Jogamos

Análise: Immortals Fenyx Rising (Multi) diverte e acerta em cheio na jogabilidade e no bom humor

O título renova o catálogo de jogos da Ubisoft, que andava bastante repetitivo nos últimos anos.

Parece que a Ubisoft está querendo fechar o ano com saldo bastante positivo! Após os recém-lançados Watch Dogs: Legion e Assassin’s Creed: Valhalla, a publicadora traz ao mundo aquele que antes era conhecido por “Gods & Monster”: Immortals Fenyx Rising apresenta uma divertida história grega com forte inspirações em The Legend of Zelda: Breath of the Wild.


Confira, em nossa análise, se o novo jogo original da Ubisoft merece sua atenção em meio a grandes lançamentos de fim de ano!

Um mortal para salvar a todos

Immortals Fenyx Rising conta a história de Fenyx, um guerreiro ou guerreira que vai parar na Ilha Dourada após um naufrágio. Ao despertar, Fenyx descobre que seu irmão e o resto da tripulação foram transformados em pedra por um feitiço lançado por Tifão, gigante filho de Gaia e aprisionado no Tártaro por Zeus.

Tifão derrotou diversos deuses e busca se libertar de sua prisão, o que está quase a ser feito, para se vingar de Zeus e tomar o controle sobre a Ilha Dourada e o Olimpo. Zeus pede ajuda a Prometeu, que utiliza Fenyx como último recurso para derrotar Tifão, quebrar o feitiço e conquistar sua liberdade.


Ao longo de 30 horas de campanha, sem contar todos os desafios disponíveis pelo mapa, Immortals segue a famosa linha da jornada do herói e é narrado por Prometeu, com comentários de Zeus, que tornam a história do jogo bastante divertida e descontraída, tirando toda a tensão da trama. Enquanto Prometeu introduz a história e os contos de forma séria e poética, Zeus invade a cena com comentários irônicos e lembranças hilárias, tornando a relação entre os dois um dos pontos fortes do jogo.

Prometeu e Zeus mencionam diversas histórias populares da mitologia grega durante a aventura, principalmente de Afrodite, Hefesto, Ares e Atena, que foram transfigurados por Tifão e tiveram suas essências aprisionadas no Tártaro. Para quem gosta do tema e de uma boa aula de história, Immortals Fenyx Rising é um prato cheio de conhecimento extra apresentado de forma descontraída.


Após as primeiras missões, que servem como tutorial e para adquirir suas habilidades e armas básicas, o jogo dá total liberdade ao jogador para explorar e prosseguir com a campanha da forma que quiser. A Ilha é dividida em sete setores, quatro deles destinados aos deuses que tiveram suas essências roubadas que, se ajudados por Fenyx, concedem divindades para ajudar na luta contra Tifão, algo bastante similar às Bestas Divinas de Breath of the Wild.

Um arsenal dos deuses

Fenyx tem à sua disposição uma ótima variedade de armas e habilidades que tornam os combates bastante dinâmicos e empolgantes. A espada permite realizar golpes leves, enquanto ataques pesados são executados com o machado. Logo no início da jornada também são liberados o arco e flecha e o pássaro Eósforo, essenciais para ataques a distância. As asas de Dédalo permitem sobrevoar o extenso e majestoso mapa para alcançar quase qualquer ponto.

A barra de estamina de Fenyx é gasta conforme o uso das asas, ao escalar paredes e executar certos ataques em combates. A administração de seu vigor deve ser bem cuidadosa para que a personagem não fique vulnerável em confrontos com grandes hordas de inimigos, tornando a jogabilidade dinâmica, porém desafiadora em certos momentos.


Como todo bom RPG, diversas customizações de personagens, equipamentos e armas permitem te preparar para a batalha final contra Tifão. As dezenas de missões paralelas e desafios espalhados pela Ilha Dourada concedem novos equipamentos e recursos exclusivos para melhorar seu avatar.

A vida de Fenyx pode ser aprimorada ao coletar ambrosias pelo mapa, já a barra de vigor pode ser melhorada completando os desafios das Câmaras de Tártaro, que garantem Raios de Zeus. Novos equipamentos e armas, com vantagens exclusivas, assim como recursos para aprimorá-los, são adquiridos em diversos baús espalhados pela Ilha Dourada. Já as melhorias de suas habilidades são feitas ao coletar Moedas de Caronte nos diversos desafios espalhados pelo mapa.


A busca por tais equipamentos e melhorias são primordiais para garantir uma evolução de personagem compatível com a de inimigos durante a campanha e para conseguir enfrentar Tifão em um nível um pouco mais equiparado. Porém, tantas coisas para fazer no mapa tornam a progressão no jogo bastante lenta, uma vez que é preciso coletar vários de um mesmo recurso para liberar uma melhoria.

A customização de Fenyx é um pouco mais básica, na qual podemos alterar formato e cor de cabelo, cor dos olhos, acessórios e marcas no rosto, além do gênero a qualquer momento no Salão dos Deuses, este que serve de base para realizar, também, todos os upgrades.

Uma coleção de desafios

Vagar pela Ilha Dourada sem nada para fazer é algo que não acontece em Immortals Fenyx Rising. Diversos tipos de desafios estão disponíveis por todo o mapa, variando entre combates, testes de agilidade e quebra-cabeças. Falando em quebra-cabeças, o jogo é um prato cheio para quem gosta de bons puzzles. As Câmaras do Tártaro concentram a maioria dos desafios intelectuais de Immortals, estes tendo uma ótima variação sem uma dificuldade muito elevada. Muitas horas serão gastas neste tipo de atividade, porém de forma divertida e sempre renovada.


Já os inimigos não possuem uma variedade tão grande. Muitos deles, principalmente animais, apenas mudam sua aparência entre uma região e outra do mapa. Isso não prejudica tanto a dinâmica dos combates, uma vez que muitas das hordas contam com inimigos sortidos, mas uma variação maior seria muito bem-vinda.

A ambientação e os gráficos de Immortals Fenyx Rising também impressionam. Seu estilo cartunesco casa muito bem com o tom leve da história e de sua narração, apresentando figuras da mitologia grega de uma maneira mais descontraída e divertida, diferentemente do que vemos em livros e outras mídias.


O trabalho de dublagem, como já de costume da Ubisoft, está incrível. Porém, problemas de sincronia e movimentos pouquíssimos naturais, quase robóticos, de personagens nas cenas prejudicam a ótima performance dos atores de voz.

A publicadora tem a terrível fama de lançar jogos com diversos bugs gráficos e de IAs, mas, por incrível que pareça, não presenciei um problema sequer relacionado a esses quesitos. Como bom fã dos jogos da empresa, posso afirmar que este foi um dos lançamentos mais bem-acabados da Ubisoft nos últimos tempos.



Uma incrível jornada pela mitologia grega

Immortals Fenyx Rising ficou um tempo no esquecimento, mas retornou e se mostrou um grande destaque neste final de geração e entre outros lançamentos de peso. O jogo encerra o ano da Ubisoft trazendo um enredo atraente e personagens com personalidades divertidas, jogabilidade dinâmica e recheado de desafios que garantem dezenas de horas de jogatina. O título é uma grata surpresa que descontrai e desafia qualquer tipo de jogador.

Prós

  • Enredo e personagens divertidos;
  • Prometeu e Zeus formam uma dupla cômica e tornam-se um dos grandes destaques do jogo;
  • Jogabilidade dinâmica e fluida;
  • Belos gráficos;
  • Trabalho impecável da equipe de dublagem;
  • Repleto de desafios e quebra-cabeças que garantem muitas horas de jogo;
  • Inesperadamente sem bugs comuns em jogos da Ubisoft.

Contras

  • Progressão da campanha pode ser um pouco lenta;
  • Evolução do protagonista depende de vários recursos que te obrigam a desviar diversas vezes das missões principais;
  • Movimentação dos personagens nas cenas são pouco naturais, prejudicando a performance dos dubladores.
Immortals Fenyx Rising – Multi – Nota: 9.0
Versão utilizada para análise: PS4

Revisão: Ives Boitano

Análise publicada com cópia cedida pela Ubisoft

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.


Disqus
Facebook
Google