Jogamos

Análise: Madden NFL 20 (Multi) renova a franquia com recursos inéditos, mas apresenta campanha fraca e irrelevante

Novidades de gameplay e modos de jogo são as apostas da EA para o simulador oficial da NFL, que precisava de bons motivos para trazer os fãs à nova versão.


Desenvolvido pela EA Tiburon e publicado pela Electronic Arts, Madden NFL 20 teve seu lançamento em dois de agosto com a missão de se reinventar e se destacar perante seus antecessores.


Com o MVP (Most Valuable Player) da temporada 18/19 Patrick Mahomes, do Kansas Chiefs, na capa de sua nova edição, Madden conta a história de mais um aspirante a jogador profissional em sua nova campanha, além de trazer alguns elementos inéditos à jogabilidade e modos de jogo.

Será que a EA acertou em sua nova edição do jogo oficial da NFL, e trouxe uma nova cara à franquia? Confira se Madden NFL 20 vale o upgrade sob o seu antecessor ou é apenas "mais do mesmo".

Uma nova experiência em campo

Uma das principais novidades em Madden NFL 20 é a chegada dos Superstars' X-Factors, uma das apostas da EA para renovar a experiência do simulador e trazer um novo futuro à franquia. Os Superstars consistem em uma seleção de 50 dos melhores jogadores da atualidade da NFL que receberam habilidades especiais chamadas de X-Factor.

Divididos entre habilidades ofensivas e defensivas, os X-Factors são ativados após seus jogadores correspondentes entrarem na "Zona", um tipo de barra de especial que é preenchida ao completar certos objetivos durante a partida, assim como é possível sair dessa zona ao sofrer algum tipo de ataque ou realizar jogadas mal executadas.


Como exemplo temos o Quarterback Patrick Mahomes, o garoto propaganda do game, que possui a habilidade Bazooka, a qual lhe permite realizar passes para recebedores 15 jardas mais longe. Para ativá-la, deve-se realizar um passe completo de 30+ jardas, e no caso de o jogador sofrer um sack (ser derrubado pela defesa inimiga ainda sob posse da bola), fumble ou interceptação (ambos formas de perder a posse de bola), a habilidade é desativada.

Os X-Factors são ótimas adições à jogabilidade de Madden NFL e que podem mudar o rumo da franquia nos próximos jogos, se melhor implementadas. Da mesma forma que é fácil adequar suas táticas aos X-Factors de seu time (se você usa o Mahomes como Quarterback, deve usar mais passes longos para melhor aproveitar a habilidade), também torna-se mais previsível para o adversário que tipo de jogada irá realizar, já que cada jogador tem um X-Factor fixo.

Construa seu time dos sonhos com o MUT

O modo Madden Ultimate Team, o queridinho dos fãs da franquia, retorna em Madden NFL 20 com algumas mudanças positivas, onde novos e antigos fãs do game devem passar a maior parte de seu tempo. Conhecido como MUT, o modo serve como um jogo de cartas que permite ao jogador montar seu time ideal e levá-lo ao sucesso.

A primeira mudança perceptível no modo está na sua interface mais limpa e organizada, apesar de os textos estarem em um tamanho desnecessariamente pequeno, para dar espaço aos Superstars se destacarem. O novo visual facilita a navegação pelas missões, desafios e customizações do time. O tutorial está bastante detalhado e amigável, para que os iniciantes, ou até os mais casuais, não tenham problemas ao gerenciar seu time.


O novo sistema de missões ajuda o jogador a conseguir os itens e atletas que mais lhe interessa, filtrando os desafios que melhor irão ajudá-lo a alcançar o objetivo. Os Solo Challenges foram removidos do novo game, dando espaço para os novos Ultimate Challenges, desafios com níveis de dificuldade baseados na quantidade de estrelas selecionadas. Ao vencer o desafio, que pode ser realizado sozinho ou com amigos, estas estrelas adquiridas somam em um total que libera recompensas em card packs.


