Jogamos

Análise: Shantae: Half-Genie Hero – Pirate Queen’s Quest (Multi) traz uma breve diversão

A pirata Risky Boots usa todos os seus truques no primeiro DLC do jogo.


Shantae: Half-Genie Hero teve uma campanha bem sucedida no Kickstarter e várias metas prometiam novos personagens jogáveis. Pirate Queen’s Quest é a primeira dessas expansões e tem como protagonista a vilã Risky Boots, que conta com movimentos e ataques próprios e únicos. Mesmo reaproveitando os estágios do jogo principal, o DLC traz sensação de novidade.


A trama de Pirate Queen’s Quest acontece durante a história do jogo principal e mostra Risky procurando componentes para fortalecer o Dynamo, um dispositivo capaz de transformar energia boa em maligna. Para isso, a vilã explora os estágios de Half-Genie Hero e enfrenta os mesmos chefes derrotados anteriormente por Shantae. A trama não é muito elaborada e tem algumas coisas bem estranhas, como Risky enfrentando sua própria tripulação, porém o humor característico da série ainda está presente por meio de ótimos diálogos.



Risky é bem ágil e conta com vários movimentos para acabar com os inimigos: ela tem à disposição sua espada, armas de fogo e pode convocar um capanga para atacar os oponentes. Conforme completa os estágios, a pirata recebe equipamentos que aumentam sua mobilidade e permitem alcançar novas áreas. O chapéu, por exemplo, permite planar pelo ar; com o gancho, Risky pode se pendurar no teto; já as bombas explodem pedras imensas pelo caminho. Muitas dessas habilidades foram tiradas diretamente de Shantae and the Pirate’s Curse (Multi).

Gostei de controlar Risky por conta de sua agilidade, afinal todas as habilidades são ativadas ao toque de um botão — ao contrário de Shantae, que precisa parar e se transformar constantemente. O resultado é uma aventura mais fluida e rápida. A essência dos estágios está intocada, porém alguns trechos exigem domínio das habilidades da pirata, como plataformas que aparecem ao atirar em certos botões. Itens especiais estão escondidos pelos estágios e muitos deles só podem ser acessados com a ajuda de certos equipamentos.


Risky é desbocada e conta com jogabilidade diferenciada,mas é difícil não ficar um pouco decepcionado com essa expansão. O principal motivo é que praticamente todos os estágios da campanha de Shantae estão intocados (salvo o último) o que traz uma sensação de déjà vu. Há alguns poucos inimigos novos, entretanto a maioria é reaproveitada, inclusive os chefes. A quantidade de conteúdo é bem reduzida: levei por volta de duas horas para obter tudo, contando inclusive o tempo que levei revisitando as fases. O maior problema de Pirate Queen’s Quest é justamente o preço: o pacote custa 10 dólares, o que é bastante caro pelo conteúdo oferecido.


Shantae: Half-Genie Hero – Pirate Queen’s Quest é para os fãs mais fervorosos da franquia. É bem divertido controlar Risky por conta de seus movimentos diferenciados, o que torna prazeroso explorar novamente os estágios. Contudo, a quantidade de conteúdo é bem reduzida e o preço não condiz ao que é oferecido.

Prós

  • Mecânicas diferenciadas no controle de Risky;
  • Ótimo visual;
  • Estágios levemente modificados.

Contras

  • Pouca quantidade de conteúdo.
Shantae: Half-Genie Hero – Pirate Queen’s Quest — PC/PS4/PS Vita/XBO/Wii U/Switch — Nota: 6.0
Versão utilizada para análise: PC
 
Farley Santos é brasiliense e gosta de explorar games obscuros e pouco conhecidos. Fã de Yoko Shimomura, Yuzo Koshiro e Masashi Hamauzu, é apreciador de boardgames, game music, fotografia e livros. Além de mostrar seus cliques no Flickr, tem também um blog onde escreve sobre inúmeros assuntos.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook