Item Box

Não espere mais e evolua hoje com os fantásticos Plasmids de BioShock

Quando o megalomaníaco Andrew Ryan decidiu fundar sua utopia, a cidade de Rapture , no fundo das águas do oceano Atlântico, ele planejav... (por Unknown em 12/07/2013, via GameBlast)


Quando o megalomaníaco Andrew Ryan decidiu fundar sua utopia, a cidade de Rapture, no fundo das águas do oceano Atlântico, ele planejava construir uma sociedade afastada dos escrúpulos mundanos onde a ciência poderia florescer. Mas nem mesmo ele imaginava a fantástica descoberta que a Dra. Brigid Tenenbaun, recém-chegada na metrópole submarina, faria. Ao ver um homem que tinha as mãos aleijadas voltar a usá-las tranquilamente após ser mordido por uma lesma marinha muito peculiar, a cientista descobriu uma possibilidade fascinante de pesquisa. Esse seria o primeiro passo para o desenvolvimento dos Plasmids e o início da queda desastrosa, sanguinária e violenta de Rapture. Quem diria que a substância capaz de curar um deficiente poderia se tornar uma das ferramentas de destruição desse sonho distópico submarino?
CUIDADO: O texto a seguir contém spoilers para quem não jogou BioShock e BioShock 2. Leia por sua conta e risco!

Evolução em uma garrafa!

“Imagine se você pudesse ser mais inteligente, forte, saudável. E se você ainda pudesse ter poderes incríveis, acender fogueiras com sua mente... É isso que os Plasmids fazem por um homem.”
- Atlas para Jack, em BioShock.
Após sua incrível descoberta, a Dra. Tenenbaun trabalhou arduamente na pesquisa das misteriosas lesmas marinhas de Rapture. Ela conseguiu sintetizar uma substância, batizada de ADAM, capaz de introduzir células-tronco no corpo humano possibilitando a modificação genética das pessoas.Controlando o nível dessa mudança, o ADAM permitia mutações drásticas no DNA das cobaias envolvidas e até mesmo o surgimento de “super poderes” como a pirocinese ou telecinese. A partir dessa grande descoberta científica, Andrew Ryan se interessou muito pelo projeto e ofereceu todos os subsídios financeiros que Tenenbaun precisava para desenvolver mais ainda suas ideias a respeito da substância milagrosa, que transformaria a vida da metrópole submarina e seus cidadãos para sempre.

A capacidade de lançar raios elétricos pelas mãos era apenas uma das possibilidades que os Plasmids proporcionavam
A corporação de Ryan, Ryan Industries, logo começou uma produção em massa de ADAM a partir da coleta de lesmas marinhas e sintetizou a substância na forma de compostos injetáveis, os Plasmids. A versão modificada do ADAM era armazenada em garrafas ou pequenos jarros e podia ser injetada diretamente na veia dos indivíduos, provocando violentas mutações em questão de minutos. Infelizmente, o efeito das mutações geradas por alguns Plasmids como os do Electro Bolt ou Incinerate era momentâneo. Os usuários precisavam injetar outra substância feita a partir do ADAM, o EVE, de tempos em tempos para “recarregar” seus poderes.

Telecinese, pirocinese, super-força: era só escolher um Plasmid e evoluir!

Apesar disso, alguns outros Plasmids, chamados de “passivos”, não precisavam ser realimentados com EVE para permanecerem em atividade. Utilizando diversas máquinas espalhadas por Rapture, usuários dos Plasmids conseguiam novos poderes ao usar ADAM (nos Gatherer’s Garden) ou alteravam características genéticas específicas (nos Gene Banks). As aplicações cotidianas e práticas dos Plasmids na vida dos habitantes de Rapture eram quase infinitas, indo desde poderes utilizados na construção civil para fazer tijolos levitarem ou durante um almoço normal, assando um frango apenas com o estalar dos dedos.

Quer alterar seu DNA ainda mais ou está com falta de ADAM? Sem problemas, o Gene Bank e o Gatherer's Garden são a sua solução!
A seguir, uma lista com detalhes sobre cada um dos extraordinários Plasmids mostrados nos dois primeiros jogos da franquia. Apesar de provocarem alterações diretamente no DNA do usuário, as reações geradas pelas mutações eram normalmente desencadeadas pelas mãos dos usuários.
  • Electro Bolt: O poder permite que o jogador lance raios de eletricidade pelas mãos e atordoe ou frite os inimigos quando estiverem próximos da água. Além disso, as descargas ainda permitem a abertura de certas portas e o funcionamento de alguns mecanismos.
  • Cyclone Trap: O usuário consegue criar uma armadilha com um mini tornado. Quando seus inimigos se aproximarem dela, serão lançados pelos ares por uma lufada de vento poderosa!
  • Decoy e Target Dummy: Esses Plasmids permitem que o usuário invoque um fantasma de energia que distrai os inimigos. Ótima pedida para aquele momento em que o jogador está cercado de adversários ferozes!
  • Enrage: O Plasmid faz com que o inimigo atingido por ele fique extremamente furioso e confuso, atacando qualquer outro Splicer ou oponente que ver pelo caminho.
  • Hypnotize: Lançando uma pequena bola gelatinosa na direção de um adversário específico, o jogador é capaz de hipnotizá-lo para que lute ao seu lado.
  • Hypnotize Big Daddy: Gera poder semelhante ao “Hypnotize”, só que agora é possível arrumar um Big Daddy para lutar ao seu lado ou até por você contra hordas de Splicers. Nada melhor do que ter o grande cabeça de escafandro com a gente, hein?
  • Incinerate: Queime seus inimigos até eles virarem churrasquinho apenas com um estalar de dedos. Mas tome cuidado porque os Splicers não são burros e, sempre que virem a coisa ficando “quente” irão procurar fontes de água para apagar suas chamas.
  • Insect Swarm: Invoque um enxame de abelhas assassinas diretamente da palma de sua mão para atacar os inimigos e mantê-los distraídos tempo suficiente, recarregar suas armas e nocauteá-los de vez.
O banco de Plasmids: vários tipos para todos os gostos!
  •  Scout: Permite que o jogador utilize uma ilusão semelhante a um “fantasma” seu que pode ser controlada.
  • Security Command e Security Bullseye: Com esse Plasmid, basta selecionar um alvo para que todas as máquinas e outros mecanismos de defesa o ataquem.
  • Sonic Boom: Crie uma rajada de ar poderosa que lançará seu inimigo para longe, matando-o ou causando grandes danos.
  • Telekenesis: Tendo o poder da mente ampliado, o jogador consegue mover qualquer objeto apenas com um pensamento. Ótimo para jogar bombas de volta contra os inimigos.
  • Winter Blast: Através de uma rajada fria poderosa, congele seus adversários temporariamente. Se você atacá-los com rapidez,poderá quebrá-los em milhares de pedaços de gelo antes que descongelem por completo.
  • Summon Eleanor: Depois que Eleanor veste o traje de Big Sister, o jogador consegue invocá-la momentaneamente para lutar ao seu lado durante as batalhas.
  • Rescue Little Sister: Esse Plasmid permite ao jogador reverter o processo genético que transformou as Little Sisters no que elas são hoje e as “resgatar”.
  • Gravity Well: Presente no DLC de BioShock 2, Minerva’s Den, com ele o jogador pode criar uma singularidade gravitacional que atrai seus inimigos e outros objetos, deixando os oponentes muito machucados.
  • Teleportation: Esse Plasmid poderia ajudar o usuário em inúmeras situações perigosas, dando-lhe a habilidade de se teletransportar para qualquer lugar. No entanto, em Rapture parece que apenas os Splicers têm domínio sobre esse Plasmid, pois toda a vez que o jogador se aproxima da garrafa contendo a substância, ela se teletransporta, devido a sua instabilidade.
O melhor é que se mesmo com essa breve explicação ainda restar alguma dúvida sobre como cada um dos Plasmids funciona, a Ryan Industries preparou um vídeo em forma de animação bem elucidativo aos seus fiéis clientes  (no melhor estilo e diversão dos desenhos dos anos 50).

“Saúde e felicidade através da genética”... Será mesmo?

Anúncios e propagandas dos Plasmids em Rapture. Qual dona de casa não gostaria de levitar o sofá para tirar a poeira debaixo dele, não é?
Parecia que tudo em Rapture estava indo às mil maravilhas: afinal de contas, que sociedade não seria perfeita com cidadãos dotados de super poderes? A campanha de divulgação e utilização dos Plasmids promovida por Ryan foi tão produtiva que, em pouco tempo, todos os habitantes de Rapture tinham acesso ao elixir mágico das habilidades sobre-humanas. No entanto, todo esse conto de fadas começou a desandar quando o impetuoso fundador de Rapture descobriu o efeito colateral terrível que o uso constante dos Plasmids provocava em seus usuários. Ele tinha ficado tão maravilhado com a descoberta da Dra. Tenenbaun que ainda não descobrira os resultados finais da pesquisa da cientista.

Em pouco tempo, os Plasmids passaram de ferramentas de auxílio a armas mortais
O uso prolongado dos Plasmids alterava tão fortemente o DNA do indivíduo que deformações físicas, insanidade, psicopatia, demência e dependência química violenta de ADAM eram os principais efeitos colaterais da utilização abusiva da substância. Em pouco tempo, os Splicers (pessoas deformadas e loucas pelo uso de Plasmids) começaram a encher os salões e câmaras de Rapture, cometendo atos brutais e violentos em busca de cada vez mais ADAM para suprir sua dependência.

O sonho vira pesadelo quando pessoas normais tornam-se Splicers: seres violentos e loucos sedentos por ADAM
Assim, em pouco tempo, Rapture trilhou um curto caminho para a total anarquia, caos e decadência. Os Splicers dominaram os principais locais da cidade enquanto Little Sisters, protegidas pelos violentos Big Daddies, vasculhavam corpos em busca de ADAM para suprir os estoques de Plasmids. É incrível como uma substância que tinha tantas promessas de ser o Santo Graal da ciência e levar a humanidade a um patamar superior se tornou a arma de destruição dos sonhos utópicos de Andrew Ryan.

Assim termina a história dos Plasmids, com o ADAM sendo coletado pelas Little Sisters enquanto Rapture rui a sua volta
Uma última curiosidade sobre os Plasmids é que o nome da substância foi inspirado pelo termo da genética que caracteriza fitas de DNA extra-cromossômicas circulares que podem ser encontradas em bactérias e algumas células eucarióticas. Estas moléculas são comumente usadas ​​como vetores na engenharia genética para modificação ou reestruturação de partes do DNA. O nome veio bem a calhar, não?

Revisão: Bruna Lima
Capa: Stefano Genachi

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook