Análise DLC

Análise: Ghost of Tsushima: Legends (PS4) traz um conteúdo pós-jogo de alto nível

Com uma campanha própria, contando com vários capítulos e um modo sobrevivência desafiador, fica claro que a nossa jornada em Tsushima está longe do f



Em agosto de 2020 fomos apresentados a Ghost of Tsushima, jogo que se inspira nos eventos históricos das Invasões Mongóis no Japão, responsáveis por um importante episódio no desenvolvimento cultural e militar do povo japonês. Na pele de Jin Sakai, um nobre samurai que testemunhou seu lar ruir perante o domínio mongol, foi possível vivenciar um dos enredos mais marcantes do PlayStation 4.

Se por um lado, as franquias da Sony são famosas por suas campanhas cinematográficas, uma imersão e qualidade de roteiros formidáveis, por outro elas costumam sofrer pela falta de conteúdos multiplayer. A Sucker Punch consegue ir além desse paradigma com o lançamento da atualização 1.1 que trouxe algumas novidades, dentre elas: Ghost of Tsushima: Legends, um DLC gratuito que promete expandir consideravelmente a longevidade do título.

Você não foi o único fantasma

A trama em Legends assume uma vertente sobrenatural, afinal de contas, o desenvolvimento de Jin e a cultura japonesa sempre foi interligada com o misticismo, lendas e histórias sobre suas divindades. Contextualizando com o massacre feito pelos mongóis, quantas vezes não ouvimos contos sobre locais que passaram a ser assombrados após uma catástrofe? Nesse contexto, a interferência de Khotun Khan e seu exército trouxe a tona uma legião de demônios conhecidos como Onis, capazes de desbalancear o equilibrio sobrenatural, escravizando a alma daqueles que tombaram, atormentando os sobreviventes da ilha e fornecendo poderes aos mongóis.


No intuito de equilibrar a balança, quatro corajosos fantasmas surgem a fim de expurgar a nova ameaça. A partir daí devemos escolher um deles para dar cabo dos nossos novos inimigos. O desenrolar da trama é narrada sob a óptica de Gyozen, uma divindade na forma de um sábio eremita responsável por testemunhar e registrar os grandes feitos na história da ilha. São ao todo nove capítulos: alguns são episódios individuais, mas boa parte conta a história da saga dos Fantasmas contra Iyo, a grande vilã até agora apresentada, e seus exércitos de lacaios.




Poder expandir a experiência com novas figuras, mantendo a qualidade do roteiro que vimos na campanha principal é uma grande satisfação. Cada capítulo é dividido em três mapas que diversificam em seus cenários e objetivos. Em alguns casos é necessário resgatar alguns reféns, já em outros o desafio é eliminar um inimigo em especial, todos dentro de um contexto ligado à trama daquele episódio. Em dificuldades mais avançadas, alguns trechos trazem missões bônus, inserindo tarefas adicionais aos jogadores em troca de recompensas maiores.




A aventura pode ser aproveitada de maneira cooperativa ou sozinho. Ao escolher um parceiro aleatório, pode ser difícil desfrutar de todos os detalhes da narrativa de Gyozen e pensar na próxima abordagem com mais cautela, o que pode levar aqueles que não conseguirem um par adequado a tentar os capítulos pelo menos uma vez sozinho. O que não é algo necessariamente ruim, já que é possível apreciar melhor a beleza dos mapas, que agora contam com um tom mais sombrio e elementos grotescos como corações humanos flutuando, o céu tomado pela cor vermelha do sangue, entre outros pontos relacionados ao tema fantasmagórico. Fora isso, o famoso modo Fotografia de Ghost os Tsushima está presente apenas na campanha solo, tornando o momento capturado ainda mais especial.

Um modo sobrevivência também está presente, sendo o meu preferido até então. Nele você e mais três jogadores enfrentam hordas de soldados e Onis enquanto precisam proteger três bases no mapa. A dificuldade é consideravelmente elevada, especialmente por depender de um bom entrosamento da equipe, o que nem sempre é possível em partidas aleatórias. Além do fator diversão, esse modo é uma ótima fonte de experiência, equipamentos e recursos para evoluir seu herói.




Construindo a lenda

Em nossa primeira jogada, testamos os quatro fantasmas em uma espécie de tutorial que serve para apresentar seu estilo, bem como suas habilidades únicas. A partir daí devemos escolher um para evoluirmos até o nível sete, no qual é permitido escolher uma segunda classe para jogar e assim por diante.
  • Samurais: especialistas no confronto direto, eles conseguem resistir melhor a ataques e são capazes de causar um dano corpo-a-corpo maior.

    Suas armas principais são a inseparável katana e o arco curto. As habilidades especiais Puxada Espiritual, que restabelece sua vida ao drenar a dos alvos ao redor; Lâmina Explosiva, desbloqueada posteriormente e que gera uma explosão a cada impacto da espada; e a Suprema, Fúria de Hachiman, fazendo o samurai atacar de maneira devastadora até três alvos quase que instantâneamente;
  • Assassino: mestres da furtividade, sendo os melhores para infiltrar-se em locais e desferir golpes letais em alvos específicos.

    Inicialmente ele conta com a katana e o arco curto, podendo ser substituído pela zarabatana. As habilidades especiais Desaparecimento Tóxico, que deixa o assassino invisível enquanto os oponentes ao redor sofrem dano pela fumaça venenosa; Desaparecimento Grupal, que troca a nuvem venenosa pela extensão do efeito de invisibilidade para todo o time ao redor; e a Suprema, Ataque das Sombras, que acerta até três alvos em pontos vitais, matando a maioria dos adversários;
  • Caçadora: exímia atiradora, capaz de eliminar a ameaça antes que ela se aproxime.

    Munida de uma espada samurai, seu brilho se dá pela possibilidade de usar o arco longo. Suas habilidades consistem na Flecha Paralisante, que ao atingir seu destino torna todos em sua volta imóveis por um tempo; a Flecha Explosiva, que traz um efeito semelhante, porém com a diferença de causar uma explosão flamejante; O Olho de Uchitsune é sua suprema, dando-lhe o poder de disparar flechas na cabeça de até três alvos simultâneos;
  • Ronin: o suporte ideal para qualquer time. Suas habilidades são voltadas para a cura e renascimento de companheiros caídos.

    Ele também inicia a jornada com a clássica espada e o arco curto, com o diferencial de poder alternar para as bombas explosivas, excelentes para controle de grupos. Seu poder inicial é o Animal Espiritual, que permite invocar um cão espectral para ajudá-la por um tempo; ao atingir o décimo nível liberamos o Incenso de Cura, capaz de regenerar a vida de todos na área; seu poder supremo é o Sopro de Izanami, que revive todos os companheiros caídos.


Cada personagem conta ainda com uma pequena árvore de evolução que desbloqueamos na medida que subimos o ranque de classe. Enquanto com Jin a mudança de equipamentos alterava apenas o fator estético, já aqui ela acompanha atributos básicos medidos pelo Ki, que interferem diretamente no dano causado, além de conferir atributos extras como maior dano de fogo, aumento no ganho de determinação e até a possibilidade de utilizar outras posturas (sim, aqui a postura está atrelada ao tipo de arma). E por falar em questões de aparência, é claro que a customização do nosso Fantasma não ficaria de fora, sendo possível substituir o elmo/chapéu, vestimentas, máscara e até mesmo gestos, algo muito presente em jogos online.




Um sistema de reforja foi introduzido com o intuito de trocar as qualidades de determinado equipamento ao custo de recursos obtidos na conclusão de capítulos da história, do modo sobrevivência e também dos objetivos diários que estão em constante renovação. É possível até mesmo melhorar o nível de raridade de um item, desde que se tenha sorte e o “dinheiro” necessário para tal, já que os novos atributos do produto final são randomizados.

Construir o seu guerreiro tem sido muito divertido até então. Os detalhes em cada equipamento não são tão densos a ponto de tornar a experiência técnica demais, o que poderia afastar iniciantes no gênero, mas é possível criar composições diferenciadas em cada classe. Você estará numa busca constante por equipamentos de poder e raridade superiores a fim de torná-lo cada vez mais imbatível. Por enquanto estou focado em montar um samurai capaz de defender pontos de controle sozinho, até mesmo nas dificuldades mais elevadas, o que me leva ao clássico grinding nos modos disponíveis. Os desenvolvedores já prometeram adicionar as raids no final do mês, o que irá trazer ainda mais opção, novos desafios e diversidade aos jogadores.




Distorções sobrenaturais

Eu sei que todo jogo online está sujeito a sofrer com alguns problemas técnicos, especialmente em seu período de lançamento. Contudo, é nosso dever e responsabilidade alertar sobre os problemas que vimos até então. Desde a adição do DLC, alguns usuários relataram instabilidade com os serviço da PSN, principalmente na queda de conexão com os servidores durante a partida.




Pessoalmente, além do empecilho já relatado, durante uma partida do modo sobrevivência a tela era trocada constantemente por avisos de erro de conexão. Felizmente não fui impedido de terminar as 20 rodadas de inimigos, porém, em um jogo que um golpe inimigo pode significar a morte, isso é algo que atrapalha consideravelmente. Recentemente foi lançada a atualização 1.13, que promete corrigir grande parte desse erros, além de já deixar preparados os novos conteúdos que virão no final do mês.

O que era bom ficou ainda melhor!

A Sucker Punch Productions vem fazendo um trabalho formidável em sua recente franquia. Ghost of Tsushima: Legends chegou para tornar perfeita a experiência com um título que já era considerado uma obra-prima na oitava geração de consoles. Ele não só trouxe junto a possibilidade de reviver a experiência com Jin no Novo Jogo +, como também expandiu os horizontes de forma quase que ilimitada graças à sua proposta cooperativa online, que permite que novos conteúdos sejam adicionados periodicamente. É o tipo de DLC que agrega um valor tremendo ao produto e nós, jogadores, somos os principais beneficiados nessa história.




Mesmo aqueles que não gostam da interatividade desse tipo de proposta, fica aqui a recomendação para darem uma chance à novidade, pois digo isso como uma pessoa que se enquadra nesse grupo e vem se divertindo cada vez mais nela.
Ghost of Tsushima: Legends — PS4 — Nota: 9.5
Versão utilizada para análise: PS4
Revisão: José Carlos Alves

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.


Disqus
Facebook
Google