SNK: produtor afirma que aquisição por parte da Arábia Saudita não vai interferir no desenvolvimento de jogos.

Possíveis interferências na publicadora japonesa pelo país geram preocupação aos fãs.


Em resposta a um questionamento feito pela Video Game Chronicles (VGC), Yasuyuki Oda, produtor e designer da SNK, afirmou que a aquisição do estúdio pelo fundo financeiro da Arábia Saudita não terá nenhum efeito no desenvolvimento de jogos. “Nós estamos apenas focando em fazer jogos. Nós não somos uma empresa política ou algo assim, então isso não nos afeta de forma alguma.”


Uma preocupação apontada por fãs após a compra foi em relação às possíveis restrições impostas em conteúdos para os jogos da empresa, como os relacionados a personagens femininas e LGBTQIA+. O país do oriente médio possui histórico de repressão a ativistas pertencentes a esses grupos.

Oda foi questionado se a aquisição poderia comprometer a liberdade criativa da desenvolvedora. Ele afirmou que “Não tem nenhum efeito em nossa produção criativa. Temos total liberdade sobre o que queremos criar.” Como exemplo, utilizou Shermie, uma personagem feminina da franquia The King of Fighters que manda beijos para seus rivais antes do início da partida. “Tipo, se fosse um problema real, personagens como Shermie provavelmente não estariam no jogo.” disse o desenvolvedor.

Uma coisa que diríamos é que nossos proprietários geralmente são fãs das nossas IPs, e eles sempre foram. Então, cabe a nós o que queremos fazer no que diz respeito à criação de conteúdo.” complementou o produtor. A VGC realizou questionamentos complementares à SNK, mas a empresa não forneceu comentários adicionais sobre o assunto.

O Public Investment Fund (Fundo de Investimento Público), vem realizando investimentos na indústria dos jogos nos últimos anos. Empresas como Activision-Blizzard, Take-Two, Capcom, EA, Nintendo, dentre outras, já tiveram ações adquiridas por meio dele.

Essas compras feitas pelo PIF, que é presidido pelo príncipe da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, teriam como objetivo diversificar a economia do país, que atualmente tem uma relativa dependência do petróleo. Porém, há acusações de que seria apenas uma jogada de marketing para melhorar a reputação do futuro herdeiro do trono saudito. Salman foi acusado pela Inteligência dos EUA de ter ordenado o assassinato brutal do jornalista Jamal Khashoggi.

Fonte: VGC

Palmeirense casual, fã de audiovisual (cinema, videogames e animes) e possível jornalista pela UEPB. "O acesso a informação não é uma opção, é um direito."


Disqus
Facebook
Google