Jogamos

Análise: Smurfs Kart (Muti) — Acelerando pelo vilarejo, mas só até a segunda marcha

Os pequenos seres azuis disputam corridas com seus karts, mas são atrapalhados por diversos erros de desempenho e uma alta dose de repetitividade.

em 05/09/2023
Os Smurfs estão de volta, e agora motorizados. Após o tiro certeiro com Missão Florrorosa, as criaturinhas azuis pisam fundo em Smurfs Kart. O título já havia sido lançado para Switch no ano passado, e agora dá as caras no PS4, PS5, XBO, XSX e PC.

Automobilismo Smurf

O esquema básico da corrida de personagens, que foi estabelecido por Mario Kart desde a década de 1990, é respeitado à risca. Escolhemos nosso personagem com seu carrinho temático e temos que superar os adversários com a ajuda de poderes. Até aqui nenhuma novidade.

Claro que já é esperado que os itens sejam todos do universo Smurf, mas ainda assim eles conseguem ser divertidos e engraçados. Joca arremessa presentes que explodem nos inimigos; Fominha distribui cupcakes que deixam todos soluçando e pulando sem parar; Papai Smurf coloca seus filhinhos para dormir com o pó mágico; isso só para citar alguns.

O bom humor transborda dos carros para as pistas, o que é é algo muito agradável de se curtir a cada corrida. Os 12 trajetos variam entre o vilarejo dos Smurfs (com direito a vários deles pelas arquibancadas torcendo), florestas e até os arredores do castelo do Gargamel. E já deixo aqui registrado que é realmente uma pena que Gargamel não seja um dos pilotos disponíveis.

A trilha sonora também cumpre muito bem seu papel, com canções divertidas e alegres que transmitem muito bem a vibe do jogo: a de divertir de maneira leve todos os públicos. O toque final fica por conta das legendas em português, que mesmo em um jogo de corrida sem história sempre são bem vindas.  

Entretanto, existem alguns fatores que fazem a graça sumir rapidinho. As copas são inegavelmente fáceis, mesmo com duas velocidades “diferentes”. Apesar das opções Diversão e Supervelocidade, parece que estamos sempre no mesmo ritmo e ambas só servem para inflar a rejogabilidade, já que concluir cada uma das três copas nas duas velocidades libera colecionáveis.

Outro ponto bastante irritante é a variedade desigual da distribuição de poderes durante a corrida. Se estamos no meio ou no fim do pelotão, temos acesso todas as opções, desde a habilidade única de cada Smurf, até os poderes mais corriqueiros, como turbo - aqui simbolizados com folhas de salsaparrilha - abelhas que perseguem o primeiro colocado, escudos, entre outros. 

Agora, quando estamos na ponta, a coisa muda de maneira drástica. Tudo o que conseguimos é uma planta espinhenta que soltamos para trás, frutinhas e uma noz, que dependendo da forma que ricocheteia pelas paredes, pode nos acertar na volta. Com muita sorte conseguimos um escudo. E esse nem é o maior dos problemas.

Simplesmente todos os poderes disparados pelos rivais te acertam, e ao mesmo tempo, sem nem ter um tempo para recuperação. Isso acontece com ainda mais frequência na terceira volta. Chega a ser ridículo o tanto de vezes que nosso pequeno piloto azul é bombardeado. 

Inclusive, isso leva a outra falha, que é uma espécie de travamento quando o kart deveria retomar a corrida. Quando ocorre esse bombardeio, o carrinho volta para a posição, mas demora a acelerar, ficando estático por alguns preciosos segundos que podem nos custar uma vitória.

Corre-corre no vilarejo

Por mais que o estilo engraçadinho de Smurfs Kart crie algo leve, inclusive para ser curtido por até quatro amigos de maneira local, a sensação de repetitividade vem com força depois de algumas horas. Principalmente ao tentarmos juntar os colecionáveis.

Ao todo são 110 stickers desbloqueáveis, obtidos após coletar uma quantidade de frutas pelo caminho, correr um número determinado de corridas com cada personagem, conseguir insígnias de desempenho ao final de cada corrida e concluir as copas. Por mais que a quantidade seja alta, o que sempre é um ponto a favor, conseguir estes stickers não é algo que incentive o jogador a passar horas a fio no controle.

Será necessário mais de 240 corridas para conseguir liberar tudo, e esse número vem de 20 delas com cada integrante do elenco. Dentro desse número, as três copas devem ser concluídas quatro vezes, sendo uma vez em cada velocidade, uma vez na orientação normal e outra de modo espelhado. Por fim, há provas de tempo, na qual temos que derrotar cada Smurf em corridas contra o relógio. E sim, de novo duas vezes.

Quanto às insígnias de corrida, elas devem ser obtidas um certo número de vezes e algumas não são tão claras na sua descrição. Por fim, para quem quiser obter todas as conquistas/troféus, terá que focar em uma lista totalmente diferente, que envolve usar as habilidades especiais de cada Smurf uma quantidade de vezes, o que nos leva de volta para o problema que já relatei na seção anterior.

Some tudo isso às diversas telas de carregamento, que tomam um tempo precioso da jogatina, e o resultado final conseguiria tirar até mesmo o Soneca do sério - e olha que ele também não está no elenco de personagens. Uma ótima saída para toda essa batelada de missões e conquistas seria um multiplayer online, mas infelizmente o jogo não conta com essa alternativa.

Por fim, outra opção que acaba fazendo falta é a de customizar os controles, já não é de hoje que jogos de corrida, sejam eles simuladores ou arcades, colocam a aceleração no gatilho. Inexplicavelmente, Smurfs Kart apresenta um padrão considerado antigo, deixando os gatilhos para poderes e derrapagens e colocando a aceleração em um dos botões convencionais. Para mim, particularmente falando, não acabou fazendo muita diferença de fato, mas pode ser um pouco mais complicado se adaptar para quem aprendeu a jogar algumas décadas depois.

Só para quem é do vilarejo

O choque de qualidades e defeitos de Smurfs Kart chega a ser absurdo: de um lado temos uma excelente lista de personagens, ótimos visuais e trilha sonora encantadora; do outro temos diversos erros de performance, ausência de modo online e alta repetitividade para conseguir liberar tudo. No fim, o que poderia ser divertido acaba se tornando um teste de paciência, o que é uma pena, pois nossos amiguinhos azuis não mereciam isso.

Prós

  • A lista de pilotos é ótima e cada um tem sua habilidade única;
  • As pistas retratam bem as paisagens do desenho;
  • Controles simples e fáceis de dominar;
  • A trilha sonora ajuda bastante a trazer leveza durante as corridas.

Contras

  • A variedade dos poderes na corrida é muito desbalanceada;
  • Não é possível customizar os controles;
  • Ausência de multiplayer online;
  • Os colecionáveis e a lista de troféus reforçam muito a sensação de repetição;
  • Telas de carregamento demoradas;
  • Diversos travamentos ocorrem ao tentarmos voltar para a pista;
  • As opções de velocidade não trazem diferença alguma à jogabilidade ou dificuldade;
  • Podiam ter incluído personagens como Gargamel e Soneca.
Smurfs Kart — PC/PS4/PS5/Switch/XBO/XSX — Nota: 6.0
Versão utilizada para análise: PS4
Revisão: Juliana Piombo dos Santos
Análise feita com cópia digital cedida pela Microids

é amante de joguinhos de luta, corrida, plataforma e "navinha". Também não resiste se pintar um indie de gosto duvidoso ou proposta estranha. Pode ser encontrado falando groselhas no seu twitter @carlos_duskman
Este texto não representa a opinião do GameBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.