Jogamos

Análise: Mortal Kombat XL (Multi) é a versão definitiva dos torneios mortais

Reunindo todos os DLCs e atualizações lançados para o décimo jogo da série Mortal Kombat, XL aprimora o que já era bom e celebra o melhor título da franquia até hoje

Sucesso de vendas e críticas, Mortal Kombat X foi o primeiro grande título de luta para os consoles da atual geração. Tanto sucesso fez o jogo passar por diversas melhorias e acréscimos de conteúdo para tornar a experiência ainda melhor durante o primeiro ano nas prateleiras. Reunindo justamente tudo esse conteúdo adicional — que não é pouca coisa — mais novos extras, MKX recebe a sua versão definitiva, o Mortal Kombat XL. Veja só que lhe espera.

Torneio de sucesso

Você já conferiu aqui mesmo no GameBlast a análise do Alberto Canen sobre o Mortal Kombat X, publicada em abril de 2015. Na época, Alberto destacou a ótima maneira com que a NetherRealm Studios e Warner Bros. deram continuidade ao excelente Mortal Kombat (2011), usando elementos testados em Injustice: Gods Among Us (2013) e outros títulos do estúdio para dar vida a MKX.
Algumas mecânicas vistas em Injustice foram aprimoradas em MKXL.
Ainda sobre a análise, Alberto comentou da dificuldade de entender certas passagens do enredo — que eram mais aprofundadas nas HQs publicadas na época —  e celebrou a excelente jogabilidade, seguida de visuais belíssimos e ótima variedade de modos de jogos, que, segundo ele, faziam de Mortal Kombat X o melhor jogo de luta da atualidade.
Parecia que a série tinha chagado ao seu ápice com Mortal Kombat (2011).
Mortal Kombat XL é basicamente o mesmo jogo lançado em abril de 2015. A estrutura, os modos de jogos, o enredo, tudo é igual. Contudo, esta nova versão traz todo o conteúdo extra lançado nos meses seguintes, pagos ou gratuitos, mais as atualizações que equilibravam o jogo, em um só pacote.

Seu time

Depois de dois longos dias de download — nada me faz acostumar com essa demora em baixar jogos — pude, enfim, testar o jogo de luta que sempre foi comentado como um dos melhores desta geração. Ainda não tinha jogado ele em casa. Minha experiência no décimo torneio tinha sido na casa de um amigo. Mas desde lá, fiquei encantado com o título.

Ao começar o jogo, precisamos escolher uma das cinco opções de facção para contribuir com pontos e ganhar bônus. Embora seja possível trocar entre elas a qualquer momento, é sempre uma ótima alternativa permanecer em uma facção para desbloquear fatalidades novas e se sentir fazendo parte de um time, mesmo que isso pouco interfira na experiência geral. Pelo menos para mim, o sentimento de rivalidade e o extras desbloqueáveis foram as partes mais interessantes dessa opção.

No menu das facções, você pode acompanhar a sua contribuição para o time e ficar por dentro do que precisa fazer para completar os objetivos e subir de nível para desbloquear novos extras. Nos meus próximos desafios, por exemplo, preciso vencer duas lutas sem bloquear e aplicar cinco brutalities.
Sou da facção dos Lin Kuei. E você?
Há também a Torre de Guerra, onde você pode enfrentar os desafios tradicionais das torres, dessas vez contra a facção adversária em busca de pontos. Estas foram boas adições, acrescentando muito no fator replay do jogo.

Contra todos

Um dos fatores que faz de Mortal Kombat uma das principais séries de luta de todos os tempos é o forte apelo nas lutas um contra um. Primeiro nos arcades e em seguida nos consoles, poucos jogos foram capazes de gerar confrontos tão alucinantes entres jogadores. Ainda lembro dos pegas com meus irmãos em Mortal Kombat 3 do SNES. Bons tempos.
Bateu aquela saudade, não foi?
Em Mortal Kombat XL, temos duas opções de digladiação contra adversários: os modos multplayer local e multiplayer online. No local, é possível enfrentar um amigo lado a lado, como nos velhos tempos, inclusive, com possibilidade de inserir modificadores de partida, deixando tudo ainda mais maluco com itens, objetos e todo tipo de maluquice aparecendo na tela. A diversão é garantida.

Ainda no modo local, você pode criar partidas personalizadas, usando os modificadores de combate, ou chamar um amigo para enfrentar os desafios das torres. No modo online, você pode escolher entre lutar em salas, equipes, contra os amigos ou enfrentar inimigos aleatórios nas lutas subindo a torre. Diferente da versão anterior, a fluidez das lutas e a velocidade em encontrar adversários melhorou bastante. Em todas as minhas tentativas, não tive problemas durante o jogo, a não ser a falta de habilidade para vencer a galera mais experiente — apanhei muito no online.

O mais mortal dos torneios

Nos modos para um jogador, Mortal Kombat XL demonstra toda a sua profundidade. Antes mesmo de começar a enfrentar a galera de outras facções e tentar encarar o modo história, passei um bom tempo aprendendo as mecânicas de jogo no modo treinamento. Nele, somos apresentados aos comandos, tipos de combos, especiais, sistemas de defesa e contra ataque e tudo que precisaremos fazer para conseguir vencer e se tornar um bom lutador.

Para minha surpresa, MKXL está bem mais rápido e dinâmico do que os outros títulos da série. Os combos, especiais e movimentação dos personagens foram trabalhados de uma forma que quebrou aquele aspecto duro, pesado dos outros jogos, que, inclusive, afastava alguns jogadores menos exigentes que buscam em MK uma forma de se divertir com um jogo de luta simples. Ganhamos em velocidade sem perder complexidade, pois dominar alguns comandos, principalmente combos mais elaborados, exigirá muito treino.

Se era facilidade que os jogadores queriam, foi isso que eles receberam. Jogar MKXL é uma tarefa para qualquer jogador acostumado as lutas virtuais. Até mesmo os fatalities possuem maneiras simplificadas de serem executadas. Também é possível pausar o jogo no momento de finalizar o oponente para rever os comandos necessários para o golpe fatal. Se comparado aos enormes comandos que fazíamos acompanhados de uma revista de games, agora é moleza destruir o inimigo no final.
Uma das novidades do jogo é a possibilidade de escolher entre estilos de luta antes do combate. Cada um influência na forma de jogar, nos golpes e até nos fatalities.
E por falar em fatalities, em Mortal Kombat XL eles estão sensacionais. Extremamente brutais, violentos e sanguinários, os fatalities continuam sendo o grande momento do jogo. É quase uma aula de anatomia humana com tantos ossos, vísceras e órgãos sendo arrancados, estassalhados e moídos. A crueldade é tanta que minha esposa simplesmente saia do quarto todas as vezes que eu ligava MKXL. Esse fato, inclusive, me fez lembrar de quando minha mãe me colocou de castigo algumas semanas quando chegou na locadora e viu que eu estava jogando aquele, segundo ela, “jogo do demônio”.


Não pense que a brutalidade está presente apenas nos fatalities. Toda a luta é cercada da mais pura violência extrema. Os especiais quebram ossos, os já tradicionais movimentos Raio X destroem o interior dos personagens e cada golpe, por mais simples que seja, faz um dano permanente na aparência do adversário — no final do duelo, você verá seu personagem suado, rasgado, perfurado e todo machucado.

Se toda essa violência já impressionava lá na década de 1990 com os personagens digitalizados da geração 16-bits, imagine só com a tecnologia atual. Os visuais de MKXL são deslumbrantes. Desde a textura da pele, cabelos e roupas dos personagens, até os cenários e toda a vida que se esconde em cada trecho da fase. Tudo é feito com muito esmero, tornando os combates muito convincentes.

Futuro da série

Se tudo isso já não fosse o suficiente para justificar a compra, MKXL ainda traz um excelente modo história, dando continuidade aos acontecimentos do título anterior. Sem querer estragar as surpresas do enredo — que são muitas, você verá —, somos levados 25 anos a frente dos fatos contados no jogo anterior. Sem Shao Khan na parada, um nova/velha ameaça retorna, colocando o futuro da terra em perigo. Dessa vez, além dos já veteranos velhos conhecidos, um novo time de personagens aparece para manter o legado de seus pais, como Cassandra "Cassie" Cage (filha de Johnny Cage e Sonya Blade), Takeda Takahashi (filho de Kenshi), Jacqueline Briggs (filha de Jax Briggs) e Kung Jin (descendente de Kung Lao). Há mais lutadores novos: Kotal Kahn, Erron Black, Ferra/Torr e D'Vorah.
Cassandra "Cassie" Cage.
Com cerca de 6 horas no modo principal, você poderá aproveitar uma trama bem contada, instigante e cheia de referências a outros fatos passados, inclusive dos filmes lá da década de 1990. Completando o modo história, você também poderá superar os desafios das torres, desbloqueando os finais de cada personagem.  Aliás,  todos os menus e diálogos do jogo estão em português, mas, infelizmente, é uma das partes do jogo que mais destoa do restante da produção, pois oscila entre bons e péssimos momentos. Mesmo assim, é divertido ouvir os nossos personagens favoritos na nossa língua mãe.

Upgrade

Completando cada desafio, vencendo os inimigos e terminando o modo história, você receberá moedas para usar na Krypta. Lá, o jogador pode desbloquear artes conceituais, roupas alternativas, novos fatalities e diversos outros extras. E extra é o que mais temos nessa versão XL.

Entre as novidades dessa versão definitiva, estão os novos lutadores disponibilizados por DLC, Goro, Predador, Jason Voorhees, Tremor e Tanya, os personagens inéditos Xenomorph de Alien, Leatherface da série de filmes de horror O Massacre da Serra Elétrica, Triborg (junção dos ciborques da série) e Bo’Rai Cho. E diversas skins, fatalitieis, o clássico cenário Pit e todas as melhorias de desempenho lançadas em atualizações. Caso você já possua o jogo, pode comprar apenas os pacotes adicionais por um preço bem em conta.

Choose your destiny

Com ótimos visuais, diversos modos de jogo, experiência online competente, jogabilidade mais rápida e intuitiva do que os títulos anteriores, o acréscimo de novos personagens e outros extras, Mortal Kombat XL é o jogo definitivo de uma das melhores séries de luta da história dos videogames. Se você já possui a versão X, atualize sem medo para a XL. Caso ainda não tenha experimentado o melhor jogo da franquia até o momento, não deixe de conferir este pacote com todo o conteúdo disponibilizado pelo competente time da NetherRealm Studios.

Prós

  • Brutalidade que faz jus ao legado da série;
  • Divertido modo história;
  • Diversidade de modos de jogo;
  • Combates mais ágeis e técnicos;
  • Visuais competentes;
  • Boa localização;
  • Opções online consistentes;
  • Ótimos extras.

Contras

  • Alguns dubladores destoam do restante do elenco;
  • Pouca variedade de cenários;
  • Algumas mecânicas de luta são complexas de executar.


Mortal Kombat XL — Multi — Versão utilizada: XBO — Nota: 9.5

Revisão: Gabriel Verbena
Capa: Felipe Fabricio 

Ítalo Chianca escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais