Jogamos

Análise: Killer Klowns from Outer Space: The Game, quando funciona, é um bom jogo multijogador assimétrico de humor aterrorizante

Dependendo quase que exclusivamente da sua base de jogadores, o game é divertido quando palhaços e humanos conseguem lutar de forma equilibrada.


Jogos baseados em marcas famosas são muito comuns, aparecendo desde os primórdios dos games eletrônicos. Enquanto filmes estão entre os favoritos para isso, Killer Klowns from Outer Space: The Game foge da premissa geral de usar películas famosas, oferecendo uma experiência multijogador baseada em um filme de terror relativamente desconhecido. Vista sua maquiagem, pegue os balões infláveis e não esqueça do nariz vermelho, pois vamos começar!

Direto do túnel do tempo

Antes de falar do jogo em si, vale uma retrospectiva: Killer Klowns From Outer Space, conhecido no Brasil como Palhaços Assassinos do Espaço Sideral, é um filme americano de 1988. Misturando os gêneros de ficção científica e comédia de terror, a película fez um sucesso razoável, ainda que nomes contemporâneos como Sexta-Feira 13 e A Hora do Pesadelo tenham se tornado mais populares ao longo dos anos.
Como jogos normalmente focam nas películas mais famosas e populares, é interessante observar como um filme de terror com palhaços alienígenas chega ao mercado em pleno 4 de junho de 2024. Inclusive, o jogo não tem uma introdução adequada à temática, mas isso não chega a comprometer. Com versões para PlayStation 5, Xbox Series e PC, todas têm cross-play completo, aumentando bastante as possibilidades de criar partidas (algo necessário, como vai ficar claro em breve).
O game é centrado em combates multijogador disputados entre dois times: palhaços e humanos. O quesito assimétrico, ou seja, a discrepância entre os lados, fica por conta de fatores como número de jogadores, objetivos e recursos durante as partidas, todos diferentes para os dois lados. A divisão de jogadores entre os times é aleatória, mas caso só exista um jogador na sala, ele obrigatoriamente será um palhaço.!

Contato imediatos de primeiro grau

Os alienígenas coloridos são limitados a três membros, cujo objetivo principal é eliminar os humanos o mais rápido possível. Isso pode ser feito atacando diretamente ou por meio do Palhaçopocalipse, uma explosão mortal com um temporizador que pode ser acelerado por meio de algumas tarefas. Já os humanos, que sempre aparecem em um time de sete membros, têm como objetivo escapar o mais rápido possível do mapa onde estão.
As partidas duram no máximo 15 minutos, mas podem acabar antecipadamente caso todos os humanos sejam mortos. Mecanicamente, Killer Klowns From Outer Space: The Game funciona de forma relativamente simples. Os palhaços contam com itens e habilidades majoritariamente inspiradas em… bem, coisas de palhaços: balões infláveis, algodão doce, marretas, raios coloridos, etc. Claro que aqui temos uma perversão desses elementos, pois cada um é perigoso para os terrestres.
Já os humanos podem usar recursos mais mundanos, como facas, bolas de beisebol, frigideiras e armas de fogo. Além desses itens de combate, opções para recuperar a vida e o fôlego também são importantes para sobreviver, mas sempre sem perder de vista o objetivo principal. Para fugir dos extraterrestres, é preciso interagir com algum dos quatro pontos de escape de cada mapa.
Todas as saídas exigem alguma tarefa, como um portão que precisa de uma chave depois de ser desobstruído ou um barco que precisa de gasolina e de uma vela de ignição para funcionar. O jogo esporadicamente marca esses pontos de interesse no mapa, mas ter conhecimento prévio é fundamental para ter sucesso. Também é importante equilibrar o foco na fuga com uma certa preparação para os combates, visto que as partidas podem ser imprevisíveis.

Maquiagem de primeira

A dinâmica estilo “gato e rato” funciona muito bem, proporcionando uma boa dose de tensão em cada esquina. Os mapas refletem os cenários do filme, com bosques, parques, conjuntos de casas, entre outros ambientes. Pode parecer meio banal, mas essa proposta casa bem com a ideia de uma invasão alienígena numa cidade mais interiorana. Além disso, existem muitos esconderijos, zigue-zagues e caminhos para se esconder ou despistar os palhaços.
Em termos visuais, temos uma produção competente, que, apesar de não estar num nível esperado para a nova geração, consegue criar a atmosfera correta. Os palhaços são igualmente assustadores e engraçados; já os humanos são mais simples, mas não comprometem. Para os fãs do material original, existem skins que fazem referência a personagens do filme.
 
O áudio é quase igualmente competente, com músicas, efeitos sonoros e dublagens interessantes. A exceção é o nível de volume desses elementos: gritos e ruídos são fundamentais para evitar/encontrar inimigos, mas por vezes não funcionam adequadamente. É preciso contar com um bom sistema de som e algum ajuste nas configurações para obter o equilíbrio correto.
E acredite, pois você vai precisar de tudo funcionando bem: Killer Klowns From Outer Space: The Game pode ser acessível num primeiro momento, mas é fatal para principiantes contra experientes. Quem conhece bem os mapas e as habilidades, seja humano ou palhaço, leva muita vantagem. Apesar de exigir alguma velocidade no controle, o mais importante é a estratégia, fazer a leitura correta do inimigo e como contra-atacar.
Resumindo: as partidas podem ser divertidas e emocionantes, ou então extremamente frustrantes. Colegas de equipe ruins (seja por inexperiência ou falta de noção) tornam a vitória quase impossível. Quando um palhaço é derrotado, retorna após algum tempo; humanos podem ser revividos uma única vez usando uma máquina especial, mas que demanda algum trabalho para ser ativada.

Boas ideias por todos os lados

Conforme jogamos mais e mais partidas, pontos de experiência são obtidos, assim como desafios secundários são concluídos. Tudo isso serve para liberar novos itens cosméticos e habilidades, permitindo a criação de classes personalizadas. Essa liberdade torna o game mais variado, pois seria tedioso encontrar sempre os mesmos palhaços e humanos pela frente.
Falando em tédio, Killer Klowns From Outer Space: The Game oferece uma experiência interessante para os humanos mortos passarem o tempo de forma construtiva: é possível disputar minigames e obter itens, que por sua vez podem ser armazenados (para caso o jogador reviva) ou então concedidos aos jogadores que estão vivos. Os colegas de time podem escapar sem você, então por vezes vale a pena ser um bom samaritano.
Afinal, os palhaços alienígenas basicamente já começam as partidas ganhando. Para fazer frente a essa vantagem e os demais poderes inimigos, como a capacidade de gerar lacaios e hipnotizar adversários, os humanos precisam se unir e jogar com inteligência. Tal qual um bom “Tom e Jerry”, é possível surpreender e até reverter uma partida praticamente perdida.
Inclusive, ser morto por um palhaço pode resultar numa Palhaçotalidade, uma espécie de Fatality à lá Mortal Kombat. Mais uma adição de humor assustador do game, que também traz uma quantidade interessante de extras, além das já comentadas customizações. Minha impressão final do jogo é boa, embora a proporção de partidas divertidas e equilibradamente competitivas poderia ser maior em relação às ruins.

Respeitável público

É importante ressaltar que Killer Klowns povoa a sala com bots na falta de jogadores, mas somente para o grupo dos humanos. Ou seja, na falta de pessoas para encher a sala, o jogador sempre ficará no papel de palhaço (não é uma piada), deixando claro que os bots não chegam a ser inúteis, mas a qualidade da partida cai bastante nesse caso. Não consigo dizer exatamente o porquê dessa limitação, visto que ela pode tornar as coisas repetitivas.
Talvez isso se deva ao fato de os palhaços serem mais poderosos e saírem sempre em vantagem, o que exige uma certa cooperação por parte dos humanos para que os mesmos tenham sucesso. Partidas privadas podem ser a salvação a longo prazo, mas elas são um pouco instáveis. Aliás, o jogo recebeu uma grande atualização na data de lançamento, com a promessa de resolver alguns bugs e problemas de desempenho (particularmente, não notei nada grave).
 
Ainda é preciso esperar para ver os resultados, mas a coisa parece ter sido tão séria que até partes do progresso nos desafios e classes customizadas serão resetadas pelo update. Seja como for, o game depende muito de salas cheias para que as partidas sejam realmente divertidas e competitivas. Admito que esse comentário é meio padrão para jogos com foco no multiplayer online, tal como fiz em Esquadrão Suicida e Foamstars.
A questão é que aqui temos uma dependência total dessa questão, visto as características do jogo e a ausência de modos campanha, versus local, desafios curtos, etc. Creio que tenha faltado alguma opção nesse sentido, o que daria mais fôlego ao game em momentos de baixa adesão, ou mesmo para oferecer mais variedade de forma geral. Vale lembrar que a fonte original é um filme, que poderia ter inspirado algum modo história, mesmo que básico.

Hoje tem palhaçada? Tem sim, senhor!

Com uma proposta inusitada, Killer Klowns from Outer Space: The Game é um divertido multijogador assimétrico. Os níveis de ação e estratégia são equilibrados, proporcionando partidas competitivas, ainda que muito dependentes dos demais jogadores na sala. A luta entre palhaços e humanos também poderia ter rendido mais opções de jogo, mas ao menos o que temos à disposição é uma ótima pedida para fãs de títulos competitivos e diferentes.

Prós

  • Jogo multijogador divertido e único, com boa inspiração no filme original;
  • A apresentação tem um ótimo equilíbrio entre humor e terror;
  • Jogabilidade competente, com muitos recursos para oferecer partidas competitivas;
  • Bom nível de produção, incluindo visuais dos personagens e trabalho de áudio;
  • Cross-play completo e boa quantidade de customizações oferecem uma variedade interessante.

Contras

  • A experiência multijogador só é realmente divertida e competitiva se a sala estiver praticamente lotada, sobretudo com jogadores de mesmo nível;
  • Ausência de modos de jogo que complementem a temática proposta, como uma campanha ou desafios locais.
Killer Klowns from Outer Space: The Game — PC/PS5/XSX — Nota: 7.5
Plataforma utilizada para análise: PS5
Revisão: Davi Sousa
Análise produzida com cópia digital cedida pela Illfonic

é produtor de conteúdo sobre games desde 2016 e um grande fã da décima arte, embora não tenha muito tempo disponível para ela. Seus games favoritos (que formam uma longa lista) incluem: KH, Borderlands, Guitar Hero, Zelda, Crash, FIFA, CoD, Pokémon, MvC, Yu-Gi-Oh, Resident Evil, Bayonetta, Persona, Burnout e Ratchet & Clank.
Também encontra-se no Twitter @MatheusSO02 e no OpenCritic.
Este texto não representa a opinião do GameBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


Disqus
Facebook
Google