Vem aí

Prévia: Final Fantasy XV (Multi) será o renascimento da franquia?

RPG tem a responsabilidade de suprir 10 anos de expectativa e espera dos fãs.

Final Fantasy é uma franquia de fantasia e ficção científica com ênfase em jogos de RPG, mas dona de títulos em inúmeras outras mídias, seja no cinema, no mangá ou em anime. Final Fantasy é um dos RPGs mais famosos do mundo e todo gamer deve, no mínimo, ter ouvido falar da série de jogos criada pelo produtor japonês Hironobu Sakaguchi. Em 2016 chega o título mais aguardado da série, Final Fantasy XV (Multi) da Square Enix.


Anteriormente conhecido como Final Fantasy Versus XIII, o tão esperado Final Fantasy XV teve dez anos de produção, e com isso as expectativas dos fãs não poderiam estar mais altas. Até mesmo o diretor Hajime Tabata revelou que a equipe de desenvolvedores do game sofreu com o que ele chamou de "síndrome Final Fantasy". Uma condição mental em que os envolvidos no projeto tiveram dificuldades para inovar em jogabilidade, narrativa e personalidade dos personagens por pensarem que estavam descaracterizando o novo título do restante da série de jogos.

Tentando unir tradição e inovação, Final Fantasy XV almeja renovar a franquia, mas sem perder sua identidade original. Os anos foram longos e as promessas foram muitas, será que o novo título de Final Fantasy vai dar conta de todo hype e espera dos fãs?


Uma viagem para o reino de Lucis

Demorou, mas a Square Enix fez bonito ao pavimentar o caminho rumo ao novo jogo da série. O filme Kingsglaive: Final Fantasy XV (Takeshi Nozue, 2016) faz uma introdução a história do game ao apresentar o contexto político e social do reino de Lucis e a razão do príncipe Noctis estar na estrada com seus três amigos e guardas leais. O anime Brotherhood: Final Fantasy XV (Soichi Masui, 2016) foca justamente na história do trio de guardiões de Noctis, mostrando uma ligação mais emocional entre o príncipe, Prompto, Gladiolus e Ignis. Ambas as produções audiovisuais são requisitos obrigatórios para os fãs que desejam conhecer mais do novo jogo.

Final Fantasy XV se passa no mundo de Eos, onde todos os países estão sob domínio do império de Niflheim, menos o reino de Lucis. O príncipe Noctis Caelum, herdeiro do trono de Lucis, busca retomar seu país e o cristal mágico que roubado pelo exército de Niflheim no dia das negociações de paz entre as duas nações, quando seu pai foi assassinado e teve o trono usurpado. A partir de então, Noctis viaja com sua guarda real em busca de uma solução para libertar Lucis da tirania de Niflheim.


Além da trama política, o jogo também foca no aspecto emocional ao trazer a figura da princesa Lunafreya Fleuret, noiva de Noctis. Luna é de Tenebrae, província do império Niflheim, mas que detém certa independência devido seu papel como oráculo. A princesa é amiga de infância de Noctis e exerce uma importante influência na história pessoal do herdeiro de Lucis.

Um conto da saga Fabula Nova Crystallis

Se você gostou do mais recente Final Fantasy Type-0 HD (Multi) e seu spin-off Final Fantasy Agito (Mobile) e curte todo o universo dos cristais de poder, ficará feliz em saber que Final Fantasy XV continua a saga Fabula Nova Crystallis. Ambientado na mitologia dos cristais como representantes da alma, a divindade e a origem da magia, Final Fantasy XV insere o enredo em torno do cristal de poder como um de seus epicentros dentro da narrativa do game, dando continuidade a saga dos cristais que começou com Final Fantasy XIII (Multi) em 2009.

Em Final Fantasy XV, novamente temos a narrativa centrada em um universo dividido em duas realidades coexistentes: o mundo mortal, o reino dos vivos e o reino invisível, o reino dos mortos. A trama sobre a experiência transcendente entre as duas dimensões girará em torno de um mistério sobre a história de Noctis, relacionado a um pacto secreto que seu pai, o rei Regis, fez com os deuses. Algo que promete muitas surpresas na narrativa e uma ênfase no lado emocional do personagem.


Como parte da série Fabula Nova Crystallis, espera-se alguns elementos recorrentes dentro da saga, como o papel dos humanos como intermediários dos deuses, a exemplo as figuras do l'Cie e do fal'Cie. Bem como summons e armas mágicas baseadas na ligação entre o mortal e o imortal, como os anéis de poder, um elemento presente em Final Fantasy XV.

Sistema de batalha e exploração

Ao longo dos anos, Final Fantasy utilizou diversos sistemas de combate, indo das tradicionais batalhas em turnos com um grupo de personagens ao modelo mais recente, hack 'n slash. Para Final Fantasy XV, a Square Enix optou pela mecânica de hack 'n slash sem transição para batalha, algo que começou com Final Fantasy XII (PS2/PS4) em 2006.

Neste tipo de mecânica, as lutas são mais livres. Enquanto o jogador caminha pelo mundo aberto com seu personagem, ele pode entrar em batalhas com quaisquer inimigos que encontrar e desferir golpes com rapidez e liberdade. Sem a necessidade de abrir menus a cada novo golpe ou troca de arma, bem como há a ausência da pequena cutscene no momento de transição entre encontro com o inimigo ao combate. Como acontece em Final Fantasy Type-0 HD por exemplo, jogo do mesmo arco Fabula Nova Crystallis.



No quesito exploração, o modelo em mundo aberto com diversas missões paralelas para elevar o nível de habilidade e conseguir novas armas e poderes para seu personagem continua. Além de encontros com personagens secundários ou lugares e anúncios que podem lhe render experiência extra, em Final Fantasy XV o jogador poderá fazer viagens entre lugares e cidades mais distantes pilotando o carro do quarteto de heróis. E quando estiver chegado ao local desejado, o personagem ainda pode se deslocar pelo ambiente cavalgando em um chocobo ou simplesmente dando uma caminhada.

O renascer de Final Fantasy

Apesar de todo seu reconhecimento no cenário dos games, é bem verdade que Final Fantasy tem vivido à sombra de títulos passados, como Final Fantasy VII (Multi), Final Fantasy VIII (Multi) e Final Fantasy X (PS2). Títulos que figuram entre os mais vendidos da franquia, trazendo como protagonistas Cloud Strife, Squall Leonhart e Tidus, os heróis mais conhecidos pelos gamers. Contudo é hora de a franquia trazer um jogo à altura da nova geração. Será que Noctis irá figurar entre essas lendas?

Como todos os títulos anteriores, Final Fantasy XV busca uma narrativa repleta de aventura e ação, mas acima de tudo, emoção. Sempre trabalhando no lado existencial de seus personagens com uma premissa de tragédia e superação, história é algo que não vai faltar aos jogadores do sexto game da saga Fabula Nova Crystallis. E claro, com dez anos de espera é impossível as expectativas estarem mais altas, não é?

Final Fantasy XV — PS4/XBO
Desenvolvedor: Square Enix
Gênero: RPG
Lançamento: 29 de novembro de 2016
Expectativa: 5/5

Revisão: Pedro Vicente
Karen K. Kremer é mestre jedi em história pela UEPG. Viajante do tempo e cinéfila, considera Quantum Break uma obra-prima. Cresceu fazendo Meteoro de Pégasos e jogando videogame. Apaixonada por literatura, ilustração e dinossauros. Diz a lenda que com um bat-sinal no DeviantArt., MGC. ou Twitter. ela aparece.

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais