CBLoL 2020: KaBuM! e Flamengo saem invictos das semifinais e disputarão o título da Primeira Etapa

Ambos os times venceram suas séries Melhor de Cinco por 3x0.


KaBuM! e Flamengo são os finalistas da Primeira Etapa da edição de 2020 do Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL). As equipes não encontraram muitas dificuldades nas semifinais e passaram invictas pelas séries Melhor de Cinco (Md5). Enquanto os Ninjas despacharam a Vivo Keyd, os Rubro-Negros eliminaram a FURIA Uppercut. Os times se enfrentam já no próximo sábado (09), a partir das 13h, em série Md5 valendo a taça. O campeão da Primeira Etapa do CBLoL, normalmente, representa o Brasil no Mid-Season Invitational (MSI), porém o torneio internacional foi cancelado neste ano devido a pandemia do novo coronavírus.

A KaBuM! chega na grande decisão após uma campanha de superação. A equipe amargou a lanterna por várias rodadas da etapa de pontos, no entanto engatou uma série surpreendente de vitórias no momento certo para carimbar seu passaporte para a final. Por outro lado, o Flamengo teve uma campanha mais constante, alternando entre a primeira e segunda posições durante toda a fase anterior. Essa será a quarta final seguida de CBLoL disputada pelos Rubro-Negros, sendo que nas anteriores foram dois vices e um título. Confira, logo abaixo, o resumo de todas as partidas das semifinais.



Invasão frustrada

A série começou animada, com uma grande luta na selva da KaBuM! após a Vivo Keyd tentar a invasão. Os Ninjas garantiram o First Blood no embate e largaram na dianteira, vantagem que se mostrou importante quando os Guerreiros foram em busca do Dragão da Montanha. Apesar de a Keyd ter conquistado o buff, a KaBuM! não deixou barato e acumulou outros dois abates. A partir desta vitória, a equipe passou a acelerar, ampliando o domínio pelo mapa e somando eliminações. Já os Guerreiros permaneciam vivos no jogo graças ao foco nos objetivos, como o segundo dragão da partida.

Aos poucos, a Keyd se fortalecia e decidiu bater de frente com a KaBuM! em uma team fight nos arredores do covil do dragão. Mais organizados, os Ninjas garantiram o triunfo, que rendeu, além do bônus do dragão, o buff do Barão. Em um momento muito melhor, a KaBuM! invadiu a base inimiga e aplicou o Ace. Sem ninguém vivo para defender o território, as duas torres do Nexus caíram, mas a estrutura principal permaneceu em pé.

Os jogadores da Keyd reviveram a tempo de expulsar os invasores, entretanto forçaram uma luta em que a KaBuM! se deu melhor mais uma vez. A vitória deixou os Ninjas sem nenhum obstáculo para explodir o Nexus, fechando o primeiro jogo da série aos 29 minutos e com impressionantes 28 abates no placar.



Vivo Keyd — lado azul

Robo (Pantheon) — 2/7/5
Grell (Sejuani) — 2/4/5
NOsFerus (Akali) — 6/4/4
Klaus (Varus) — 3/8/5
Professor (Thresh) — 0/5/11

KaBuM! — lado vermelho

Parang (Rumble) — 7/2/12
Wiz (Lee Sin) — 3/3/9
Tutsz (LeBlanc) — 5/4/8
DudsTheBoy (Aphelios) — 11/3/4
Ceos (Braum) — 2/1/18

Bans

Vivo Keyd: Jayce / Azir / Lulu / Tahm Kench / Nautilus
KaBuM!: Senna / Syndra / Zoe / Poppy / Renekton
MVP: Ceos

O estrago de um Vladimir

O jogo teve um início aberto, com as equipes trocando eliminações e objetivos pelo mapa. A KaBuM! passou a construir sua vantagem com o topo Parang, que somava abates sobre seu adversário de rota, Robo. Quando o terceiro dragão pousou em Summoner's Rift, a Keyd abriu mão de brigar pelo bônus e o deixou fácil para os Ninjas. Enquanto a KaBuM! conquistava o buff e depois se separava para destruir as T1 do meio e rota inferior, os Guerreiros estavam concentrados na metade superior do mapa, derrotando o Arauto e também demolindo a T1 da rota topo.

Graças ao grande poder do Vladimir de Parang, a KaBuM! conseguiu seu terceiro dragão e ainda acumulou mais alguns abates em torno do covil. Ninguém era capaz de segurar o jogador da rota topo dos Ninjas, que lutou sozinho contra o caçador Grell, o eliminou e ainda derrubou a T3 da rota inferior, enquanto o restante da equipe estava pela rota do meio, também abatendo inimigos e destruindo a T2. A Keyd ganhou tempo ao evitar que a KaBuM! conquistasse a alma do dragão, após eliminar quatro Ninjas em uma team fight na região central do mapa.

A vitória levantou a moral dos Guerreiros, que logo na sequência encontraram outra boa luta e expulsaram os adversários do covil do Barão, conquistando o bônus em seguida. Com o Na’Shor, a Keyd conseguiu equilibrar a pressão e o jogo prosseguiu igual, com os dois times tomando cuidado para não entregar qualquer vantagem. Até que Parang avançou pela rota inferior e encontrou dois abates já dentro da base adversária. Graças a superioridade numérica, a tropa Ninja se reuniu com seu jogador do topo em volta do Nexus para destruí-lo e abrir 2x0 na série.



Vivo Keyd — lado azul

Robo (Shen) — 6/7/4
Grell (Gragas) — 2/5/9
NOsFerus (LeBlanc) — 3/4/7
Klaus (Ezreal) — 6/3/7
Professor (Yuumi) — 0/1/14

KaBuM! — lado vermelho

Parang (Vladimir) — 11/2/6
Wiz (Graves) — 2/3/9
Tutsz (Lissandra) — 2/4/11
DudsTheBoy (Kalista) — 4/3/8
Ceos (Taric) — 1/5/12

Bans

Vivo Keyd: Jayce / Lulu / Aphelios / Lee Sin / Kindred
KaBuM!: Senna / Akali / Varus / Karthus / Olaf
MVP: Parang

Sem chances

Muito motivada, a KaBuM! começou a partida com o early game praticamente perfeito. Além de colecionar abates, os Ninjas levaram dois bônus de dragões e o Arauto, que derrubou a primeira torre do jogo. Enquanto isso, a Keyd teve que se contentar com apenas duas eliminações. Na briga pelo segundo Arauto, além de o objetivo ter ficado com a KaBuM!, os Ninjas castigaram os adversários com outra série de abates.

A Keyd sabia da força da KaBuM! e que não tinha como bater de frente, tanto que a equipe iniciou o dragão e teve que se retirar assim que os adversários se aproximaram para levar tranquilamente seu terceiro bônus. O topo Parang estava tão confiante que começou a lutar sozinho contra o Barão. Quando dois Guerreiros se aproximaram, ele simplesmente deixou o Na'Shor de lado para enfrentar a dupla e conseguir um Double Kill. Logo depois, o restante da KaBuM! foi garantir o buff.

Com o bônus, a KaBuM! destruiu o inibidor da rota inferior e também levou a alma do Dragão da Montanha. Na partida mais dominante de toda a série, os Ninjas só precisaram se reorganizar para invadir de vez o território adversário, colecionar mais alguns abates e destruir o Nexus, garantindo assim a sua vaga na grande final.


