Jogamos

Análise: Spintires: MudRunner (Multi) é uma excelente experiência 4x4 em terrenos hostis

O novo jogo da Saber Interactive combina sobrevivência e simulação em uma ótima experiência de controle de veículos 4x4 incríveis.

Simuladores de carros, caminhões e até aviões são um nicho de jogos muito bem visto, principalmente por jogadores de PC, que até investem uma boa grana em setups com volantes e pedais com o intuito de tornar a experiência ainda mais imersiva. Mesmo que muito bem vistos, não são muitos títulos deste gênero que chegam com frequência no mercado, até porque, cada um precisa garantir seu próprio espaço, uma vez que os grandes simuladores de carros, caminhões e aviões já possuem seus grandes títulos estabelecidos no mercado.

Nessa onda, a franquia Spintires, que já possuía um game lançado focado em veículos 4x4, recebe agora um novo episódio. Spintires: MudRunner (Multi) é um simulador divertido e diferenciado, com o foco em grandes veículos 4x4 e missões complexas que fogem um pouco da típica monotonia que alguns simuladores de veículos enfrentam com o tempo. Então preparem suas botas de lama e cabos de aço, pois este jogo vai conseguir te deixar imerso e tenso de uma forma muito interessante.


Controles práticos e realistas

A experiência de jogar MudRunner é bem diferente de outros simuladores 4X4 como DiRT 4 (Multi) ou até de caminhões como Euro Truck Simulator 2 (PC). Isso porque o jogo foca em situações e ambientes mais hostis, com missões diferentes do simples “chegar ao ponto B no mapa”. Por conta desse foco diferenciado que faz o simulador ter determinados aspectos que lembram até jogos de sobrevivência, sua jogabilidade e controles também são diferentes do que normalmente vemos no gênero.

O game traz dois tipos de controles distintos: aquele focado no realismo exacerbado, com o intuito de simular com a maior fidelidade possível os controles reais dos veículos; e os controles ditos “4fun”, para jogadores que querem experimentar o jogo, mas sem a obrigação de terem noções de direção, controle de câmbio ou uso de tração manual para tal. Essa possibilidade de escolha é algo já comum em outros simuladores e permite que um maior número de jogadores possa se interessar pelo título, o que é muito interessante.



Junto com essa escolha, temos um controle dos veículos fluido e prático, que traz bastante satisfação e desafio já nos primeiros momentos de jogo. O realismo físico do jogo ajuda bastante neste ponto, com os eixos dos veículos funcionando de modo singular e podendo ser controlados em conjunto ou separadamente, bem como o mecanismo de tração, uso de cabos de aço para guinchar-se ou então ajudar outros veículos. Movimentar os caminhões, jipes e carros pesados pelos ambientes é a jogabilidade mais divertida de MudRunner, sem a necessidade de quaisquer outros elementos para isso. Mas isso não impede que o jogo tenha ainda mais conteúdo que complemente essa experiência.

Realismo que serve de desafio

Um dos pontos mais marcantes de MudRunner são suas mecânicas realistas no que tange a física do jogo. Os efeitos de física aplicados nos terrenos são de cair o queixo. Com os periféricos certos, é possível, inclusive, sentir a diferença de vibração das rodas quando estamos passando pela estrada, por campos de lama, por areia molhada, por barro, por pedras, entre outros. Além disso, o peso de seu veículo e o caminho que você faz também afeta o mundo ativamente, deixando rastros e abrindo verdadeiras valas no terreno, caso você dirija de qualquer jeito.



Esses detalhes fazem com que o jogador se sinta muito mais imerso nos ambientes do jogo, fazendo destes pequenos elementos os verdadeiros desafios a serem superados. Imaginem uma situação que ocorreu durante os momentos de teste do jogo: a missão era estacionar um caminhão cheio de toras de madeira em um local repleto de lama fresca. Precisei manobrar para frente e para trás tantas vezes o veículo que suas rodas acabaram por fazer uma vala na lama, deixando-o atolado. Assim, precisei usar o mecanismo do cabo de aço para prender o caminhão em uma árvore relativamente próxima para que ele pudesse sair do atoleiro que eu mesmo acabei criando.

Esse tipo de desafio torna a experiência de jogar MudRunner muito diferente da maioria dos jogos do gênero. Aqui, o desafio se dá a cada curva, a cada vala, a cada buraco, a cada atoleiro, fazendo com que o jogador mantenha o foco nos pequenos detalhes, onde passar com os pneus e para onde girar a direção do veículo. Velocidade aqui cai por terra, pois o controle e a força de tração são os focos. Isso faz de MudRunner um jogo diferenciado no geral, mas também dentro do seu próprio nicho.


Visual estupendo e muito convidativo

As mecânicas de jogo e imersão dos controles não trariam uma experiência tão completa se não possuíssem a roupagem adequada. Nisso MudRunner não deixa nada a desejar, pois os visuais do jogo são incríveis para um game que pesa menos de 1Gb para ser baixado. Rodando tranquilamente até nos computadores mais simples, o jogo surpreende em seus detalhes visuais. Texturas de solo, água e vegetação são muito boas, assim como a interação dos veículos com esses elementos do ambiente. Por exemplo, mais de uma vez galhos de arbustos ficaram presos nos eixos de meus veículos por conta de ter passado por cima deles.

Somado a isso, o layout do jogo é algo digno de ser citado. Com menus todos integrados com o ambiente de jogo, os comandos se tornam bastante instintivos e autoexplicativos em sua maioria. Usar o cabo de aço, trocar de veículos ou então anexar uma nova carga ao seu caminhão são comandos simples, feitos com apenas alguns botões. Isso faz o jogo transparecer leveza e polidez, deixando todo o desafio para o ambiente hostil, não para menus complicados e redundantes.



Somado ao visual do jogo, os efeitos sonoros são igualmente impressionantes. O som dos motores e do atrito dos carros com os mais variados terrenos é de um realismo estupendo. Como todo bom simulador, usar e abusar dos periféricos para enriquecer sua imersão é muito aconselhado aqui, pois os sons do jogo em fones de boa resolução são sensacionais. Além disso, a trilha sonora não deixa nada a desejar, com músicas que, em sua maioria, condizem com os ambientes e contextos nos quais os caminhões e jipes se encontram.

Mesmo com layout, visual e sons muito polidos e bem estruturados, um elemento pode desagradar alguns jogadores: as câmeras. Mesmo que sejam fáceis de se adaptar, as câmeras de jogo que não são em primeira pessoa podem confundir um pouco alguns jogadores, principalmente por funcionarem de forma completamente desprendida dos movimentos dos veículos, o que não é comum de se ver em outros jogos do gênero. Aqui, por conta de dirigir veículos muito grandes na maioria das vezes, você pode mudar a câmera entre seus eixos e lados, possibilitando uma maior visão do veículo como um todo. Mesmo assim, a câmera pode confundir em alguns momentos e fazer os jogadores manobrarem para o lado oposto daquele que pretendiam, por exemplo.


Desafios cooperativos ou singulares

Para além das experiências propriamente do domínio dos veículos, Spintires: MudRunner também possui alguns modos de jogo bem divertidos. Inicialmente, o tutorial que se inicia assim que o jogo é aberto pela primeira vez dá os comandos básicos da jogatina, dali nós somos apresentados para o primeiro dos modos de jogo: os desafios. Estes são partidas relativamente rápidas com objetivos principais e secundários inusitados, testando as habilidades de controle, respostas rápidas, estratégia e administração de movimentos dos jogadores.

Estes desafios são ótimos para apreender as principais mecânicas de jogo, bem como o uso dos principais veículos entre os 19 modelos diferentes presentes no título. Além disso, já é um desafio e tanto para os ávidos por completar todos os objetivos em um jogo. Mais que os desafios, temos também o modo sandbox, com cinco vastos mapas com biomas distintos que variam entre lamassais até praias isoladas, passando por florestas barrentas e montanhas rochosas. Neste modo as missões são geradas randomicamente e as partidas possuem um tempo bem maior de duração.



Seja nos desafios ou no sandbox, os dias passam continuamente, podendo escolher o turno no qual o jogo se passará no modo Challenge, o que torna a jogatina ainda mais personalizada e interessante. Mas para além dos modos de jogo para um jogador, temos também a opção de jogar sandbox em modo cooperativo online com até três companheiros. Isso aumenta ainda mais a longevidade do título, pois torna as missões muito mais dinâmicas e divertidas, uma vez que, no modo single player, é preciso alternar constantemente entre veículos para combinar suas funções.

No modo multiplayer cooperativo, resgatar carros, carregar caminhões, entregar mantimentos e desbravar territórios não mapeados se torna muito mais divertido do que já era nas missões solitárias. A capacidade de manter um save compartilhado que pode ser continuado sempre que quiser com aqueles jogadores só deixa tudo ainda mais interessante, reforçando o uso das mecânicas colaborativas para uma experiência mais realista ainda.


Uma experiência digna num bioma selvagem

Spintires: MudRunner é, sem dúvidas, uma experiência mais que recomendada para os amantes de simuladores diversos. A criatividade, polidez e realismo das mecânicas e controles estabelecidos no jogo fazem dele uma diversão certa, principalmente pelo foco não em objetivos e viagens, mas sim na superação de obstáculos simples, porém reais, que nos fazem pensar “caramba, realmente existe alguém que passa por locais como estes de carro?”. Para além dos amantes de simuladores, o jogo tem recursos e elementos que podem também agradar os jogadores mais leves.

Esse equilíbrio que MudRunner possui entre elementos de desafio e de didática tornam o jogo uma possibilidade de diversão muito agradável, seja sozinho ou com amigos. Nunca antes havia experimentado um jogo que pudesse forçar meu raciocínio estratégico, resolução de problemas e tensão apenas acelerando um caminhão e fazendo-o superar uma poça de lama. Mesmo sendo de nicho, este é um jogo com potencial para agradar qualquer um que esteja aberto para uma experiência diferenciada no mundo dos games.


Prós

  • Controles práticos e instintivos;
  • Fidelidade da física agrada e serve como desafio;
  • Layout instintivo e bastante interativo;
  • Visuais realistas e bem detalhados;
  • Efeitos sonoros realistas e imersivos;
  • Nível de dificuldade interessante;
  • Câmeras variadas auxiliam no domínio do jogo;
  • Modos de jogo variados dinamizam a experiência;
  • Relação entre veículos e biomas muito bem estruturada;
  • Jogabilidade faz com que os desafios estejam na exploração, não no objetivo final.

Contras

  • Controle de câmeras pode ser confuso em alguns momentos.
Spintires: MudRunner — PC/PS4/XBO — Nota: 9.5
Versão usada para análise: PC
Revisão: Ana Krishna Peixoto
Gilson Peres é Psicólogo e Mestrando em Comunicação pela UFJF. Está no Blast desde 2014, onde é Redator e Diretor. Começou sua vida gamer bem cedo no NES e hoje divide seu tempo entre games antigos e novos. Pode ser visto por aqui sempre escrevendo algum texto polêmico, instrutivo ou nostálgico. Geralmente é visto em alguma discussão no Facebook ou no Twitter.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook