Blast from the Past

WET: uma aventura regada a sangue e tiroteios

A estilosa caçadora de recompensas Rubi embarca rumo à sua última e mais perigosa missão.



Se você é fã de RPGs, com certeza já deve ter experimentado alguns dos títulos da Bethesda, como Skyrim, Fallout ou Starfield. Porém, a desenvolvedora conta com algumas obras que acabaram sendo esquecidas com os anos e que se afastaram um pouco do gênero que a deixou conhecida. Uma delas é a aventura da caçadora de recompensas Rubi, que protagoniza o jogo de 2009, WET.

Quando Matrix encontra Max Payne

Lançado para PlayStation 3 e Xbox 360, WET é um daqueles jogos que fazem parte de uma época bem singular no mundo dos videogames, em que a diversão estava acima de qualquer outro aspecto. Não se preocupando com o realismo ou nexo das coisas, o importante era apenas dar algumas boas gargalhadas durante a jogatina.

Somos colocados no papel da caçadora de recompensas Rubi, que é contratada para recuperar uma maleta misteriosa que está na posse dos maiores mafiosos da China. Rubi faz o tipo “casca-grossa” e é praticamente um exército de uma mulher só, derrotando centenas de inimigos sem derramar uma gota de suor.

Após recuperar a maleta, ela descobre que dentro havia um coração que seria usado para salvar a vida de Rupert Pelham, um dos líderes da máfia rival. Grato por ajudar a salvar sua vida, Rupert oferece um último trabalho para Rubi: ir até Hong Kong para encontrar seu filho. Ela só não sabia que esse seria o trabalho mais difícil de sua vida.

Sinônimo de estilo


A história de WET sem dúvidas não é o seu forte, sendo muitas vezes confusa e apressada, dada a curta duração do jogo que pode ser finalizado em pouco menos de sete horas. Isso acaba deixando muitas pontas soltas ao final da aventura, já que ela foi pensada desde o início para ter uma sequência, que infelizmente nunca veio.

O ponto forte fica por conta da sua fantástica apresentação. Tudo aqui é extremamente estiloso e serve para mostrar ao jogador como Rubi é forte e imparável. Grande parte desse estilo fica por conta da trilha sonora, composta majoritariamente por punk rock e rock country.

WET também apresenta uma estética de filme antigo, tendo um filtro bem forte de granulado e tremor de tela que pode incomodar um pouco alguns jogadores, mas que felizmente pode ser desativado nas configurações.

Câmera lenta até dizer chega

E finalmente chegamos à parte que faz WET brilhar: a sua jogabilidade. Na base, ele é um jogo de tiro em terceira pessoa com mecânicas bem simples, mas as habilidades de Rubi é que fazem o diferencial, com a principal delas sendo a câmera lenta. Diferentemente de outros jogos do mesmo gênero, aqui você não deve se esconder atrás do murinho e esperar que o inimigo baixe a guarda, mas sim sair cambalhotando em direção aos oponentes.


Enquanto Rubi pula, desliza no chão ou corre nas paredes, a câmera lenta é automaticamente ativada para o jogador mirar nos inimigos com mais precisão. Quanto mais estilosas forem as acrobacias e eliminações, maior será a pontuação. O limite é a sua criatividade; existem infinitas formas de ser cada vez mais estiloso e conseguir mais pontos, que podem ser usados para comprar e melhorar as habilidades da protagonista.

Outras armas também poderão ser liberadas durante a jornada, como escopetas de cano cerrado e submetralhadoras, ampliando ainda mais a possibilidade de combos. Mas não é só de armas de fogo que vive nossa protagonista: além de todo o seu arsenal, Rubi também contará com uma espada que pode derrotar qualquer inimigo com apenas um ataque, perfeito para ocasiões onde as balas não são o suficiente.

O número exagerado de inimigos na tela te força a sempre estar em movimento, sempre pulando pelos telhados, deslizando e alternando entre as diferentes armas dependendo da situação. Ficar parado por um instante pode significar o fracasso da missão.

Um fracasso de vendas, um sucesso cult


Em seu lançamento, WET não foi bem recebido pela crítica especializada, nem pelos jogadores, recebendo notas baixíssimas que, infelizmente, refletiram em suas vendas. O fracasso comercial fez a desenvolvedora descartar completamente os planos para uma sequência e engavetar o projeto por tempo indeterminado.

Porém, este é um daqueles casos em que o tempo muda a opinião das pessoas. Com o passar dos anos, os jogadores voltaram para revisitar a obra e muitos saíram com opiniões positivas.

Por nunca ter sido lançado para computadores, infelizmente WET está preso nas mídias físicas do PS3 e Xbox 360, não estando disponível em nenhuma loja digital e nem na retrocompatibilidade do Xbox. Mas se você tem um desses consoles pegando poeira e não sabe mais o que jogar, vale a pena dar uma olhada na OLX e desfrutar da aventura de uma das protagonistas mais estilosas dos games.


Revisão: Davi Sousa


Um “arqueólogo de games” que adora falar das gemas ocultas do mundo dos jogos, tem o PS3 como console favorito e ama um bom hack and slash. Mesmo apreciando os jogos modernos, não dispensa uma boa velharia obscura do tempo que videogame era movido à lenha. Segue o pai.
Este texto não representa a opinião do GameBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.