Star Wars: das telonas para os games

Prepare-se para a chegada de Battlefront (Multi) curtindo títulos de peso da franquia nos videogames.


Grandes lançamentos da série Star Wars estão a caminho, tanto nos cinemas com O Despertar da Força, quanto nos games com o novo Battlefront (Multi), ambos programados para o final deste ano e trazendo personagens queridos de toda a série Star Wars. Hoje sabemos que essa mistura de filmes com games rendem enormes bilheterias milionárias, tanto para um quanto para outro. Selecionamos os melhores jogos para aproveitar enquanto aguarda esses lançamentos, ao mesmo tempo que contamos um pouco da história da franquia de sucesso no cinema no mundo dos games.


Tudo teve início com o Atari 2600 em 1982, com a chegada de O Império Contra-Ataca aos cinemas em 1980, sendo palco do primeiro jogo de videogame da série Star Wars a ser criado. O sistema era fraco e bem simples, mas era fácil perceber do que se tratava a musiquinha de fundo na tela de título do game, quem era uma tela de título de verdade. Nada do nome do game, ou nome do jogo, nada, apenas quadrados representando um planeta desconhecido. O ruído desafinado se tratava da música tema de Star Wars, presente no início de cada filme, o que seria ótimo para o início do jogo, que também era bem simples. Pelos quadradões da tela, era possível identificar uma nave jedi em combate contra robôs do império, juntando pontos com tiros acertados.

Um verdadeiro avô dos jogos de tiro atuais que consagraram a série nos videogames. E não demorou muito para que em 1983 o primeiro filme da franquia (que ainda não tinha um jogo próprio), Uma Nova Esperança, também ganhasse uma versão em game para o Atari 5200, que já apresentava uma enorme melhoria na quantidade de pixels na tela, seguido por O Retorno de Jedi no ano seguinte, também para o 5200. Eram jogos bem simples, mas que indicavam o início de um casamento perfeito para a série, colocando o tiro como protagonista desses games.

Evoluindo com a força

Saltando para 1992, temos o lançamento de uma versão de O Império Contra-Ataca para o NES, tornando-se um dos títulos mais lembrados do nintendinho pelos jogadores de longa data. Aqui o som e a imagem já eram bem melhores, com uma tela de título propriamente dita e com personagens podendo ser reconhecidos na tela. Tivemos aqui também uma tentativa de passar a história do filme da década de 80, contando com os principais cenários da trama. Além de aderir a um novo tipo de ataque além do tiro, apresentando lutar com sabre de luz, incluindo uma luta épica contra Darth Vader.

Venha para o lado negro da força!


Os jogos foram ficando
mais próximos dos filmes.
E em 1993 tivemos o início do lançamento da série Super Star Wars para o Super Nintendo, com o lançamento dos três primeiros filmes em versões para o SNES, jogos memoráveis com gráficos estupendos contando a história de cada filme. Com um jogo por ano, cada um contava com as cenas de maior destaque dos três filmes, sendo jogos de enorme sucesso, pegando tudo aquilo que a versão de NES tinha de melhor, agora com gráficos e sons aprimorados, com a possibilidade de controlar naves, sabres e armas com seus sons característicos.

O despertar da força no seu computador

Fora dos consoles, ainda em 1993, tivemos o primeiro jogo da série em CD-ROM, com Star Wars: Rebel Assault e Star Wars: Rebel Assault II: The Hidden Empire em 1995, para PC e Mac com versões posteriores para o Sega CD. Os jogos contavam com tramas dos três filmes e com cenas dos próprios filmes, vídeos de atores reais e também contavam com cenários belíssimos em 3D pré-renderizados e com diferentes modos de jogabilidade, incluindo tiros em primeira e terceira pessoas e a possibilidade de controlar a poderosa Millenium Falcon, na pele do cadete Rookie One. Só quem jogou sabe como esses jogos revolucionaram o que tínhamos na época no universo dos games.

Millenium Falcon no novo milênio

Em 1999 tivemos a estreia de A Ameaça Fantasma nos cinemas, e com isso não poderiam faltar grandes games da nova fase da saga de Star Wars. Tivemos um grande lançamento para Nintendo 64, Dreamcast, PC e Mac no mesmo ano: Star Wars: Episode I Racer, o primeiro jogo de corrida da série e um dos grandes títulos do N64 naquele ano.

Aproveitando-se da cena de corrida de A Ameaça Fantasma, cá entre nós, uma das cenas mais chatas do filme, o jogo nada mais é do que um arcade de corrida com os podracers apresentados no filme, em que você poderia correr com Anakin Skywalker ou qualquer outro extraterrestre do jogo, podendo desbloquear novos pods, inclusive com partes customizáveis. As corridas, como no filme, eram bem insanas e velozes, fazendo com que nos sentíssemos dentro de um verdadeiro pod. Sem dúvidas um dos melhores jogos de Star Wars já feito.


Um pouco mais adiante, em 2001 tivemos um primeiro grande lançamento da série exclusivamente para o Xbox. Star Wars: Obi-Wan chegou trazendo Obi-Wan como personagem principal e prometendo espetaculares lutas de sabre em lutas contras os principais vilões do primeiro filme. E ainda com um modo para dois jogadores numa arena com personagens dos filmes que poderiam ser desbloqueados no modo single. Contudo, não caiu na graça dos avaliadores, recebendo notas baixíssimas por conta do enorme número de glitchs encontrados no jogo e por sua dificuldade acima da média. Mesmo assim, não deixa de ser um grande jogo e uma tentativa de exclusividade no Xbox.

Mas nem tudo é tristeza, pois em 2003 tivemos o lançamento de um grande game para o PC e o Xbox, o Star Wars: Knights of the Old Republic, jogo baseado em Dungeons & Dragons que permitia ao jogador um aprofundamento inimaginável no universo Star Wars, como um soldado das forças da República, milhares de anos antes dos eventos dos filmes. O jogo trazia como destaque a possibilidade de escolher o lado a seguir, Jedi ou Sith, dependendo das suas escolhas durante o gameplay, colocando aqui à escolha do jogador o julgamento do que é certo ou errado. Um grande sucesso para os fãs da série, com toda certeza, ganhando uma sequência em 2004, Star Wars: Knights of the Old Republic II: The Sith Lords, também para PC e Xbox.

Filme, jogo ou brinquedo?

Em 2005 aconteceu o que era inesperado. Uma mistura mais louca do que jogos com filmes, fomos agraciados com a série LEGO Star Wars, que rendeu quatro jogos e um filme. Foram três jogos principais e uma compilação, lançados para muitos sistemas, incluindo o PS2, PS3, Xbox, Xbox 360, GameCube, Wii, PC, Mac, Nintendo DS e PSP (sem fôlego, já), com destaque para LEGO Star Wars: The Complete Saga, que reunia os dois primeiros títulos, abraçando a história dos seis filmes da saga lançados até então. Tudo isso contando com a graça dos bonecos LEGO, virando uma febre entre crianças e adultos fãs da série e dos brinquedos.

Trazendo muita comédia, o jogo foi um marco por misturar dois universos memoráveis em um só. Trazendo tudo que temos até hoje na série LEGO, como vemos em jogos mais recentes como LEGO City Undercover (Wii U), o que mostra como o jogo fora bem recebido pelos jogadores.

Pronto para a frente de batalha

Finalmente chegamos ao lançamento do primeiro título da linha Battlefront, Star Wars Battlefront, lançado em 2004 para PS2, PSP, Xbox e PC, inspirado no sucesso de Battlefield 1942 (PC) de 2002, apresentando vários mapas, facções e classes para escolher e ainda apresentando naves e veículos de combate como X-Wing, TIE Figter e TIE Bomber. O jogo teve um enorme sucesso ganhando uma continuação em 2005 como Star Wars: Battlefront II (Multi), ganhando novos personagens e ambientando-se em A Vingança dos Sith, filme da saga lançado no mesmo ano, com poucas mudanças se comparado ao seu antecessor, porém foi um jogo de enorme sucesso no Xbox e no PlayStation 2.

E agora, o que esperar do novo Battlefront? O game será lançado em novembro deste ano para o Xbox One, PS4 e PC, prometendo ser um novo marco na série, com personagens e veículos memoráveis, ambientado pelos seis filmes da saga. Será que teremos alguma surpresa d'O Despertar da Força? Então que chegue logo o lançamento!

Revisão: Vitor Tibério
Capa: Angelo Gustavo

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.
Este texto não representa a opinião do GameBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.