Jogos preferidos de 2016 - Vinícius Veloso

Os redatores do GameBlast falam sobre os títulos que mais curtiram entre os lançamentos deste ano.



Vai chegando dezembro e começam a pipocar pela internet aquelas listas com os melhores jogos do ano. Geralmente, esses rankings são bem semelhantes, mudando apenas um título ou outro. Em vez de seguir pelo mesmo caminho, nós do GameBlast resolvemos perguntar ao nosso time de redatores quais foram os melhores lançamentos de 2016 que eles efetivamente experimentaram. O resultado são listas bastante pessoais, com muita coisa boa que acabaria não entrando no Top 10 padrão. Durante as próximas semanas, serão publicados os textos de cada integrante de nossa equipe. Conferir essas matérias é a chance de fazer aquela retrospectiva de 2016 e ainda conhecer alguns games que podem ter passado batido em meio a tantas novidades que tivemos nesses últimos 12 meses.


Eu recebi a honra de começar esse especial e achei uma missão bem difícil escolher os jogos deste ano que mais me marcaram. Passei por muitos games excelentes e eleger apenas alguns não foi tarefa das mais simples. Para criar minha lista, tentei optar por representantes de gêneros e plataformas distintas, para que o ranking ficasse o mais eclético possível. Os jogos não seguem nenhum tipo de sequência, ou seja, o que está em primeiro não é melhor ou pior daquele que aparece na décima posição. Também tem muita coisa interessante que acabou ficando de fora, como Uncharted 4 e Pokémon Sun & Moon, porque ainda não consegui experimentá-los. Então, apertem os cintos e vamos lá:

10 – Star Fox Zero (Wii U)

A mais nova aventura espacial de Fox McCloud dividiu opiniões. Como sou grande fã da série, acabei adquirindo o jogo logo no dia em que foi lançado e ainda bem que fiz isso, pois acredito que se tivesse esperado para ler as críticas, não teria feito o investimento. Particularmente, também estranhei os controles no início (algo que foi apontado como principal defeito do game), mas, depois que me acostumei, achei bastante interessante e imersivo este novo método de controlar a Arwing. Depois de passar boas horas voando por Lylat, concordo plenamente com o mestre Miyamoto, que disse em entrevista que Star Fox Zero é o jogo mais subestimado do Wii U.

09  – Madden NFL 17 (Multi)

Como sou grande fã de esporte, claro que na minha lista não poderia faltar um título do gênero. A princípio, pensei em colocar FIFA 17 (Multi), mas o famoso simulador de futebol acabou me decepcionando um pouco este ano com seu modo ‘A Jornada’ bastante engessado. Por isso, optei em escolher Madden NFL 17. A popularidade do futebol americano vem crescendo de maneira espantosa no Brasil, e como acompanho a modalidade bem de perto há algum tempo, resolvi experimentar o jogo este ano. Para minha surpresa, o título é fantástico e consegue transmitir de maneira interessante os sentimentos dos jogadores lançando ou recebendo a bola oval.

08  – Dragon Ball Xenoverse 2 (Multi)

O ano de 2016 foi incrível para os fãs de Dragon Ball. Além da surpreendente saga de Goku Black que acompanhamos no anime Super, fomos presenteados com a sequência do aclamado Xenoverse. O game consegue superar seu antecessor em todos os aspectos e apresenta enredo totalmente original e envolvente. Senti-me o próprio Akira Toriyama vendo dois personagens que criei lutando ao lado de Goku e companhia.

07  – Mario & Sonic at the Rio 2016 Olympic Games (Wii U/3DS)

Um dos momentos mais mágicos do ano foi acompanhar os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro. A Cidade Maravilhosa acolheu os maiores atletas do mundo, inclusive um certo encanador bigodudo e um ouriço azulado. Em 2016, a franquia Mario & Sonic at the Olympic Games chegou com versões para Wii U e 3DS bem diferentes. Enquanto a do console de mesa é o party game definitivo da plataforma, o do portátil apresenta um divertido modo história. Ambas são mais do que recomendadas.

06  – Mortal Kombat XL (Multi)

Sim, Mortal Kombat X foi lançado no ano passado. Porém, só consegui jogar o décimo capítulo da sangrenta franquia de lutas neste ano, com a chegada do XL – pacote com o jogo e todas as duas atualizações. O nível de violência está maior do que nunca e é um prato cheio para quem adora uma pancadaria virtual. Também vale destacar o modo história, que chama atenção por manter a qualidade já vista em MK9.

05  – A Lenda do Herói (PC)

Acompanhei bem de perto todo o desenvolvimento da Lenda do Herói, inclusive, entrevistando os responsáveis pelo game. Logo no lançamento, passei por um misto de surpresa e decepção. Pelo lado positivo, achei incrível como os responsáveis pelo jogo conseguiram sincronizar os movimentos do personagem com a trilha sonora cantada. Já o negativo foram os diversos bugs encontrados. Porém, com o passar do tempo, o estúdio foi resolvendo os problemas e A Lenda do Herói é um dos grandes indies nacionais de 2016.

04  – Flat Kingdom (PC)

Outro indie que me chamou atenção foi Flat Kingdom. O gênero plataforma sempre esteve entre os meus favoritos e o game consegue resgatar aquela nostalgia das primeiras aventuras de Mario no Reino do Cogumelo. O título apresenta belos gráficos e nível de desafio bastante balanceado. Quem gosta desse estilo de jogatina, deve considerar colocar o game em sua lista de desejos.

03  – Super Button Soccer (PC)

São incontáveis as tardes que passei jogando futebol de botão com meus amigos durante a infância. O sentimento das memoráveis disputas de anos atrás voltou com força quando joguei Super Button Soccer. O indie nacional é um ótimo passatempo e ainda está sendo trabalhado pelos desenvolvedores para ser transformar em um verdadeiro eSport.

02  – Overwatch (Multi)

Nunca fui muito fanático pelos FPS, porém Overwatch conseguiu me conquistar. Tudo começou em um daqueles finais de semana em que o título da Blizzard estava gratuito. Bastou somente alguns minutos para que eu ficasse totalmente encantado pelo jogo. Não demorou muito para que eu comprasse o game e virasse madrugadas tentando fazer a jogada da partida.

01  – Pokémon GO (Android/iOS)

A febre Pokémon GO foi um dos fatos que marcou o ano 2016. Entrar nos portais de notícias e ver diversas postagens sobre a aventura de realidade aumentada era um sofrimento para nós brasileiros, que aguardávamos ansiosamente a chegada do aplicativo no território nacional. E quando finalmente chegou nossa vez, foi incrível. Visitar parques ou pontos turísticos e ver diversos grupos caçando as criaturinhas era fantástico. Até acabei comprando um celular novo para aproveitar o game, já que o meu antigo não conseguia rodar o jogo. Mesmo com o interesse de muitos estar diminuindo ao longo do tempo, ainda sou daqueles que sempre clica no ícone da pokébola na tela do smartphone quando está saindo de casa.
 .
E para você, caro leitor, quais foram os melhores de 2016? Não deixe citá-los nos comentários e também continue nos visitando durante os próximos dias para conferir a lista de toda nossa equipe.
Revisão: Arthur Maia
Vinicius Veloso é jornalista e obcecado por games (não necessariamente nessa ordem). Seu vício começou com uma primeira dose de Super Mario World e, desde então, não consegue mais ficar muito tempo sem se aventurar em um bom jogo. Está no Facebook ou Twitter.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook