Perfil

Vai descendo até o chão, nem que seja pelo esmagador braço do Charger (Left 4 Dead 2)

em 11/05/2013

Enquanto caminham sem rumo tentando encontrar a próxima sala segura onde possam descansar, você e seu grupo de sobreviventes têm um mal p... (por Ok em 11/05/2013, via GameBlast)


Enquanto caminham sem rumo tentando encontrar a próxima sala segura onde possam descansar, você e seu grupo de sobreviventes têm um mal pressentimento e sabem que alguma coisa está para acontecer quando ouvem um assustador urro ecoando pelos campos. Alguém desavisado poderia pensar que algum tipo de animal estava em apuros e acabou sendo apanhado por uma armadilha, mas vocês sabem que o verdadeiro emissor de tal ruído é uma criatura muito mais assustadora.

"Macacão!"

O campeão de boliche.
Só que não...
É praticamente impossível confundir um Charger com qualquer outro tipo de infectado especial presente na série Left 4 Dead. É verdade, ele é tão grande e quase tão espaçoso quanto um Boomer, e bate como um Tank, mas basta dar uma rápida olhada para os braços da criatura que todas as dúvidas se esvaem.

Isso porque o Charger, às vezes chamado pelo carinhoso apelido de "One Arm", algo como "Um Braço Só" - ou, trazendo para o português popular, poderíamos chamá-lo de "João Sem Braço" -, tem um braço muito maior do que o outro. Na verdade, a aparência dele sugere que as mutações que ele sofreu levaram todos os músculos de seu braço direito para o esquerdo. Além disso, o Charger aparece trajando uma espécie de macacão, dando-lhe uma aparência bem rural.

"Ele está me esmagando"

Uma vez em ataque, o Charger começa a emitir ruídos animalescos e sons grotescos. Diferentemente do Hunter, os urros são muito mais parecidos com aqueles emitidos pelos dinossauros cinematográficos do que com qualquer animal existente hoje em dia. Se você estiver jogando Left 4 Dead e ouvir ruídos como esse, tente identificar a fonte o mais depressa possível, ou você correrá o risco de ser esmagado.

Você pode até se debater, mas nada o livrará deste aperto.

O Charger tem esse nome porque ele ataca correndo na direção de sua vítima (do inglês, "charge"), agarrando-a com seu enorme braço e, uma vez que encontra um bom lugar para tal, começa a esmagá-la contra o chão, empurrando e levantando novamente a vítima até que um dos dois esteja morto. Se um Charger começar a te esmagar desta maneira, somente seus aliados poderão te salvar.

"Mas que diabos é aquilo?"

Como é de se esperar, as verdadeiras condições que levam um ser humano comum a se transformar em uma terrível criatura esmagadora de corpos, com um braço gigantescamente maior do que o outro, permanecem um mistério tão grande quanto o fato de os infectados, aparentemente, nem se importarem com os cadáveres dos sobreviventes, ao contrário da maioria dos zumbis retratados por aí.

No entanto, uma das teorias mais bem aceitas é a de que o Charger já foi um simplório camponês, trabalhando continuamente com seu braço "bom", talvez até um lenhador ou algum outro tipo de trabalhador braçal. Uma vez infectado, a força que ele empregava para garantir o pão de cada dia se transformou em massa para matar e esmagar.

Olhando para os pés da criatura pode-se notar um efeito inverso ao dos braços. Talvez para ajudar a balancear o peso.

Até que a Valve se manifeste, se é que isso algum dia chegará a acontecer, os motivos continuarão apenas nas teorias criadas pelos fãs. E você, leitor? Possui alguma teoria? Já sentiu na pele - ou melhor, na barra de vida de seu personagem - a força esmagadora do "João Sem Braço"? Conte suas experiências para nós e ajude a complementar este artigo!

Jogos em que apareceu

  • Left 4 Dead 2

Capa: Thiago Pires
Revisão: Catarine Aurora

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.
Este texto não representa a opinião do GameBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.