Criar seu próprio time exige um pouco de paciência, já que a formação inicial da franquia selecionada vem com atletas fracos, além do jogador depender de um pouco de sorte nos packs de cartas. A customização do time é uma tarefa fácil e leva pouco tempo para os novatos pegarem o jeito.

As microtransações continuam a ser um problema para os jogadores mais competitivos, sendo quase obrigatórias se você quiser evoluir seu time de forma mais rápida e eficaz. Algo que pode incomodar um pouco são os carregamentos entre telas no MUT, que por muitas vezes são longos e atrapalham na fluidez do modo.

O Madden Ultimate Team é um dos modos mais divertidos no game e que não teria como ficar de fora esse ano, onde podemos testar nossas habilidades de coach ao colocar o “dream team” em campo contra outros jogadores online.

Comece sua "jornada" ao Super Bowl em QB1

Outra entre as principais mudanças em Madden NFL 20 foi no modo história. A campanha conhecida como Longshot nas últimas duas edições foi substituída pelo novo QB1: Face of the Franchise, no qual o Quarterback criado pelo jogador é o centro das atenções e busca realizar o sonho de ingressar em uma das franquias oficiais da NFL.

A campanha tem início com a criação de seu jogador e, logo de cara, percebe-se que a EA continua a não dar maior atenção ao visual dos jogadores, pois é preciso muito tempo e paciência para criá-los com o mínimo de realismo. O jogo disponibiliza algumas aparências já pré-definidas, mas acredite: é melhor gastar um tempo criando seu próprio personagem.


Uma vez criado o jogador, está na hora de iniciar sua jornada à NFL. Começamos selecionando uma das dez universidades disponíveis para ingressar e "disputar" o campeonato nacional. Infelizmente, na campanha, jogamos somente as duas últimas partidas do campeonato universitário apenas como Quarterback, e o restante das partidas, como a defesa, extra points e punts, sendo simulado pelo game.

As escolhas feitas durante os diálogos e entrevistas, assim como sua performance nas duas únicas partidas de fato jogadas, influenciam nas possibilidades de times que irão escolher o protagonista no Draft, evento anual em que jogadores universitários têm a chance de serem escalados por um dos times que compõem a liga (no meu caso, fui para o Miami Dolphins na primeira rodada de escolhas).

Após o recrutamento, a campanha basicamente torna-se o modo Franchise com foco em seu Quarterback (jogando apenas com ele), passando por todas as fases da temporada que podem ser simuladas até determinado ponto do torneio (altamente NÃO recomendado). Repórteres, fãs e jogadores de outros times entram em contato antes e após partidas, que aumentam alguns atributos conforme suas respostas.

QB1: Face of the Franchise claramente foi um retrocesso do modo história de Madden. Aparentemente feito as presas e raso em conteúdo e experiência, o modo de jogo é extremamente curto e não empolga, além de contar com personagens secundários mal elaborados e um tanto quanto irrelevantes. O sucessor de Longshot, que se tornou uma grande surpresa nas duas últimas edições do game com histórias bem contadas, fracassa na narração e tentativa de mostrar a batalha de um jogador universitário para se tornar um profissional da NFL.

Uma porta de entrada aos novos fãs do esporte

De cara, Madden NFL 20 pode não ser tão convidativo para os novatos no game. Logo que se inicia o jogo pela primeira vez, escolhemos o time ao qual torcemos e logo em seguida é iniciada uma partida de Pro Bowl, para apresentar mudanças gráficas e sonoras que não sofreram grandes evoluções. A falta de um tutorial inicial pode tornar a primeira experiência com o game confusa ou negativa, mas que é compensado com o Skills Trainer presente no menu de Exhibitions.


O modo traz o passo a passo do futebol americano e dos comandos do jogo, bem como ensina conceitos ofensivos, defensivos, táticas e formações mais comuns utilizadas no esporte e no game, tudo em forma de desafios para incentivar o jogador a se aperfeiçoar.

A jogabilidade da franquia continua a manter-se simples e de fácil aprendizagem, com comandos rápidos e interface das jogadas mais intuitiva, sobrando ao jogador o esforço de aprender os conceitos do esporte para poder aproveitar o jogo ao seu máximo.


Melhorias gráficas não surpreendem, e mudanças em questões de mecânica, como física da bola e tackles, podem ser melhor perceptíveis pelos jogadores mais experientes e competitivos. O jogo conta com 22 músicas originais, compostas para o novo título, em reprodução durante a navegação pelos menus.

Infelizmente o jogo permanece 100% em inglês, o que é uma grande "bola fora" da EA, pois o público brasileiro do esporte cresce cada vez mais a cada ano. Claramente os termos e conceitos do futebol americano não teriam traduções, mas menus e tutoriais em português tornariam o game mais convidativo aos brasileiros.

Futebol Americano 101: um intensivão do esporte

Caso esteja conhecendo o Madden NFL agora e quer saber um pouco mais do esporte da bola oval, que é a febre dos americanos, aqui vai um resumão antes de encerrarmos a análise!

A NFL (National Football League) é a liga oficial do esporte e atualmente conta com 32 times, conhecidos como "franquias". Estas franquias são organizadas em oito divisões, que por sua vez são divididas em duas conferências: AFC e NFC. Durante toda a competição os times de cada conferência disputam entre si, desde a pre-season, passando pela temporada regular e os play-offs (a fase de mata-mata), até que os vitoriosos de cada conferência disputam o título de campeão da temporada no Super Bowl, o maior evento esportivo e televisivo dos EUA.


Os times são formados por equipes de ataque, defesa e especialistas. Em campo permanecem a equipe de ataque de um time e a equipe de defesa do adversário. O time atacante deve avançar com a bola em tentativas chamadas de "descidas", sendo que deve-se percorrer no mínimo 10 jardas (marcações no campo que definem a distância a ser percorrida) em até quatro descidas até garantir, ou não, um Touchdown.

A principal peça do time é o Quarterback, que atua como líder e "estrategista" da equipe de ataque, recebe a bola de um Center e executa um ataque aéreo, arremessando a bola para um Wide Receiver, ou um ataque terrestre ao entregá-la para um Running Back, que passa por brechas abertas pelos seus companheiros de equipe na linha de defesa adversária.


A pontuação pode ser feita por Touchdowns ao alcançar as End Zones, nas extremidades dos campos, que contabilizam seis pontos seguidos de um extra point, e por Field Goals de três pontos, caso estejam perto o suficiente da End Zone mas não é possível garantir um Touchdown. Após quatro tempos de 15 minutos, que podem demorar um pouco mais que isso já que o relógio para a cada falta sinalizada ou passe incompleto, o time com maior pontuação vence a partida.

Afinal, vale a pena jogar Madden NFL 20?

Madden NFL 20 faz uma tentativa bastante válida de inovação da franquia ao trazer novos recursos ao gameplay, como os X-Factors, que podem ditar o futuro da série. Mudanças de interface, navegação e missões no Ultimate Team, mesmo com carregamentos lento em muitas opções, facilitam a vida do jogador ao gastar menos tempo em transições de desafios.

Seu principal ponto negativo fica por conta do modo história. QB1 é curto, com personagens mal desenvolvidos e apelo emocional fraco no único momento em que acontece, parecendo ter sido feita apenas para não remover um modo de jogo. A nova campanha é uma tentativa fracassada de mostrar os desafios de um jogador universitário adentrando à liga nacional, reforçando argumentos de que jogos esportivos não foram feitos para conter modo história.


Prós

  • Os X-Factors trazem uma nova experiência às partidas
  • Melhorias no MUT e a adição dos Ultimate Challenges tornam o modo ainda mais divertido
  • Trilha sonora original dos menus empolgante

Contras

  • Campanha mal desenvolvida e irrelevante 
  • Jogo 100% em inglês, mesmo com a crescente fama do esporte em diversos países
  • Falta de evolução gráfica significativa
Madden NFL 20 — PC/PS4/XBO — Nota: 7
Versão utilizada para análise: PS4

Análise produzida com cópia digital cedida pela EA
Revisão: Henrique Moreno

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook