Blast Log

Diário de Bordo E3 2017: Impressionados com a Microsoft, imersos na Bethesda

Maravilhados com Microsoft e Bethesda, o segundo dia de pré-E3 foi cansativo, porém recompensador

O segundo dia pré-E3 foi mais cheio e agitado do que nunca. Levantamos cedo e deitamos tarde, passando por filas, conferências, filas, credenciamento e filas ao longo do dia. Mas nem por isso foi um dia frustrante, pois felizmente conseguimos acessar tudo o que queríamos e, no geral, as apresentações foram realmente boas. Com os pés cansados e mente entretida, confira nosso segundo dia de trabalho em Los Angeles!

Das 7h às 19h, Bethesda

Em seu terceiro ano fazendo conferências pré-E3, a Bethesda trouxe uma abordagem bem diferente do que normalmente se espera. Provavelmente para evitar as grandes filas de jornalistas tentando conseguir acesso ao evento às vésperas do mesmo, a empresa decidiu garantir a entrada dessas pessoas de manhã. Assim, por mais que a conferência estivesse marcada para 19h, lá estávamos, às 7h, atrás de uma pulseira de acesso.

A espera, no entanto, valeu a pena, pois de fato conseguimos nossas pulseiras de acesso. Assim, ficamos tranquilizados o resto do dia quanto à entrada na Bethesda, algo que jamais pudemos sentir até então na E3. Dessa forma, decidimos rumar para a Microsoft o quanto antes, pois nela nosso acesso ainda era incerto.

Xbox One X

Embora ano passado tenhamos recebido um belo "não" da Microsoft, assim como todos os outros jornalistas na nossa situação, neste ano a empresa se mostrou muito mais receptiva à mídia. Mesmo sem convite privilegiado, pudemos adentrar a enorme plateia do Galen Center, que conta com um palco e telão impressionantes.

E o que vimos, como vocês também devem ter conferido pelo transmissão ao vivo, foi uma conferência com variedade e diversidade impressionante de jogos para o novíssimo Xbox One X. Assassin's Creed e Forza confirmaram os grandes nomes, enquanto Super Lucky's Tale (XBO/PC) e Ori and the Will of Wisps (XBO/PC) agradaram um público que não é, tradicionalmente, o foco da Microsoft. The Last Night (XBO/PC) e The Artful Escape (XBO/PC) mostraram conceitos muito interessantes, enquanto Minecraft (Multi) e PlayerUnknown's Battlegrounds (XBP/PC) evidenciaram uma tentativa de agradar a grandes comunidades de jogadores. Tivemos ainda Sea of Thieves (XBO/PC), Anthem (Multi) e até jogos com maior apelo japonês, como Dragon Ball Fighter Z (XBO/PC) e Black Desert (XBO/PC).

O foco em games foi tão interessante que o próprio Xbox One X, que esperava-se que teria todos os holofotes da conferência, foi apresentado tão brevemente que nós, que só conseguimos chegar aos nossos assentos alguns instantes após o início da apresentação, nem pudemos vê-lo. E isso não é um problema, pois a enxurrada de jogos (quarenta jogos, sendo vinte e dois exclusivos, caso isso ainda não tenha ficado impregnado em seu cérebro) foi realmente impressionante! Na verdade, essa talvez tenha sido a melhor conferência da Microsoft que pude assistir.

Catando badge

Impressionados com a Microsoft e tranquilizados com o acesso à Bethesda, fomos ao LA Convention Center, onde acontecerá a E3 em si, resgatar nossos crachás de entrada. Apesar de ter sido minha quinta vez lá, é sempre legal visitar o vasto e aconchegante espaço da E3. De quebra, é sempre uma oportunidade de reencontrar parceiros de trabalho e figuras do jornalismo de games. Apesar de já termos entrada garantida para a Bethesda, partimos para lá logo que conseguimos nossos crachás, pois acabou não sobrando tanto tempo.

Quem quer ir à Bethesdaland?

Quem diria que uma conferência pré-E3 começaria com um verdadeiro parque de diversões? A Bethesda preparou um grande ambiente de entretenimento à mídia, com direito a muita comida, bebida e atrações. Tinha, por exemplo, grandes canecas de metal com cerveja e imensas coxas de peru para que a gente comesse como se estivéssemos no mundo de Elder Scrolls. Uma grande montanha-russa, painel para fotos e um planetário de Prey divertiam a multidão.

Cerca de vinte minutos antes de começar a apresentação, um enorme painel no fundo do parque se abriu revelando um corredor que nos levou à conferência. Nela tivemos a oportunidade de conferir os jogos que estão por vir e finalmente tivemos acesso aos espaços referentes a The Evil Within 2 (Multi) e Wolfenstein II: The New Colossus (Multi), que até então só estavam presentes no mapa do parque que recebemos no local. Nas imagens promocionais, elas se apresentavam como se ainda estivessem em construção.
A ambientação de Evil Within 2 lembrava uma casa assombrada, com seu papel de parede gasto e muitos retratos nas paredes. Já o cenário de Wolfenstein II recriava Papa Joe Dine, a lanchonete presente no trailer visto na conferência, um ambiente agradável onde eram servidos hambúrgueres da rede de fast food In-N-Out com batatas fritas e milkshake. A festa continuou com a dupla de DJs The Chainsmokers e todas as atividades do parque suspensas durante a apresentação retornaram. Nós partimos antes da Bethesda Land fechar seus portões, exaustos, porém muito satisfeitos. A Bethesda nos entregou uma experiência única, mesmo sem colocar um joystick em nossas mãos.

Revisão: Renan Greca
Capa: Rafael Neves
Colaboração: Ítalo Lourenço
Rafael Neves é quadrinista e estudante de medicina da UFBA. Jogos fizeram parte dessa vida desde os seus primeiros anos, embalando muitos dos mais fortes laços de amizade e histórias de vida. E esse legado desembocam nas matérias que escreve aqui no Blast e em sua HQ, The Legend of Link.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook