Perfil

Diablo é o Senhor do Terror e também o demônio mais assustador dos games

Sinta medo... Muito medo ao descobrir mais sobre a história desse demônio tão cruel!


Desde que um demônio cruel e poderoso fez sua estreia nas telas dos computadores e aterrorizou a cidade de Tristam em Diablo (PC) em 1996, sabíamos que esse capeta digital ainda daria muita dor-de-cabeça aos pobres mortais. De lá pra cá, já são três jogos e três expansões incríveis que contaram muito da história do demônio e envolveram o jogador em combates épicos para salvar o mundo dos mortais da completa destruição. Vamos conhecer um pouco mais sobre a vida e a(s) morte(s) desse demônio tão famoso que promete não deixar o mundo de Santuário em paz por muito tempo.
CUIDADO: O texto a seguir pode conter spoilers para quem não jogou Diablo, Diablo II ou Diablo III. Leia por sua conta e risco!

Das profundezas do inferno ardente

Para se conhecer Diablo (se é que algum mortal iria desejar tal coisa…), é preciso voltar muito no tempo. Precisamente, relembremos o princípio da própria criação do universo fantástico que a Blizzard imaginou. A maior parte do se sabe sobre essa parte da história é contada através dos escritos e imagens do livro de Deckard Cain, "The Book of Cain" (disponível tanto em inglês quanto em português nas melhores livrarias) Tudo começa quando o universo não passava de puro vazio, com apenas uma pequena joia em seu interior. Dentro dela, um ser de pura luz existia solitário, o grande Anu. Os problemas começam quando Anu decide se purificar e se livrar de todos seus sentimentos ruins (medo, ódio, dor, etc), os expelindo na forma de um dragão monstruoso. Tentando domar a fera, Anu permanece lutando por milênios contra o monstro até que a batalha toma proporções tão gigantescas que as paredes da joia se rompem em uma enorme explosão. Muito similar à Teoria do Big Bang, foi com a essa explosão que o universo de Diablo se iniciou.
Anu e o terrível Dragão batalharam durante milênios antes que a joia em que se encontravam rompesse e o universo surgisse.

A explosão foi tão gigantesca que os corpos de Anu e do dragão foram destruídos e espalhados pela Criação. Dos restos do ser de luz, formou-se o Paraíso Celestial, onde Anjos imbuídos por valores como bondade e justiça brotavam da própria coluna de Anu. Enquanto isso, dos restos do Dragão, as profundezas do Inferno Ardente se formaram. O dragão possuía sete cabeças, cada uma representando um sentimento impuro de Anu. De cada uma delas, os comandantes do Inferno nasceram: os Males Maiores (Diablo, senhor do terror; Baal, senhor da destruição e Mephisto, senhor do ódio) e os Males Inferiores (Azmodan, senhor do pecado; Belial, senhor da mentira; Duriel, senhor da dor; e Andariel, senhora da angústia).
Os Sete Males infernais gerados pelas cabeças do Dragão. Em ordem: Diablo, Baal, Mephisto (Males Superiores) e Azmodan, Belial, Duriel e Andariel (Males Inferiores).

Antes que o Conflito Eterno chegasse ao fim pelas mãos de Inarius e Lilith (um anjo e uma demônia que se uniram, roubando a Worldstone, criando o mundo mortal de Santuário e a raça dos Nephalem - que se tornariam humanos mais tarde), Diablo seria traído por seus próprios irmãos. Os três males superiores foram enganados por Belial e os outros males inferiores que, em uma revolta no Inferno por não concordarem com os planos do Senhor do Terror em utilizar humanos como armas de guerra, baniram seus irmãos mais velhos para o mundo dos mortais. Para Baal e Mephisto, isso foi uma cruel reviravolta do destino, mas para Diablo era a oportunidade perfeita para começar seu reino de Terror.
O Conflito Eterno ceifou a vida de vários anjos e demônios e gerou muita destruição enquanto os lados lutavam pela posse da Worldstone.

Décadas antes dos acontecimentos do primeiro jogo, Diablo e seus irmãos assolavam as terras de Santuário com morte e destruição até que um grupo de bravos magos guerreiros criada secretamente pelo Arcanjo Tyrael, os Horadrim, caçaram-os e os lacraram em pedras mágicas, as Soulstones. Diablo faz sua estreia nos jogos quando o arcebispo Lazarus, na cidade de Tristam, encontra a pedra vermelha do capeta que estava escondida no fundo da catedral. Diablo seduziu o pobre clérigo e lhe convenceu a lhe ajudar a retomar seu corpo. Os Horadrim sabiam que selar os males era a única forma de detê-los, pois ao destruir seus corpos, estavam apenas mandando suas almas para o “Abismo”, um local escuro onde elas poderiam sair a qualquer momento.
O último Horadrim, Deckard Cain, andou pelo mundo ao lado de seus companheiro caçando e lacrando os Males Superiores.

Enlouquecendo o pobre Rei Leoric e raptando seu filho mais novo, Albrecht, o Senhor do Terror transforma a catedral de Tristam e suas catacumbas em um labirinto de medo e terror. Esqueletos, zumbis e as criaturas mais vis do Inferno matam qualquer um que adentre o lugar, enquanto Diablo usa o corpo do jovem príncipe para ressuscitar. Felizmente seus planos são impedidos pelo bravo príncipe Aidan que, com a ajuda do sábio Horadrim, Deckard Cain, enfrenta os perigos infernais e derrota Diablo antes que ele invada nosso mundo. Os eventos do primeiro game do capeta terminam por aqui. Mas o mal nunca morre de verdade, não é mesmo?
Diablo transforma a pequena cidade de Tristam no porta do Inferno enquanto tenta retornar ao nosso mundo.

O Mal Supremo

Vendo o que Diablo havia feito com todos seus entes queridos e depois de ver o horror do Inferno (pois o capeta havia conectado o mundo infernal com as profundezas da catedral), Aidan se desespera e na esperança de ter forças para conter todo o mal, ele crava a Soulstone de Diablo em sua testa. Por algum tempo, ele obtém sucesso, mas em questão de meses, o poder do Senhor do Terror começa a atormentar sua mente. Diablo sempre foi considerado o mais inteligente entre seus irmãos, apesar de ser o mais novo. E para retornar ao mundo dos mortais com estilo, ele planejava algo muito maior do que apenas utilizar o corpo do Príncipe Aidan para seus fins maléficos.
Distorcido pelo poder maléfico de Diablo, o príncipe Aidan se torna o Dark Wandarer, levando morte e destruição por onde passa.

O plano de Diablo envolvia libertar seus dois irmãos aprisionados em Soulstones, Mephisto e Baal, enquanto deixava um rastro de destruição e morte por onde passava. Apesar de bravos heróis frustarem seus primeiros planos e terem derrotado Mephisto nas terras pantanosas de Kurast, Diablo não se dá por vencido. O demônio renasce sob uma forma mais poderosa (pois utilizava o corpo forte de Aidan) e se dirige para o Inferno onde pretendia reunir seus exércitos e tomar de assalto o Paraíso Celestial. Para isso, ele planejava primeiro destruir a última fortaleza da esperança, a Pandemonium Fortress. Felizmente, para a alegria de nós mortais, os corajosos guerreiros invadem o coração do Inferno e derrotam Diablo em seu próprio santuário. Para se certificar de que haviam cumprido sua missão, eles destroem as Soulstones de Mephisto e Diablo e mandam os demônios para o “Abismo”.
Com muita bravura, vários heróis atravessam as terras de Santuário tentando impedir os planos de Diablo e deter seus irmãos Mephisto e Baal.
Apesar da vitória no Inferno, Diablo havia deixado um “plano de apoio” em progresso. Seu irmão mais velho, Baal, se dirigia as terras dos bárbaros, Harrogath em busca da lendária Worldstone. Infelizmente, Baal a encontra no coração do Monte Areatt e, mesmo falhando em vingar a morte de seus irmãos ao morrer pelas armas e magias dos heróis, ele consegue corromper a pedra. Tornando-se o salvador de toda a Criação, Tyrael, o Arcanjo da Justiça e um dos que mais creem na força e bondade dos humanos, comete o sacrifício final. Ele destrói a Worldstone e evita que as dimensões do Paraíso e Inferno distorçam Santuário para sempre e corrompam os corações humanos. Aqui terminam os acontecimentos de Diablo II e sua expansão, Lord of Destruction.
É uma batalha árdua, mas os heróis conseguem sobrepor o poder esmagador de Diablo e destróem sua Soulstone no coração do Inferno.

Ainda bem que para alegria dos fãs e desespero dos habitantes de Santuário, o poder e maldade de Diablo não tem fim. Mesmo perdido no fundo do esquecimento eterno, o Senhor do Terror retornou com um plano ainda mais mirabolante para dominar a Criação em Diablo III. Manipulando seus irmãos restantes que lutavam para dominar áreas de Santuário (Belial e Azmodan), Diablo contou com a ajuda da bruxa Adria, do primeiro game, para que um herói nephalem aprisionasse todas as almas dos Senhores do Inferno na poderosa Black Soulstone. Assim, utilizando o corpo da jovem Leah (filha de Aidan e Adria), ele retornou sob uma nova forma, o Mal Supremo, a união de todos os males.
Sob a forma do Mal Supremo, Diablo quase consegue destruir todo o Paraíso Celestial (e também toda a Criação), antes que um bravo Nephalem o acabe destruindo.

Depois de quase ver o Paraíso Celestial cair nas mãos de Diablo em uma invasão demoníaca, o bravo nephalem consegue o impossível. O Mal Supremo é derrotado, a jornada em Diablo III termina, mas a Black Soulstone continua intacta. É a partir daí que os acontecimentos da expansão Reaper of Souls se iniciam. Numa série frenética de eventos, a pedra maldita vai parar nas mãos do arcanjo decaído da sabedoria, Maltheal. Tornando-se o Anjo da Morte, durante seu confronto final com o Nephalem, ele destrói a Black Soulstone depois de ceifar inúmeras vidas com a pedra. Mesmo com o poder do artefato em seu corpo, ele não sobrepõe a força do herói e, enquanto o Nephalem assiste à queda e destruição do anjo, Tyrael não deixa de mencionar que agora a essência de Diablo está mais uma vez a solta no mundo (se isso não quer dizer que teremos um Diablo 4, eu não sei o que quer dizer!)
Por muito pouco, Malthael, o Anjo da Morte, não conseguiu sugar toda a vida de Santuário com o poder da Black Soulstone.

O Diabo possui muitas formas

O nome do senhor do terror deriva, obviamente, da forma latina de “Diabo”. Acredita-se que a Blizzard tenha tomado essa decisão quanto ao nome por causa do tom histórico do game, que possui muitas referências a contos da idade média. Além disso, segundo relatos do livro escrito pelas próprias mãos de Deckard Cain, “The Book of Cain”, se diz que o nome do senhor do terror é tão terrível que a sua mera pronúncia já causa medo nos corações humanos.
No primeiro game, Diablo já possuía uma aparência poderosa e terrível, mas seu corpo tinha as limitações do seu hospedeiro: o jovem príncipe de Tristam.

A aparência de Diablo também lembra muito o arquétipo desenvolvido pelas religiões antigas e disseminado pela igreja católica em relação ao capeta. Corpo vermelho, chifres, patas de bode e um rabo com ponta de flecha fazem parte das características do senhor do Terror. Apesar disso, desde que Diablo começou a utilizar corpos humanos para encarnar em Santuário, ele deixou para trás um pouco de sua forma bestial e absorveu certas características físicas de seus hospedeiros. No primeiro game, Diablo não parece muito maior que o herói principal, além de ter um corpo não muito musculoso (o que condiz com a forma corporal do jovem príncipe que ele possuiu). Já no segundo game, o Senhor do Terror recupera sua forma bestial e parece explodir de poder, lembrando uma fera ao saltar no inimigo (já que ele havia tomado o corpo do bravo Aidan). Por fim, no último game, além de ele ganhar características de seus irmãos demoníacos, seu corpo adquiriu um certo aspecto andrógeno e mais delgado (provavelmente por ter utilizado a jovem Leah como seu recipiente mortal).
No segundo título, Diablo aumenta de tamanho e se torna ainda mais poderoso. Com uma forma que lembra uma besta, ele aproveitou todas as forças do pobre príncipe Aidan.
Mas não é apenas a história e o visual de Diablo que impressionam. Os combates contra o senhor do Terror sempre são a “cereja do bolo” de qualquer um dos games da série. As batalhas são difíceis (e ficam ainda mais complicadas se o herói não foi desenvolvido corretamente ao longo da aventura) e quase sempre é normal morrer uma, duas ou várias vezes durante o processo. Ao longo dos games, em geral os ataques de Diablo permaneceram muito similares. Quase sempre o demônio utiliza ataques devastadores com fogo e, desde o segundo game, usa a artimanha de aprisionar o herói em uma gaiola de ossos para se divertir com o pobre jogador.
Mesmo assumindo muitas características e poderes de seus irmãos infernais, a aparência de Diablo no game mais recente ainda guarda alguns traços de sua "filha", Leah.

Diablo é certamente o demônio mais famoso e “casca-grossa” do mundo dos games e, se depender da sua legião de fãs, ele não será esquecido tão cedo e sempre terá uma torcida por um próximo jogo da série para que ele possa retornar para aterrorizar o mundo dos mortais. E lembre-se, “Sempre escove seus dentes depois das refeições!”, um conselho do próprio Diablo, na abertura do primeiro game, ouvido de forma reversa. Pois é, mesmo o capeta sabe que higiene bucal é importante!



Revisão: Alberto Canen
Capa: Diego Migueis

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook