Jogamos

Análise: Madden NFL 21 (Multi) desaponta ao trazer uma mera atualização de seu antecessor

Com Lamar Jackson na capa, o mais novo título da franquia traz poucas novidades e não justifica sua aquisição


Como os fãs do esporte da bola oval dizem: setembro sempre chega! E com ele a análise de uma nova versão de Madden NFL, o simulador de futebol americano da EA. Após a polêmica com seu anúncio, que gerou a hashtag #FixMaddenFranchise no Twitter, os fãs finalmente podem conferir o que de fato mudou no jogo e o que é apenas perfumaria. Acompanhe em nossa análise se a atualização da franquia merece sua atenção, ou se é melhor continuar se divertindo no Madden NFL 20 (Multi).

Uma resposta ao FIFA

Partindo direto para a única e verdadeira novidade em Madden NFL 21, The Yard funciona como o modo Volta do FIFA 20, no qual é jogado um futebol mais urbano e com regras bastante diferentes do original. Podendo ser uma experiência single player ou online, The Yard conta com apenas seis atletas de cada lado em um campo de 80 jardas. Cada time tem direito a três drives, e após um touchdown o jogador pode escolher entre conversões de um, dois ou três pontos. Cada partida conta com regras e desafios diferentes.

Antes de iniciar a partida, é possível escolher uma determinada posição para jogar, com seus amigos ou a IA preenchendo as demais opções. Os grandes estádios foram substituídos por pequenos campos espalhados ao redor do mundo que são desbloqueados conforme seu progresso no jogo, seja em desertos, parques públicos ou até mesmo quadras em meio a prédios.


O modo possui uma customização própria de seu jogador, tanto do uniforme quanto das habilidades. O recurso Protótipos simula as habilidades de determinados jogadores da NFL que podem ser usadas em seu personagem e aprimoradas conforme jogamos. Ganhe créditos baseados em seu desempenho nas partidas para liberar novos equipamentos, que contam com as mais variadas estampas e cores, tornando seu avatar exclusivo.

The Yard é uma boa adição à franquia, trazendo partidas rápidas e dinâmicas, jogabilidade divertida com jogadas e movimentos únicos, e customizações exclusivas.

De resto, mais do mesmo

Infelizmente, as grandes mudanças em Madden NFL 21 param na inclusão do The Yard. Qualquer outro modo do jogo continua idêntico ao seu antecessor, acrescentando algumas perfumarias para justificar seu lançamento. O Ultimate Team, onde você cria seu time dos sonhos cumprindo desafios, não traz novidades e é totalmente ignorável para os jogadores mais antigos da franquia.


Já o Face of Franchise, modo carreira de Madden, traz uma nova campanha intitulada Rise to Fame, na qual acompanhamos a trajetória de nosso avatar, que já é uma lenda do esporte, em formato de flashbacks. A narração até que começa interessante, mostrando a rivalidade entre seu personagem e outro aspirante a quaterback, desde seus tempos no ensino médio até a final do campeonato universitário. Porém, esta premissa se perde quando nosso jogador é contratado por uma das franquias da NFL, deixando a campanha totalmente focada no protagonista.

Diferentemente dos anos anteriores, Rise to Fame possibilita, em determinado momento, que você guie sua carreira para determinada função ao invés de apenas quarterback, podendo atuar como wide receiver ou running back. Por outro lado, o modo está com muito mais cutscenes e evolução baseada em escolhas, e com bem menos partidas jogáveis, muitas delas simuladas pelo jogo e todas extremamente fáceis, sem te dar nenhuma dificuldade para a conclusão da campanha.


O modo Franchise, no qual você pode atuar como jogador ao longo da temporada ou como dono de uma franquia, também não teve mudanças. Segue o mesmo esquema de disputa por semanas, com as mesmas configurações de personagem e habilidades desbloqueáveis. A falta de novo conteúdo gerou até mesmo um movimento dos fãs do jogo no Twitter, que criaram a hashtag #FixMaddenFranchise, impondo que o modo recebesse conteúdo novo. Apesar disso, esse ainda deve ser o modo mais jogado entre os novatos e fãs mais antigos do game por conta da criação de ligas offline e online.

Os Superstars e X-Factors, novidades no título anterior, fazem seu retorno em Madden NFL 21. Novos jogadores viraram os Superstars, que contam com técnicas passivas, e outros ganharam os X-Factors, as habilidades especiais que são ativadas após cumprir requisitos em campos. Com isso, o modo KO Superstars também garante sua presença este ano, onde é possível montar um pequeno time com as maiores estrelas da liga para disputar rápidas partidas contra outros jogadores online.

Uma balança de leves melhorias e falhas técnicas

Madden NFL 21 também não apresenta muitas alterações nos quesitos técnicos. Algumas leves diferenças em jogabilidade, como comandos, tempos de resposta e física de jogadores, são mais perceptíveis para os jogadores experientes da franquia.

Os gráficos sofreram melhorias bastante sutis, mas a criação de personagens continua básica e com pouco capricho, e fazer um jogador que chegue próximo do realismo é uma tarefa um tanto quanto impossível. Muitos atletas da liga foram muito mal recriados; Zach Ertz, por exemplo, está praticamente irreconhecível. Alguns bugs visuais acontecem durante as partidas, como jogadores invisíveis e algumas comemorações de touchdown não acontecerem como programado.


Até mesmo a trilha sonora, algo que tem chamado atenção nas últimas edições, foi reaproveitada quase por completo de seu antecessor. A EA continua ignorando os fãs ao redor do mundo por não traduzir menus ou colocar legendas em outros idiomas no modo carreira. Ao iniciar o jogo, não há uma explicação básica de jogabilidade ou de onde ficam as opções de treinamento, uma decisão que parece ter sido pensada em benefício apenas dos jogadores mais experientes. Com todos estes fatores, a franquia continua a passar uma impressão de receptividade negativa, não sendo convidativa para os que estão conhecendo o gênero ou ainda amadores.

Vale a pena jogar?

Apesar de contar com um modo de jogo inédito como resposta ao Volta do FIFA, Madden NFL 21 não traz novidades que justifiquem sua aquisição e o salgado preço cobrado (em torno de R$300,00). Para novos jogadores, que estão começando agora e não se importam com o valor, pode até ser válido, mas para quem já veio da versão anterior o jogo não passa de uma mera atualização.

Prós

  • O novo modo The Yard é divertido e dinâmico;
  • Rise to Fame possibilita seguir outras carreiras além de quarterback.

Contras

  • Os demais modos não tiveram atualização;
  • Face of the Franchise se perde em sua história;
  • Bugs gráficos e recriação de jogadores bastante amadora;
  • Continua sem textos ou legendas em português;
  • Pouco convidativo para novos jogadores.

Madden NFL 21 - PS4/PC/Xbox One - Nota: 4.0
Versão utilizada para análise: PS4


Análise produzida com cópia digital cedida pela Electronic Arts

Revisão: Davi Sousa

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.


Disqus
Facebook
Google