikipod

Tecnólogo em Gestão Ambiental, produtor do BlastCast e sincero até demais. Jogador casual de muitos e hardcore em poucos. Adora jogos multiplayer que causam discórdia e fogo no parquinho. @XelaoHerege


Disqus
Facebook
Google