Vivo Keyd — lado azul

Robo (Orn) — 1/2/3
Grell (Jarvan IV) — 2/8/2
NOsFerus (LeBlanc) — 2/3/0
Klaus (Xayah) — 0/3/2
Professor (Rakan) — 0/4/2

KaBuM! — lado vermelho

Parang (Yorick) — 7/2/2
Wiz (Trundle) — 2/1/10
Tutsz (Syndra) — 5/1/10
DudsTheBoy (Miss Fortune) — 3/1/6
Ceos (Leona) — 3/0/6

Bans

Vivo Keyd: Jayce / Lulu / Aphelios / Vladimir / Sylas
KaBuM!: Senna / Varus / Yuumi / Renekton / Ekko
MVP: Tutsz

Três Barões e derrota

Apesar de a FURIA Uppercut ter acumulado objetivos no início da partida, com o Arauto, dois dragões e também o First Blood, foi o Flamengo quem conquistou a vantagem nos primeiros minutos. Isso graças às boas respostas Rubro-Negras, que puniam cada movimentação adversária com eliminações. Em duas lutas no early game, o caçador Ranger já tinha um Double Kill e o topo WooFe um Triple Kill. O Flamengo usou sua força para pressionar pelas rotas laterais, destruindo a T1 e T2 de ambas, além de empatar o placar de dragões em 2x2.

A FURIA voltou a encostar na vantagem ao executar um pick off sobre Ranger, que forçou o jogador adversário a retornar para a base. Sem o caçador adversário por perto, os Panteras aproveitaram para derrotar o Barão. No entanto, o buff do Na’Shor ficou nas mãos de apenas dois integrantes da FURIA, já que o restante da equipe foi eliminado na luta que estourou logo depois. Os Panteras até que iniciaram uma boa team fight usando o bônus, eliminando rapidamente dois adversários, porém a resposta do Flamengo foi ainda melhor — aplicando o Ace e, logo depois, destruindo o inibidor do meio e conquistando o terceiro dragão.

A FURIA provou que estava viva quando o Flamengo foi para o covil do Barão. Os Panteras expulsaram os adversários da região e conquistaram o bônus pela segunda vez. Porém, o time acabou tomando uma decisão duvidosa: depois de uma boa luta, com um abate para cada lado, a FURIA optou por perseguir Ranger, enquanto todo o restante do Flamengo estava no covil do dragão para garantir a alma da Montanha.

O jogo prosseguiu tenso, até que mais um Na’Shor surgiu em Summoner’s Rift e a FURIA foi para o seu terceiro Barão. Enquanto isso, o meio Goku invadia a base inimiga no back door para destruir dois inibidores e uma das torres do Nexus. Os Panteras conseguiram o bônus, mas ficaram presos em uma luta com o restante do time do Flamengo, enquanto Goku estava fazendo estrago no território inimigo. O Rubro-Negro eliminou dois integrantes da FURIA ao redor do covil e depois se reuniu com seu mid laner para focar o Nexus e abrir 1x0 na série.



Flamengo — lado azul

WooFe (Vladimir) — 12/3/7
Ranger (Graves) — 5/0/15
Goku (Jayce) — 4/2/13
Absolut (Aphelios) — 5/4/9
Jojo (Thresh) — 1/4/12

FURIA Uppercut — lado vermelho

Tyrin (Orn) — 2/4/6
Minerva (Trundle) — 2/6/11
Anyyy (Viktor) — 2/3/6
Alternative (Miss Fortune) — 5/7/8
Damage (Leona) — 2/7/8

Bans

Flamengo: Senna / Azir / Nautilus / Blitzcrank / LeBlanc
FURIA Uppercut: Varus / Sett / Lee Sin / Syndra / Zoe
MVP: WooFe

Vantagem que vem da selva

Aproveitando de jogadas iniciadas pelo caçador Ranger, o topo WooFe acumulou duas eliminações logo cedo e ajudou o Flamengo a acelerar o ritmo da partida. Os Rubro-Negros usaram a pequena vantagem para levar os dois primeiros dragões e também o Arauto, liberado para garantir recursos para WooFe na rota superior. Porém, a FURIA não ficou para trás e o meio Anyyy também colecionou duas eliminações.

Por estar na frente, o Flamengo podia escolher o que fazer no mapa e optou pelo segundo Arauto, enquanto a FURIA se concentrava na conquista de seu primeiro dragão. O Rubro-Negro mostrou que a decisão foi a correta e o monstro acabou liberado na rota central, para derrubar a T1. Os Panteras se organizaram para tentar defender a torre, porém perderam a team fight e tiveram que ver também a T2 indo para o chão.

Muito superior, o Flamengo derrotou o Barão rapidamente e sem nenhuma contestação adversária. O Na’Shor era o combustível que faltava para os Rubro-Negros invadirem a base inimiga e destruir dois inibidores, um no meio e o segundo na rota inferior. Quando a equipe já estava satisfeita e deixava o território adversário, a FURIA tentou contra-atacar, mas a execução foi péssima. O Flamengo venceu a luta e só precisou focar no Nexus para garantir mais uma vitória.



FURIA Uppercut — lado azul

Tyrin (Orn) — 1/2/4
Minerva (Morgana) — 2/3/3
Anyyy (Azir) — 2/2/3
Alternative (Miss Fortune) — 2/1/2
Damage (Thresh) — 0/2/3

Flamengo — lado vermelho

WooFe (Lucian) — 2/2/5
Ranger (Elise) — 2/2/4
Goku (Ekko) — 3/1/3
Absolut (Kalista) — 3/1/4
Jojo (Taric) — 0/1/7

Bans

FURIA Uppercut: Jayce / Aphelios / Blitzcrank / Sett / Vladimir
Flamengo: Senna / Nautilus / Varus / Renekton / Olaf
MVP: Ranger

Excesso de paciência

A partida começou muito mais cadenciada, com nenhum dos times tentando forçar nos primeiros minutos. O cenário mudou com um dive do Flamengo na rota inferior, em que a equipe conseguiu três abates. Mais tarde, uma troca de objetivos: os Panteras levaram o dragão e os Rubro-Negros, o Arauto. Então, foi o momento de a FURIA tomar o controle das ações, com melhores lutas — empatando o placar de abates —, além de levar o seu segundo dragão e demolir torres.

Com a vantagem, a FURIA lutava melhor, como no embate que estourou ao redor do covil do dragão. Apesar de o Flamengo ter ficado com o bônus, os Panteras castigaram os adversários com eliminações e ainda derrubaram a T2 da rota inferior. Apesar de estar em um momento melhor, a FURIA não apertava o gatilho e dava espaço para o crescimento do Flamengo, tanto que o Rubro-Negro conseguiu fazer o Barão e levar o seu terceiro dragão, enquanto os Panteras só descontaram com o topo Tyrin no split push levando a T3 da rota inferior.

Com o Na’Shor, o Flamengo também derrubou o inibidor da rota inferior e passou a dar as cartas na partida. Após mais uma boa luta, o Rubro-Negro foi para o seu segundo Barão e logo depois também garantiu a alma do Dragão do Oceano. O combo de buffs foi o suficiente para o Flamengo invadir pela última vez a base adversária, aplicar o Ace e demolir o Nexus, conquistando a vaga na grande final.



FURIA Uppercut — lado azul

Tyrin (Aatrox) — 4/3/0
Minerva (Graves) — 3/2/1
Anyyy (Ekko) — 1/2/3
Alternative (Miss Fortune) — 0/4/3
Damage (Thresh) — 0/5/4

Flamengo — lado vermelho

WooFe (Neeko) — 5/1/4
Ranger (Lee Sin) — 2/0/9
Goku (Rumble) — 3/1/8
Absolut (Kalista) — 6/2/6
Jojo (Taric) — 0/4/13

Bans

FURIA Uppercut: Jayce / Elise / Blitzcrank / Jarvan IV / Olaf
Flamengo: Senna / Varus / Nautilus / Azir / Lucian
MVP: Jojo

É jornalista e obcecado por games (não necessariamente nessa ordem). Seu vício começou com uma primeira dose de Super Mario World e, desde então, não consegue mais ficar muito tempo sem se aventurar em um bom jogo. Diretor de Redação do Nintendo Blast.


Disqus
Facebook
Google