Blast from the Past

Pai da série VS, X-Men: Children of the Atom completa 30 anos

Game trouxe diversas inovações para os jogos de luta além de criar uma nova franquia.


Há 30 anos, a Capcom lançava um jogo que mudaria o cenário dos jogos de luta nos anos 90 e 2000: X-Men: Children of the Atom. O game saiu primeiro para o arcade, em dezembro de 1994 no Japão, chegando no ano seguinte à Europa e aos EUA.  Ainda existiram versões para o Sega Saturn (1995), PC (1997) e PlayStation (1998).

X-Men foi o primeiro jogo de luta licenciado pela Marvel produzido pela Capcom. E a receita era digna do sucesso, pois aproveitava duas das febres que rolavam no momento. A primeira era o sucesso de Ciclope e sua trupe, sendo os maiores das HQs da Marvel na época e contando com um desenho de sucesso, X-Men the Animated Series. A segunda eram os jogos de luta, que viviam uma explosão de popularidade no início da década de 90, principalmente por conta de Street Fighter II, lançado em 1991.

E é justamente a inspiração na série animada que propulsionou o jogo a novos patamares. Os modelos dos personagens eram exatamente iguais aos que se via na telinha. Na versão americana, alguns dubladores eram os mesmos para as duas mídias.


O estilo frenético de luta, sendo rápido e contando com vários elementos na tela, também relembra as diversas cenas de batalhas entre Wolverine e companhia contra os vários vilões dos mutantes. Uma característica que marcou X-Men, e os demais jogos subsequentes, foi os golpes “exagerados” que enchem a tela, mesmo que a sua hitbox fosse algumas vezes menor. Isso chamava a atenção de qualquer transeunte que passava pelo fliperama descompromissado, além de manter a característica parecida com a da animação.

Um dos principais acertos do jogo foi justamente com os diversos golpes especiais, dos mais simples aos super combos. A prova é que mesmo em jogos de quase duas décadas depois (Ultimate Marvel vs Capcom 3) praticamente todos os X-Men mantiveram seus ataques. Claro, com algumas adições ao longo dos anos, mas a essência continua a mesma. Infelizmente, não é possível comentar sobre Marvel vs Capcom Infinite, já que os mutantes ficaram de fora pelo fato de os direitos dos filmes estarem nas mãos da Fox Studios.


O game traz como personagens jogáveis heróis e vilões da franquia. Cyclops (Ciclope), Wolverine, Storm (Tempestade), Psylocke, Iceman (Homem de Gelo), Colossus, Omega Red, Sentinel (Sentinela), Silver Samurai (Samurai de prata) e Spiral (Espiral) compõe o elenco para a jogatina. Além deles, tinha-se ainda Juggernaut (Fanático) e Magneto como últimos bosses do jogo.

Uma participação especial foi feita por Akuma, de Street Fighter. Ele era parecido com a sua versão do jogo Street Fighter II Turbo. Era possível jogar com o personagem ao inserir um código na tela de seleção de personagens. Embora parecesse deslocado, Akuma garantia diversão também ao se jogar com ele.


Os controles do jogo eram similares aos outros jogos da Capcom da época. Três botões para chutes, três para socos e com intensidades e velocidades diferentes. As combinações de meia-lua e golpe do dragão também estavam presentes, além das habilidades especiais (aqui denominadas de X Ability e Hyper X).

Uma das novidades apresentadas pelo jogo foi o super pulo, que fazia com que a tela subisse junto com o personagem, dando uma verticalidade maior aos cenários. Alguns cenários podiam ter seu chão quebrado, abrindo uma nova área para o combate. Era possível bloquear no meio do pulo e alguns personagens podiam usar o canto da tela para uma propulsão a mais, enquanto outros possuíam o pulo duplo. Outra inovação foram os rolamentos ao se levantar, para se aproximar ou para se afastar do oponente.


O impacto deste jogo foi tamanho que garantiu várias sequências e acabou criando uma das franquias mais amadas dos jogos de luta, a “VS series”, que se solidificou com Marvel vs. Capcom. Diversas das novidades apresentadas viraram características clássicas dos novos jogos. Os personagens cativantes e carismáticos — que contavam com uma ajuda da animação e das HQs, claro — marcaram a década e foram constantes em diversas continuações.


X-Men: Children of the Atom retorna este ano ainda, na coletânea Marvel vs Capcom Fighting Collection: Arcade Classics, junto com outros títulos da franquia, para PC, PS4 e Nintendo Switch. O GameBlast irá trazer um especial para cada um deles.

Revisão:Beatriz Castro


Jornalista, Técnico no papel, engenheiro não praticante e mestre Pokémon nas horas vagas. Passa 80% do tempo falando de games. Nos outros 20% torce para alguém falar sobre games, só para poder falar mais um pouco.
Este texto não representa a opinião do GameBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.