Jogamos

Análise: Flappy Bird (Android/iOS) foi um verdadeiro e rápido fenômeno mobile

É hora de analisar o título que fez você se irritar, demorar horas para passar do recorde do seu amigo e jogar o seu celular no chão. Tudo por causa de um pássaro.

Geralmente, é normal ler uma análise de um jogo no qual você ainda não conhece e pretende comprar. Só que você não conseguirá ter esta sensação desta vez, pois já jogou Flappy Bird pelo menos uma vez nos últimos tempos (se não se lembra, é aquele jogo do passarinho que voa e que você provavelmente não fez mais de 3 pontos). Já discutimos como este “sucesso repentino” refletiu o cenário atual do mercado e agora é hora de analisar o jogo que fez muitas pessoas perderem a cabeça de muitos pássaros e o Ibama nem se quer bateu na porta de suas casas.

Mais simples, impossível…

Está pronto... para o inferno!?
Assim como boa parte dos jogos mobile, Flappy Bird não tem história e nem se quer uma explicação para o fato de vários pássaros estarem passando entre dois canos, mas este é o objetivo do jogo e você deve ajudá-los. Os gráficos, feitos em pixel art, se mostram tão simples quanto a proposta do título e são bonitos ao ponto de compôr uma atmosfera interessante ao jogo, além de ter um acabamento muito bom, característica que não se enquadra em muitos jogos simplistas de Android.

A jogabilidade também não poderia ser tão fácil… de se entender. Um toque na tela faz com que o pássaro suba; sem toques, ele desce; passe entre o maior número de canos que conseguir sem tocar neles. As instruções são mais fáceis que as do primeiro arcade de PONG, pra se falar a verdade. A única falha dele é a trilha sonora, que se resume aos efeitos sonoros do pássaro voando, passando pelos canos e batendo neles.

Na versão Android, ele ainda tinha suporte ao Google Play Games para rankings de pontuações, um recurso que vários jogos famosos ainda não têm e, mesmo na versão iOS, era possível compartilhar sua pontuação nas redes sociais. Era um jogo bem simples, mas com uma jogabilidade muito bem fluida, gráficos até que bonitos e integração com a plataforma: afinal, qual é o problema de Flappy Bird?

Você, assim como o resto da população mundial, já viu esta tela zilhões de vezes.
Exceto pela pontuação, vamos ser sensatos.

...mais difícil, também!

Um dos pontos mais interessantes do game design é a que estuda a curva de dificuldade dos jogos. Falando de forma bem grossa, podemos dizer que um jogo não pode começar como a última fase de Dark Souls e nem terminar como o tutorial de um jogo educativo da Vila Sésamo: ele, em tese, deve começar de forma fácil e ir sempre desafiando o jogador, ficando cada vez mais difícil. Pode esquecer tudo isso em Flappy Bird.

O seu pássaro nunca aumenta a velocidade, os canos nunca aumentam de tamanho ou diminuem o espaço entre eles, nada muda. O jogo é, do começo ao fim, o mesmo, sem dificultar ou facilitar. E ele começa de uma forma muito difícil: por isso é normal você conseguir fazer poucos pontos - ou até nenhum - nas primeiras vezes que jogar. Ele é um verdadeiro desafio que afastou muitos depois das primeiras tentativas e viciou outros, que passaram horas e horas tentando bater o próprio recorde ou o daquele amigo que ganhou 100 curtidas no Facebook por ter conseguido 100 pontos (também podemos chamar de vício o feito do cavalheiro abaixo, que resolveu um cubo mágico com uma mão, enquanto fazia 464 pontos com a outra).


E mesmo que isto possa ser ruim, foi o que fez ele se tornar tão popular, a frustração de não passar de determinado cano ou o orgulho de realizar o feito. Flappy Bird é um jogo, sem considerar todo o seu hype, bem feito e simples, mas que trouxe toda esta carga com ele (carga que acabou levando ele a sair das lojas de aplicativos). Quantos pontos você já conseguiu fazer? Quantos celulares já quebrou por causa dele? Deixe seu comentário!


Somos legais e queremos te dar mais uma chance: que tal tentar um Flappy Bird MMO?

Prós

  • Jogabilidade simples e fácil de aprender;
  • Visual simples e que cumpre a proposta;
  • Integração com Google Play Games no Android;
  • Leve e disponível para quase todos os dispositivos móveis do mercado;
  • Curva de dificuldade inexistente se mostra como um desafio a mais.

Contras

  • Falta de história (ou um plano de fundo);
  • Trilha sonora inexistente, se resumido a efeitos sonoros repetitivos;
  • Curva de dificuldade inexistente afasta muitos jogadores depois de algumas partidas sem sucesso;
  • Não está mais disponível nas lojas oficiais, tendo que ser baixado por outros meios.
Flappy Bird - iOS/Android - Nota: 6,5

Revisão: Leonardo Nazareth
Capa: Felipe Araujo



Cientista da computação em formação pela USP São Carlos, sempre encontra tempo para falar sobre jogos, tecnologia, viagens no tempo e outras loucuras. Desenvolve jogos, aprecia chocotones, escreve para o Deviante e faz piadas ruins em seu Twitter (pode ser que tenham coisas legais também).


  1. Fiz 211 pontos, mas já estou cansada de jogar isso >. <

    ResponderExcluir

Disqus
Facebook
Google